Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemIggor Cavalera manda ver em "Dead Embryonic Cells" ao vivo; confira drumcam

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte

imagemNovo álbum do Krisiun será lançado em julho; veja capa e tracklist

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemTobias Forge, do Ghost, diz que ABBA deveria receber um Prêmio Nobel

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil


Resenha - Ashes - Tristania

Por Ben Ami Scopinho
Em 21/02/05

E finalmente aconteceu o que muitos previam: o Tristania tomou rumos bem diferentes do estilo musical que o consagrou como um dos maiores ícones do Gothic Metal mundial. Isso era óbvio, pois com a saída de Morten, um dos principais compositores que ajudou a definir o estilo que tornou a banda famosa, o Tristania acrescentou mais dois vocalistas à banda e gravou o ótimo "World Of Glass", excursionou pelo mundo todo e tirou um bom período de descanso.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Agora, depois de quatro anos e tempo para se reciclarem, esses noruegueses vêm com seu novo registro "Ashes". E como foi dito, mudaram bastante sua sonoridade, apresentando faixas mais variadas entre si, porém as novas composições soam em certos momentos relativamente estranhas, como se fosse uma nova banda de definindo musicalmente, procurando seu caminho.

O que antes era pesado, gótico e muito intenso, hoje está mais lento, climático e viajante, mesclado com poucas características do que conhecíamos como Tristania de poucos anos atrás. Com uma tendência bem mais gótica e de arranjos mais complexos, "Ashes" traz canções bem poéticas tocadas por músicos estupendos, os violinos ainda marcam sua presença, corais muito bem encaixados, a atuação de todos os vocalistas está excelente, mas como um todo o resultado ficou bem distante do padrão de qualidade de seus álbuns anteriores.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A faixa "Libre", que abre o álbum, tem ainda aquela distorção característica, ótimos teclados e é cantada pelos três vocalistas, sendo o grande destaque do álbum juntamente com "Equilibrium", que é mais acústica, cheia de variações, onde a voz de Vibeke brilha pela sua maciez. À partir daí temos uma sucessão de altos e baixos, com canções com várias mudanças de tempo, oscilando entre o peso e as baladas, porém em vários momentos infelizmente se torna cansativo.

"Ashes" é um álbum que dividirá muitas opiniões, pois é inegável que possui suas qualidades, e quem nunca escutou seus registros anteriores poderá vir a apreciar. Agora, quem acompanha o Tristania desde seu primeiro EP de 97 e conhece a música que fizeram num passado não tão distante, aí já é outra história, pois após a audição deste álbum poderá existir aquela sensação de vazio, de que falta algo...

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Tristania - Ashes
(2005 – distribuído por Hellion Records)

01. Libre
02. Equilibrium
03. The Wretched
04. Cure
05. Circus
06. Shadowman
07. The Gate (Bonus Track)
08. Endogenesis
09. Bird

Homepage: www.tristania.com


Outras resenhas de Ashes - Tristania

Resenha - Ashes - Tristania

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Tristania: "fascínio por extremismo, loucura e caos"

Galeria - Musas do Rock N' Roll e Heavy Metal



Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.