Resenha - Grimjaur - Siebenburgen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


Siebenbürgen foi formado em 1994 na Suécia e desde então está na luta, lançando demos até chegar ao seu primeiro disco gravado em 1996 com a seguinte formação: Marcus Ehlin nas vozes, Linus Ekström e Marcus Ehlin nas guitarras, Fredrik Brockert no contrabaixo e a bateria fica aos cuidados de Anders Rosdahl. Com esse mesmo time, as típicas pinturas corporais e seguindo uma linha vampírica, lançam em 1998 seu segundo disco, Grinjaur, que somente agora chega ao Brasil.

Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellChris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morte

Grinjaur é um álbum que, em termos de composições não apresenta nenhum teclado, possui muito do black metal da primeira geração (Venon e Bathory) e também algo do black metal moderno no que diz respeito à velocidade em certas passagens de várias faixas.

Totalmente cantado em sueco, o que vem a garantir uma música ainda mais fria, as canções apresentam muitos riffs de power metal e até mesmo Motörhead, boas melodias e alternância no vocal masculino, o que ficou muito bom. Ainda em termos de vozes, algumas faixas apresentam a voz de Lovisa Hallstedt, que não tem a menor pretensão em alcançar as notas das cantoras consagradas da atualidade e tenta simplesmente cantar a proposta musical da banda, mas infelizmente vacila em vários momentos.

Mesmo com uma gravação que deixa muito a desejar, o álbum é muito bom e destacam-se tranqüilamente a veloz faixa-título, com a já citada boa variação nas vozes; "Vintervila" e "Dödens Svarta Fana", com muita influência de metal tradicional; os excelentes trabalhos nas guitarras de "Slottet Auragon" e a acústica "Ibi Cubavit Lamia", onde o show é somente da cantora Lovisa, que aqui realmente se sai muito bem.

Após Grinjaur, Siebenbürgen já começa a se preocupar mais em expandir as fronteiras em sua carreira, colocando no mercado discos mais trabalhados e com gravação muito superior, além de passar a cantar em inglês, sendo que alguns destes álbuns já saíram por aqui.

SIEBENBÜRGEN - Grinjaur (1998)
distribuído por Hellion Records

01. Grimjaur
02. Vintervila
03. Nattskräcken
04. Slottet Auragon
05. För Mig...Ditt Blod Utgjutet
06. Dödens Svarta Fana
07. Luna Luciferi
08. I Döden Fann Hon Liv
09. Vargablod
10. Ibi Cubavit lamia

Material Cedido por:
Hellion Records
Rua 24 de maio 62, Ljs. 280/282/308 - São Paulo
http://www.hellionrecords.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Siebenburgen"


Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellChester Bennington
A tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Chris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morteChris Cornell
Relatório policial descreve últimas horas e morte


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336