Resenha - Prophecy - Soulfly

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ari Santa Lucia Jr.
Enviar Correções  


Ninguém poderia imaginar que Max chegaria tão longe com o Soulfly. "Prophecy" já é o quarto trabalho da banda, que continua firme e com um nome respeitado lá fora.

publicidade

Peguei esse cd há um tempão, mas só agora ele aparece aqui, fazer o quê...

De cara parece a melhor coisa que Max fez desde "Roots...". A primeira parte desse disco é uma coisa absurda, e não tenho receio de dizer que é uma das melhores composições da carreira dele.

A faixa-título, "Living Sacrifice" e "Execution Style" são de tirar o fôlego. Todas são metal puro, sem frescura ou mistureba gratuita, feitas com tanta raiva e paixão que chegam a arrepiar. As guitarras estão muito pesadas e o vocal de Max aparece muito mais sujo que nos trabalhos anteriores.

publicidade

Pela primeira vez desde 1997, dá pra dizer que algo assim seria o caminho adotado pelo Sepultura se não tivesse acontecido tudo aquilo...

Em "I Believe" Max mostra mais uma vez sua faceta tribal, abusando de passagens atmosféricas e vocais em coro lá no fundo, contrastando com o refrão agressivo.

Só que seria muito bom se o disco todo fosse assim, mas não é. Max é sinônimo de mistura musical e dá a impressão de que carrega uma bela responsabilidade nisso, ou acredita realmente que tem essa responsabilidade. O restante do cd é ruim de doer, aliás chega a dar vergonha de escutar.

publicidade

A pisada na bola começa com "Moses", que mistura ska com música africana. "Porrada" começa acústica como se fosse, pasme, uma MPB brega e sem sentido para depois virar hardcore. Olha só a salada que ele aprontou...

No meio disso tem até uma cover do Helmet. "In The Meantime" ganhou uma versão preguiçosa e desnecessária que poderia dar lugar a outra canção própria.

publicidade

Pra fechar, se você tiver coragem de encarar, há as acústicas e esquisitas "Soulfly IV" e "Wings", essa com vocal feminino...

Max perdeu a oportunidade de fazer um dos melhores discos de sua carreira, deixando-se levar pela propaganda safada de que tem sempre que misturar estilos para parecer cool. Com o potencial apresentado na primeira parte de "Prophecy" dá pra imaginar o que o Sepultura com ele ainda não poderia mostrar ao mundo.

publicidade


Outras resenhas de Prophecy - Soulfly

Resenha - Prophecy - Soulfly




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Iron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993


Sobre Ari Santa Lucia Jr.

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Ari Santa Lucia Jr. no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin