Resenha - Open The Gates Of Hell - Mystic Circle

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Drustan
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Lembro-me de ter lido há uns cinco anos uma entrevista com o MYSTIC CIRCLE, na qual, quando questionados sobre o visual carregado, seu líder Beelzebub declarou que a maquiagem (Corpse Paint), os Spikes, as roupas de couro e os pseudônimos representavam o espírito do grupo, e que de maneira alguma abandonariam o citado visual.

MTV: experts indicam as maiores bandas de Heavy MetalFreddie Mercury: a descoberta do vírus em 1987

Pois bem, como sempre o tempo passou, e daquela época só sobraram mesmo os pseudônimos, já que muita coisa se alterou; a formação passou a ser um trio, o citado visual mudou drasticamente e a sonoridade apresentada neste, que é o sétimo trabalho da banda, muito se distanciou daquele Black Metal apresentado em obras como "Morgenröte Der Schrei nach Finsternis" e no magistral "Drachenblut".

Basicamente, o que diferencia este CD do seu antecessor, o "Damien", é o fato de possuir mais andamentos cadenciados do que velozes em si, apesar de conter menos intervenções de teclados. E a masterização feita no conceituado Finnvox Studios também rendeu ao álbum uma sonoridade mais densa e muito pesada, tornando verdadeiros hinos de destruição "Awaken By Blood", "Satanic Rituals" e a própria faixa-título.

Porém, neste "Open The Gates Of Hell", o grupo alicerça de vez um estilo próprio e bastante peculiar, misturando toda a fúria do Black/Death com levadas Thrash e algumas passagens de Gothic Metal, que a primeira vista podem parecer inconciliáveis, mas no fim da conta resultam em um trabalho bastante homogêneo, excetuando-se "Wings Of Death", que foge totalmente da linha de estilo do disco, se tratando efetivamente de uma faixa mais voltada para o Gothic Metal, por sinal soando nitidamente deslocada dentro do contexto do álbum, e com isto podendo vir a render críticas dos mais radicais.

Mas, analisando "Open The Gates Of Hell" como um todo, podemos concluir que, apesar das mudanças ocorridas nos últimos anos, o MYSTIC CIRCLE ainda sabe como fazer um álbum de Black/Death surpreendente!

Faixas:
Morbid Signs Of Destruction
Beyond The Black Dawn
Satanic Rituals
Awaken By Blood
Wings Of Death
Deadly Ghosts
Open The Gates Of Hell
Book Of Shadows
Burning Souls
Demoniac Dimension
Wings Of Death (bônus - Single version)

Total time: 38:16

Formação:
Graf Von Beelzebub (bass, vocals)
Ezpharess (guitars, keyboards)
Necrodemon (drums)

Material cedido por:
Hellion Records - www.hellion.com.br.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Mystic Circle"


MTV: experts indicam as maiores bandas de Heavy MetalMTV
Experts indicam as maiores bandas de Heavy Metal

Freddie Mercury: a descoberta do vírus em 1987Freddie Mercury
A descoberta do vírus em 1987


Sobre Drustan

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClioIL