Resenha - Fly By Night - Rush

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fábio Trovão
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Com certeza, muitos leitores ao verem esse álbum na discografia básica irão reclamar dizendo que esse não é o melhor álbum do Rush. E eu serei obrigado a concordar. Porém, esse álbum é um dos mais, ou até mesmo o mais importante da banda. Porque? Simples. Depois de um álbum de estréia bom, lançado em 1974 independentemente, porém seguindo apenas o estilo criado pelo Led Zepellin alguns anos antes, Fly By Night, lançado em 1975 já por uma grande gravadora (Mercury), é o álbum que marca o início das incursões ao Rock Progressivo da banda e principalmente a estréia do baterista preferido de 9 entre 10 bateristas de rock no mundo: Neil Peart. E não podemos esquecer de seu enorme talento como letrista, fato que é raro em se tratando de bateristas. É claro que não podemos deixar de mencionar o talento em seus instrumentos, e principalmente como compositores, dos outros 2 membros: Geddy Lee (Baixo/Teclados/Vocal) e Alex Lifeson (Guitarras).
245 acessosAvery Molek: medley de Rush na bateria aos 10 anos de idade5000 acessosMemoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandas

O disco abre com a faixa Anthem, e a banda já começa a mostrar que não é mais apenas um clone do Led Zeppelin. Riffs rápidos e pesados e a bateria já assombrando o mundo. Logo após vem Best I Can, mantendo o nível da primeira, e também no mesmo nível vem Beneath, Between & Behind, que já começa a mostrar o letrista de mão cheia que é Neil Peart. A música é um pequeno conto sobre o tempo da nobreza.

A música seguinte é talvez o ponto alto do álbum. By-Tor & The Snow Dog começa no mesmo estilo das outras, Hard Rock rápido. Porém no meio ela vira um Rock Progressivo. Mistura essa que viria a se tornar a marca registrada da banda. E a letra mostra toda a criatividade de Neil. Ele simplesmente cria uma batalha entre dois...cães que um roadie conheceu numa festa: By-Tor (uma pastor alemão) e Snow Dog (um Husky Siberiano).

Fly By Night, a faixa seguinte, foi o primeiro sucesso comercial desse álbum, sendo sempre pedida até hoje em shows. Em Making Memories, Alex Lifeson agrega influências Country. E na baladíssima Rivendell, Neil Peart se baseia no livro Senhor Dos Anéis (Lord Of The Rings) de J.R.R. Tolkien. Influência que viria a ser muito usada na década de 90 por bandas como Blind Guardian. E o álbum fecha com In The End, mais uma faixa Hard Rock. Essa faixa tem um valor sentimental para este que vos fala e para muitos outros fãs cariocas de Rock em geral, pois foi a música de despedida da única rádio Rock do Rio de Janeiro, a Fluminense FM, que foi vendida para uma rádio Dance (argh!) que, óbvio, nem merece ter seu nome citado nesse espaço rockeiro.

Fly By Night não é o melhor álbum, nem o mais criativo, mas foi crucial na carreira dessa banda que é uma das preferidas do público rockeiro de todo o mundo. E aguardem em breve outras obras-primas do Rush aqui nesta seção.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Fly By Night - Rush

3285 acessosRush: a apresentação de Neil Peart em Fly By Night

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

RushRush
Capivaras de zoológico em Toronto ganham nome do trio

245 acessosAvery Molek: medley de Rush na bateria aos 10 anos de idade456 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Rush"

Jack BruceJack Bruce
Músicos do Kiss, Sabbath, Megadeth e mais dão pêsames

Classic RockClassic Rock
Os 50 maiores álbuns de rock progressivo

Carreira soloCarreira solo
7 músicos que nunca lançaram projetos paralelos

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Rush"

Bandas de rockBandas de rock
O logo pode ser tão memorável quanto o maior hit

Top 10 GuitarristasTop 10 Guitarristas
Matéria empolgada no Jornal da Globo

GuitarpediaGuitarpedia
Os 10 riffs de guitarra mais complicados da história

5000 acessosEm 07/07/1990: Morre Cazuza, por complicações decorrentes da AIDS5000 acessosLemmy Kilmister: A opinião da lenda sobre Sharon Osbourne e Iron Maiden5000 acessosMetal Extremo: algumas bandas que você precisa ouvir5000 acessosLars Ulrich: baterista ensinou seus filhos a ouvir Metal5000 acessosBateristas: canhotos que tocam de forma diferente5000 acessosBandas novas: a maldição dos covers

Sobre Fábio Trovão

Guitarrista e professor de InglUs! Adora Heavy Metal em geral, principalmente Heavy Progressivo!

Mais matérias de Fábio Trovão no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online