Resenha - House of Atreus Act I - Virgin Steele

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Haggen Kennedy
Enviar Correções  

9


Antes de ter conferido este disco, lembro-me de ter ouvido algumas pessoas dizendo que 'The House of Atreus - Act I' era simplesmente um 'Invictus II'. Pra quem ouviu a mesma coisa e ainda não teve oportunidade de escutar esse álbum, pode tirar essa idéia da cabeça em 100%.

publicidade

David DeFeis, pianista, tecladista, frontman, empresário, líder e cabeça da banda fez nada mais nada menos que uma obra de arte. Chega a ser difícil descrever alguma coisa sobre esse disco maravilhoso. Vou fazer uso de um novo parágrafo para tentar passar a você, leitor, a idéia do que é esse disco.

Nas 22 músicas de 'The House of Atreus', DeFeis despejou tanto feeling no disco como uma cascata despeja água no rio logo abaixo. É simplesmente impressionante os toques de Música Clássica perfeitamente fermentadas em harmonia tanto com a música em que ela atua como no resto do disco. Mesmo sendo conceitual, é simplesmente incrível o fato de se poder ver o nível das composições aqui. Tente dar uma ouvida em "Blaze of Victory". Porradaria pura. Com partes de guitarra que realmente jogam na sua cara a idéia do que é o verdadeiro heavy metal. Depois tente escutar "Child of Desolation". Essa foi música foi feita pra quê? Chorar?! Que feeling absurdo!!

publicidade

As músicas instrumentais estão simplesmente perfeitas. A produção, idem. E a temática do disco... ah!, a temática... o que se pode dizer? A velha e boa Grécia! Os corajosos gregos e suas formidáveis guerras, lendas e mitos. Estão todos aí. Atreus, Agamenão, Clitemnestra, Elektra, Orestes, Efigênia, o bom e velho Zeus e os outros Deuses. Até mesmo Narciso teve sua parte no disco. O que se pode dizer da parte lírica desse petardo? Pois é, não dá pra dizer nada, só contemplar, mesmo.

publicidade

Na terceira semana de Janeiro, eu tive a oportunidade de entrevistar o próprio DeFeis, o que resultou numa conversa via telefone por cerca de 2 horas. Este me confidenciou que "House of Atreus - Act II" seria melhor do que o primeiro. Realmente é difícil de acreditar. Superar esse 'Act I' me parece realmente um tanto difícil. Por deslizes tão pequenos quanto formigas não dei um bom 10 nesse CD (afinal, dar nota máxima em um disco é uma coisa muito séria). Mas esperemos o 'Act II', continuação dessa saga incrível sobre Atreus (já falecido no primeiro capítulo) e sua família, uma história chega de intrigas, mistérios e assassinatos a sangue frio.

publicidade

"The House of Atreus" é simplesmente uma bomba na carreira do Virgin Steele. Maior do que os dois Marriages. Parece que finalmente, depois de tanto tempo sem o devido reconhecimento, Mister DeFeis tem agora a oportunidade de ter seu nome no baluarte do heavy metal, junto com os grandes nomes da NWOBHM que sobrevivem até hoje.

Concluindo: saia de casa correndo e consiga o seu 'House of Atreus' tão logo quanto possível. Vale a pena. E muito!

publicidade

Material cedido por:
Laser Company Records
Fone: (11) 292-6011
Fax: (11) 6693-0764
Rock Brigade Records
Fone: (11) 570-4124
Fax: (11) 575-4526



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


David DeFeis: os álbuns que marcaram o vocalistaDavid DeFeis
Os álbuns que marcaram o vocalista

Heavy Metal: as 10 capas mais de macho de todos os temposHeavy Metal
As 10 capas mais "de macho" de todos os tempos


Metalcore: os dez trabalhos essenciais do estiloMetalcore
Os dez trabalhos essenciais do estilo

Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda


Sobre Haggen Kennedy

Nascido ao fim dos anos 70 e adolescido em meio ao universo metálico, Haggen Heydrich Kennedy já trabalhou e atuou numa vultosa gama de atividades, como o jornalismo, o desenho, a informática, o design e o ensino, além de outros quefazeres. Atualmente vive em Atenas, Grécia, onde estuda História, Arqueologia e Grego Antigo na Universidade de Atenas. A constante nesse turbilhão de ofícios, todavia, sempre constituiu-se de dois fatores: as línguas (ainda hoje trabalha com tradução e interpretação) e a música - esse último elemento, definitivo alimento espiritual.

Mais matérias de Haggen Kennedy no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin