R.I.P: Nomes do rock e do metal que partiram cedo demais - Parte 1

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro, Fonte: Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

A única certeza que temos na vida é a morte. Porém, apesar de todos nós sabermos disso, é difícil se conformar com a perda, ainda mais quando a morte acontece por conta de alguma fatalidade ou quando uma pessoa jovem demais morre.

Slayer: Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismoHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não que exista uma idade mínima para morrer, porém, se a morte acontece quando a pessoa já tem uma certa idade e escreveu a sua história na Terra, fica mais fácil de entender a perda. Por outro lado, quando uma pessoa mais nova morre, sempre fica aquele sentimento de que a sua história foi incompleta.

Confira a seguir alguns dos nomes do rock e do metal que partiram cedo demais.

Chuck Schuldiner (13/05/1967 - 13/12/2001): o guitarrista, vocalista, líder e membro fundador do Death teve uma carreira muito produtiva ao longo dos anos que esteve na ativa.

Considerado por muitos como o padrinho do death metal, Chuck escreveu clássicos da música pesada, como os imortais "Scream Bloody Gore", "Leprosy", "Spiritual Healing" e "Human".

Infelizmente, Chuck faleceu com 34 anos, por conta de um câncer no cérebro.

Ídolos imortais: Chuck Schuldiner, o padrinho do death metalÍdolos imortais
Chuck Schuldiner, o padrinho do death metal

Randy Rhoads (06/12/1956 - 19/03/1982): um dos guitarristas mais influentes do heavy metal, Randy gravou os dois primeiros discos do Quiet Riot, mas foi na banda de Ozzy Osbourne que ele realmente brilhou para o mundo.

Randy, que tinha paixão por música erudita, mostrou toda sua técnica e feeling em riffs e solos inesquecíveis, como em "Revelation (Mother Earth)", "Mr. Crowley", "Goodbye To Romance", "Crazy Train", "Over The Mountain" e "Diary Of A Madman".

O jovem guitarrista, que chocou o mundo do metal, tinha muita vida pela frente. Tinha. Em março de 1982, quando tinha apenas 25 anos, morreu em um acidente aéreo.

Ídolos imortais: Randy Rhoads, um gênio incomparável e inesquecívelÍdolos imortais
Randy Rhoads, um gênio incomparável e inesquecível

Kurt Cobain (20/02/1967 - 05/04/1994): o líder do Nirvana é um dos nomes mais importantes e emblemáticos dos anos 1990, por comandar a sua banda e a explosão do grunge.

Kurt foi o primeiro ídolo de uma geração inteira e fez com que muitos jovens começassem a ouvir música pesada. O disco "Nevermind", sua maior obra, é considerado um clássico da música alternativa quase 30 anos depois de seu lançamento.

Apesar de todo o sucesso, o guitarrista/vocalista do Nirvana não era uma pessoa exatamente equilibrada e feliz, o que ficava pior por conta do consumo de drogas. A bomba-relógio explodiu em 5 de abril de 1994, quando Kurt tirou sua própria vida, aos 27 anos de idade.

Layne Staley (22/08/1967 - 05/04/2002): outro importante nome do grunge e do rock, Layne foi a voz do Alice In Chains e encantou o mundo com as clássicas "Man In The Box", "Down In A Hole", "No Excuses", "We Die Young", "Them Bones" e "Would?".

O músico sofria com a depressão e o abuso de drogas. Em 19 de abril de 2002, foi encontrado morto em sua casa, porém, ele havia falecido há duas semanas. Layne havia morrido de overdose, também em uma dia 5 de abril, oito anos depois de Kurt Cobain.

Ídolos imortais: Layne Staley, um gênio que partiu cedo demaisÍdolos imortais
Layne Staley, um gênio que partiu cedo demais

Cliff Burton (10/02/1962 - 27/09/1986): o baixista do Metallica fez parte de uma formação que assombrou o mundo com um thrash metal rápido e agressivo. Mesmo em meio ao barulho feito pelos quatro cavaleiros, Cliff sempre arrumava espaço para desfilar sua técnica, como pode ser ouvido em "(Anesthesia) Pulling Teeth", "The Call of Ktulu" e "Orion".

O baixista, considerado por muitos como um dos maiores da história da música pesada, faleceu em um trágico acidente automobilístico, quando ainda tinha 24 anos de vida.

Ídolos imortais: Cliff Burton, o gênio das quatro cordasÍdolos imortais
Cliff Burton, o gênio das quatro cordas

Janis Joplin (19/01/1943 - 04/10/1970): Janis Joplin continua sendo uma das mulheres mais importantes da história da música. A sua voz inconfundível fez com que muitas garotas tomassem coragem para entrar em um universo que até então, não tinha visto nenhuma mulher ser tão influente.

A carreira e a vida da Rainha do Rock And Roll foram muito curtas, já que Janis faleceu com apenas 27 anos, vítima de uma overdose.

Ídolos imortais: Janis Joplin, a Rainha do Rock And Roll

Jimi Hendrix (27/11/1942 - 18/09/1970): Hendrix foi um dos guitarristas mais inovadores de todos os tempos. Até hoje, continua sendo uma grande influência para entusiastas das seis cordas e fãs de boa música.

O guitarrista morreu jovem demais, aos 27 anos, por conta de uma overdose.

Renato Russo (27 de março de 1960 - 11 de outubro de 1996): o vocalista e líder da Legião Urbana é um dos maiores nomes do rock nacional. As letras contestadoras e cheias de poesia transformaram Renato em um ícone da música nacional.

O lendário músico faleceu com apenas 36 anos, por conta de complicações referentes ao vírus do HIV.

Ídolos imortais: Renato Russo, a voz da Legião Urbana e de toda uma geração

Ray Gillen (12/05/1959 - 01/12/1993): vocalista extremamente talentoso, conhecido por seu trabalho com o Badlands e pela passagem durante a turbulenta fase vivida pelo Black Sabbath nos anos 1980.

Dono de uma voz muito potente, o músico foi mais uma vítima da AIDS e faleceu, de forma irônica, no Dia Mundial de Combate à doença.

Paul Baloff (25/04/1960 - 02/02/2002): apesar de ter gravado apenas um disco de estúdio em sua vida ("Bonded By Blood"), Paul Baloff é uma das maiores lendas do thrash metal.

Quado estava prestes a iniciar a sua terceira passagem pela banda, faleceu após passar alguns dias em coma. Até hoje, é lembrado como um dos maiores ícones do thrash (com razão).

Ídolos imortais: Paul Baloff, um ícone do Thrash Metal

Andre Matos (14/09/1971 - 08/06/2019): sem sombra de dúvidas, Andre Matos é um dos maiores nomes do metal nacional, além de ser um dos responsáveis diretos pela música pesada brasileira ser conhecida e respeitada no exterior.

A carreira de Andre Matos, seja no Viper, no Angra, no Shaman ou em seu trabalho solo, sempre foi repleta de canções inesquecíveis. Infelizmente, a vida de Andre foi interrompida de forma brusca quando o músico tinha 47 anos, em um dos dias mais tristes do metal brasileiro.

Ídolos imortais: Andre Matos, um dos maiores nomes do metal nacionalÍdolos imortais
Andre Matos, um dos maiores nomes do metal nacional

Tommy Bolin (01/08/1951 - 04/12/1976): o guitarrista é dono de uma das carreiras mais meteóricas do rock. Sua curta trajetória teve como ponto alto o período em que fez parte do Deep Purple, substituindo ninguém menos que Ritchie Blackmore. Enquanto esteve com a banda, Tommy gravou o excelente "Come Taste The Band".

A promissora carreira do talentoso Tommy Bolin teve fim em 1976, quando ele ainda tinha 25 anos e morreu de overdose.

John Bonham (31/05/1948 - 25/09/1980): até hoje, é considerado um dos maiores bateristas do rock, por conta de sua maneira agressiva e inovadora de tocar. John fez parte da espinha dorsal do Led Zeppelin, um dos nomes mais importantes da música.

O ícone da bateria faleceu com apenas 32 anos, sufocado pelo próprio vômito, deixando um legado gigantesco.

Mamonas Assassinas (02/03/1996): o grupo foi um dos maiores fenômenos dos anos 1990 no Brasil. As músicas da banda tinham letras escrachadas e um ótimo trabalho instrumental executado pelos músicos do quinteto.

Porém, a banda que fez muita gente rir, infelizmente arrancou lágrimas do rosto de muita gente, quando o Brasil ficou sabendo da trágica morte dos seus integrantes em um acidente aéreo.

Dinho (Alecsander Alves) - 05/03/1971 - 02/03/1996
Bento Hinoto (Alberto Hinoto) - 07/08/1970 - 02/03/1996
Samuel Reoli (Samuel Reis De Oliveira) - 11/03/1973 - 02/03/1996
Sérgio Reoli (Sérgio Reis de Oliveira) - 30/09/1969 - 02/03/1996
Júlio Rasec (Júlio César Barbosa)- 04/01/1968 - 02/03/1996

Em 02/03/1996: o grupo Mamonas Assassinas morria e deixava o Brasil mais tristeEm 02/03/1996
O grupo Mamonas Assassinas morria e deixava o Brasil mais triste

Em breve, a parte 2. Envie sugestões nos comentários!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Matérias

Slayer: Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismoSlayer
Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismo

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1988


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

Goo336x280