Supergrass

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Biografia originalmente publicada no site Dying Days

Fotos de Infância: Bon Scott, do AC/DCUltraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones

Por Alexandre Luzardo

O Supergrass é mais caso de banda inglesa que saiu de forma muito rápida do circuito independente para o sucesso internacional na casa dos milhões de cópias vendidas, no auge do turbilhão do britpop. Hoje em dia, com uma carreira consolidada, a cada novo disco a banda reafirma o seu talento com um trabalho único e sem similares na atualidade, provando que o sucesso conquistado desde os tempos de "Alright" não foi uma mera casualidade fortuita de one-hit-wonder.

A formação da banda se deu por volta de 1994, por Gary Coombes no vocal e guitarra, Mickey Quinn no baixo e Danny Goffey na bateria. Antes disso, Goofey e Coombes já haviam tocado juntos na banda Jennifers. O som era praticamente clonado do Ride, e os Jennifers chegaram a lançar um single pela gravadora Nude Records (a mesma do Suede). No entanto, a história do Jennifers não vai longe, e logo Coombes, Goffey e Quinn acabam tomando um outro rumo, formando uma nova banda. As influências mais evidentes do novo projeto eram as bandas inglesas dos anos 60, adicionando um vigor, entusiasmo e energia punk de bandas tão díspares como Pixies e Buzzcocks.

A nova banda evoluiu rápido e em pouco tempo eles já se apresentavam ao vivo em sets de meia-hora. O primeiro lançamento do Supergrass é o single "Caught By The Fuzz", hoje em dia clássico do britpop, que conta a historinha meio autobiográfica do sujeito sendo detido pela polícia aos 15 anos por porte de maconha. O single foi lançado pela gravadora independente Backbeat, no verão inglês de 1994.

Eram apenas 250 cópias, mas o single fez barulho. A Parlophone, do gigante grupo EMI contratou a gurizada e relançou o "Caught By The Fuzz" em outubro. Desta vez, o single beliscou o top 40 britânico (nr. 42) e rendeu rasgados elogios da sempre entusiasta mídia inglesa, além de comentários positivos do pessoal do Blur e Elastica. A partir daí as coisas começam a andar rápido, shows de abertura para o Blur, música inédita no então lendário singles club da Sub Pop e disco de estréia pronto para ser lançado no ano seguinte.

"I Should Coco", disco de estréia da banda chega as lojas em maio de 1995 e não demora a alcançar o topo da parada inglesa. A responsável pela façanha é a bobinha porém divertidíssima "Alright", o hit do verão daquele ano. O ensolarado videoclip, gravado na bucólica cidade de Portmeiron ajudou a banda a ficar conhecida no resto do mundo. Mais dois singles, a balada "Time" e a elétrica "Lenny" estabecelem o Supergrass entre os grandes na Inglaterra.

Depois de grande turnê mundial de "I Should Coco", que inclusive passou pelo Brasil no Hollywood Rock de 96, a banda só retornaria com disco novo em 1997. Nessa época surge uma história curiosa, até hoje não confirmada na sua veracidade e tem tudo para ganhar o status de lenda do rock da última década: inspirado pelo videoclip de "Alright", Steven Spielberg propôs ao Supergrass a criação de um seriado de TV estrelado pela banda, inspirado no Monkees. A banda teria declinado do convite porque as gravações de um seriado iriam atrasar o lançamento de seu segundo álbum, e então projeto foi abandonado.

"In It For The Money", repetiu o sucesso de seu predecessor ao chegar ao segundo lugar na Inglaterra, com vendas na casa do milhão de cópias. Em seu segundo álbum, o Supergrass mantém o entusiasmo e o despojamento de sempre, mas é um disco menos 'dedos na tomada' que "I Should Coco", além de mostrar um evidente refinamento em arranjos mais detalhados. No entanto, fora da Inglaterra a banda não manteve o mesmo destaque, tendo seu público reduzido a ponto do Supergrass não ser mais uma banda de massa, mas sim uma banda cult. "Richard III" e "Sun Hits the Sky" foram os hits de "In It For The Money".

Sem muitos sobressaltos, a banda retornaria em 1999 com um disco auto-intitulado, que ficou conhecido entre os fãs como "X-Ray Album" por motivos óbvios, é só dar uma conferida na capa do disco. Embora seguisse a mesma linha do disco anterior, alguns críticos consideraram "Supergrass" (o álbum) mais relaxado, talvez mais preguiçoso que o disco anterior, ficando um pouco abaixo das expectativas. Mesmo contando com um single poderoso, "Pumping On Your Stereo", o disco já não repetiu a mesma vendagem na Inglaterra e foi pouco notado em outros países.

Mas a banda seguiu em frente e chegou ao seu quarto álbum em "Life At Other Planets", talvez o disco mais audacioso da banda até então. O disco foi muito bem recebido pela crítica, restabelecendo a credibilidade e o respeito ao trabalho da banda. No entanto, mesmo com o sucesso do single "Grace", foi o pior desempenho entre os discos do Supergrass nas paradas, atingindo apenas o 9º lugar na Inglaterra.

Em "Life On Other Planets" o Supergrass amplia o seu vasto caldeirão de referências musicais dos anos 60 mantendo a sua própria identidade e sem perder o bom humor, no disco cabe até uma debochada presença de Elvis, além de maneirismos que relembram de forma bem humorada o glam do T-Rex ou o escracho do Spinal Tap. Tudo isso com excelentes arranjos que não perdem contato com a sonoridade que é o "berço" do Supergrass: Beatles, Who, Kinks, Stones.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Fotos de Infância: Bon Scott, do AC/DCFotos de Infância
Bon Scott, do AC/DC

Ultraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos StonesUltraje a Rigor
Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones


adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin