Tradução - Tyranny Of Souls - Bruce Dickinson

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Tradução - Tyranny Of Souls - Bruce Dickinson

Traduzido por

  | Comentários:
Imagem

Fonte: Heavy Metal Lyrics

MARS WITHIN (INTRO)

(Instrumental)

MARTE INTERIOR (INTRODUÇÃO)

(Instrumental)

ABDUCTION

I wake in sweat
You've come to steal my life away
Some strange electric glow
Of artificial day
The power breakers close
The grid of darkness falls
Shining gleaming black as night
Burning all the light

What do you want from me?
I sense your mastery
There's something you won't ever find
So have your way with me
This prisoner is never free
Rip me up, leave me behind

Are you the truth
To sit in judgement on my sins
Evil laser gadgets
Come to penetrate my skin
The hanging judge is open
And I'm damned before his eyes
Another Genesis that failed
How many more have tried?

And so the story goes
I dreamt this long ago
Highways hidden in the sands
Reveal the truths I know
They took my worthless heart
And spat it through their eyes
Abduction means the end for me
A million years of misery

ABDUÇÃO

Eu acordo suado
Você veio para levar minha vida embora
Um brilho elétrico estranho
De um dia artificial
Os disjuntores desligam
A escuridão cai
Um lampejo brilhante negro como a noite
Queimando todas as luzes

O que você quer de mim?
Eu sinto o seu domínio
Há algo que você nunca encontrará
Então sacie-se comigo
Este prisioneiro nunca se libertará
Corte-me, deixe-me para trás

Você é a verdade
Para o julgamento de meus pecados?
Lasers malignos
Vêm penetrar minha pele
O juiz do enforcamento está observando
E eu sou amaldiçoado diante de seus olhos
Outro Gênese que falhou
Quantos mais tentaram?

E assim a história continua
Eu sonhei com isso há muito tempo
Estradas escondidas nas areias
Revelam a verdade que eu conheço
Eles levaram meu coração imprestável
E o esmagaram com seus olhos
Abdução significa o fim para mim
Um milhão de anos de mistério.

SOUL INTRUDERS

We ride the cosmic streams of time
We are the fools who came to trust
We blind the eyes of history
We tear ourselves down from your cross

Half lives, we live again
Half lives, now we are one

We’re the soul intruders
And the whirling void of night
We’re the soul intruders
And we're crying for the light
We’re the soul intruders
With no live of our own
I’m a sole survivor
But who sits on my throne?

Solar winds have taken hold
Blowing us where we do not know
Existence silent and unknown
Father son and viral host

Half lives, eat but never kill
Half lives, we live as well

INVASORES DE ALMAS

Nós andamos nos fluxos cósmicos do tempo
Nós somos os tolos que vieram acreditar
Nós cegamos os olhos da história
Nós nos desprendemos de sua cruz

Vidas pela metade, nós vivemos novamente
Vidas pela metade, agora nós somos um

Nós somos os invasores de almas
E o rodopio do vazio da noite
Nós somos os invasores de almas
E estamos clamando pela luz
Nós somos os invasores de almas
Sem uma vida própria
Eu sou o único sobrevivente
Mas quem senta em meu trono?

Os ventos solares tomaram conta
Soprando-nos para onde não conhecemos
Existência silenciosa e desconhecida
Pai, filho e vírus hospedeiro

Vidas pela metade, coma mas nunca mate
Vidas pela metade, nós também vivemos

KILL DEVIL HILL

Blood brothers of angels now hear us
We earthbound your offspring
Don't fear us
God willing, will rise up
Be near you
So open your arms now and take us

So we’re breathing our dreams
Like the Icarus of old
The plans we made for the bold
In the blue wide beyond
There’s nowhere to hide
There's no going back now

As the wind whips over the hillside
Twenty knots over Kill Devil Hill
Steady wind blows over the sands
Twenty knots over Kill Devil Hill
As the breeze whips straight as an arrow
Let her go over Kill Devil Hill
Gasoline and wind in the wires
Kill Devil Hill and the way to the stars

We stand on this seashore and wonder
What madness, what secrets we plunder
All failure we learn from, discovery

The wreckage of heaven lies on the sand
First chances abandoned
With wood string and wire
We can barely control our desire
For destiny’s arrows

KILL DEVIL HILL

Irmãos de sangue de anjos, agora nos ouçam
Nós tornamos sua prole terrestre
Não nos tema
Se Deus quiser, nos ergueremos
Ficaremos próximos a vocês
Então abra seus braços agora e nos receba

Então estamos respirando nossos sonhos
Como o Ícaro de antigamente
Os planos que traçamos para os corajosos
No grande azul acolá
Não há onde se esconder
Não há como voltar agora

Enquanto o vento bate na encosta
Vinte nós sobre Kill Devil Hill
Ventos calmos sopram sobre as areias
Vinte nós sobre Kill Devil Hill
Enquanto a brisa açoita como uma flecha
Deixe-a passar sobre Kill Devil Hill
Gasolina e vento nos rastilhos
Kill Devil Hill e o caminho às estrelas

Em pé nesta praia, nós imaginamos
Que loucura, que segredos nós roubamos
Aprendemos com todos os erros, descoberta

Os destroços do céu jazem na areia
As primeiras chances abandonadas
Com madeira, fios e arames
Mal podemos controlar nosso desejo
Pelas flechas do destino

* Kill Devil Hill é uma cidadezinha litorânea localizada no estado da Carolina do Norte. Foi onde os Irmãos Wright realizaram seu primeiro vôo, em dezembro de 1903. Por conta disso alguns países, principalmente os Estados Unidos, reconhecem para os Irmãos Wright o sucesso do primeiro vôo da história, contestando o pioneirismo de Santos Dumont.

NAVIGATE THE SEAS OF THE SUN

Distant earthrise long ago
Lingers at the borders of our minds
Mysteries spinning in the dark
In the frozen emptiness of time
We were lost and we never knew
Who we were or what we left behind
Living half lives we were blind
To the new frontiers
That opened up our eyes

To find our minds were spinning
Souls entwined in a spiral dance
The ancient ways have found us, again
To give us one last chance

Living in this place
Staring into space we find
We might share
The corners of our lives
Infinity runs deep
Eternity that we can keep
Melting through
The frozen wastes of time

So we go and we'll not return
To navigate the seas of the sun
Our children will go on and on
To navigate the seas of the sun

We can go on tomorrow
Living death by gravity
Couldn't stand it anymore
We'll sail our ships to distant shores

Purple gold and blue
Living colors every hue
Flowers in the garden of the gods
No one can ever know
If you never saw them grow
This darkness is really full of light

Well beyond the Earth
Beyond all things that gave us birth
We'll navigate the seas of the sun
If God is throwing dice
And Einstein doesn't mind the chance
We'll navigate the seas of the sun
Infinity runs deep
Eternity that we can’t keep
We'll navigate the seas of the sun
Flowers of our souls
Purple blue and gold we'll find
To navigate the seas of the sun
So we know who we are
Even in this frozen waste
We'll navigate the seas of the sun

NAVEGAR OS MARES DO SOL

O distante nascer da Terra há muito tempo
Mora nas fronteiras de nossas mentes
Mistérios girando no escuro
No vazio congelado do tempo
Estávamos perdidos e não sabíamos
Quem éramos ou o que deixamos para trás
Vivendo vidas pela metade, estávamos cegos
Às novas fronteiras
Que se abriam aos nossos olhos

Para encontrar nossas mentes onde
Almas entrelaçavam-se numa dança espiral
Os modos antigos nos encontraram, de novo
Para dar-nos uma última chance

Vivendo neste lugar
Olhando para o espaço, nós percebemos
Que podemos compartilhar
Os segredos de nossas vidas
O infinito corre profundamente
A eternidade que podemos guardar
Derretendo através
Dos ermos congelados do tempo

Então nós partimos e não retornaremos
Navegar os mares do sol
Nossos filhos continuarão a
Navegar os mares do sol

Nós podemos continuar amanhã
Vivendo a morte na gravidade
Não poderíamos mais suportar
Navegaremos para praias distantes

Roxo, dourado e azul
Cores vivas de todos os tons
Flores nos jardins dos deuses
Ninguém jamais poderá saber (que)
Se você as vir crescer
Esta escuridão é realmente cheia de luz

Bem além da Terra
Além das coisas que nos deram à vida
Nós navegaremos nos mares do sol
Se Deus está rolando os dados
E Einstein não liga para a probabilidade
Nós navegaremos nos mares do sol
O infinito corre profundamente
A eternidade que não podemos guardar
Navegaremos nos mares do sol
Flores de nossas almas
Roxo, azul e dourado encontraremos
Ao navegar os mares do sol
Então saberemos quem somos
Mesmo nestes ermos congelados
Nós navegaremos nos mares do sol

RIVER OF NO RETURN

Break the bread and drink the wine
Seize the chalice, suck the poison vine
There is frost in every sunbeam
Water flows, from the earth to sky
Looking down on every rose
Nothing moves the wheel of heaven turns
As our fingers leave their trace
We are gods in a world
We dared embrace

Now we're lost, you can’t disguise
The river of no return
Now it’s gone, you realize
The river of no return

Growing embers of our ancient lives
We struggle hard
We live to turn the tide
Living longer in the astral waste
We stare each other
We look death in the face
All my life, in front of you
Lonely secrets hidden from your view
Now we orbit a different sun
For eternity
Doomed to tell no one

Now I’m truly all alone
Canyon walls and the river of no return
I’m amazed at what I am
I’ve never knew, the feelings I ignored

And the anguish drives me on
I wish I could return
All the love, that washed away
Down the river of no return

O RIO SEM VOLTA

Parta o pão e beba o vinho
Pegue o cálice, sugue o vinho envenenado
Há frieza em cada raio solar
Água flui, da terra ao céu
Olhando sobre todas as rosas
Nada se move, a roda do paraíso gira
Enquanto nossos dedos deixam o rastro
Somos deuses em um mundo
Que ousamos adotar

Agora estamos perdidos, não pode disfarçar
O rio sem volta
Agora se foi, perceba
O rio sem volta

Criando brasas de nossas vidas passadas
Nós lutamos bravamente
Vivemos para virar a maré
Tendo vida mais longa no ermo astral
Nós olhamos uns para os outros
Nós encaramos a morte
Toda a minha vida, na sua frente
Segredos solitários ocultos de sua visão.
Agora orbitamos um sol diferente
Por toda a eternidade
Condenados a não contar a ninguém

Agora estou realmente sozinho
As paredes do cânion e o rio sem volta
Estou surpreso pelo que sou
Eu nunca conheci, os sentimentos que ignorei

E a angústia me conduz
Eu gostaria de poder voltar
Todo o amor, que secou
Descendo o rio sem volta

POWER OF THE SUN

Is this a citadel
Is this a prison cell?
Who sits at my right hand
Who's watching me now?
Who's made us live this way
When do I get my say
Automation turns us into human beings now

Tripping over faces
Humanity has fallen
Huddled into doorways
On the streets at dawn

The power of the sun
Keeps us moving on
Spinning ever faster
The city never sleeps
The echoes of the footfalls
Already in the past

Every dawn arrives
The gathering of the tribes
Shattered waves of people
Breaking over city walls
Never out of touch
But always on your own
Trapped inside the logic
Of your own communication zone

What deals have been made
Who's under the gun
Stay one step ahead
Of the next in line

The cameras never lie
The ghost of you and I
Already in the past
Inside a picture frame
We'll vanish once again
Now the dawn is coming fast

PODER DO SOL

Isto é uma fortaleza
Ou uma cela de prisão?
Quem senta ao meu lado direito?
Quem está me observando agora?
Quem nos fez viver deste jeito?
Quando chega a hora da minha fala?
Automação nos torna seres humanos agora

Viajando sobre rostos
A humanidade caiu
Amontoada em portais
Nas ruas ao amanhecer

O poder do sol
Mantém-nos em movimento
Girando cada vez mais rápido
A cidade nunca dorme
Os ecos dos passos
Que já estão no passado

Todo nascer do sol chega
A junção das tribos
Ondas sucessivas de pessoas
Atingindo as paredes da cidade
Nunca fora de alcance
Mas sempre por conta própria
Preso dentro da lógica
De nossa própria zona de comunicação

Que acordos foram feitos?
Quem está sob a mira da arma?
Fique um passo à frente
Do próximo da fila

As câmeras nunca mentem
O fantasma de nós dois
Já está no passado
Dentro de um porta-retratos
Nós desapareceremos mais uma vez
Agora o amanhecer chega rapidamente

DEVIL ON A HOG

You wanna know where legends live?
At the rainbows end I’ll be there
There’s a place in inner space
That’s where I get to you
I’m not the shy retiring kind
I’m like a supernova for the blind
I used to sit at God’s right hand
But I quit that show
To do my one night stands…

Coming outta nowhere
I’m a godhead rider
You won’t see my face no more
My machine has left the floor.
Leave my rivals in the dirt
I seen your world and I got the shirt
Before I leave and go my way
I loved it but I couldn’t stay
There’s nothing there for you to feel
Just remember me

You might see me in Tokyo
To the rings of Saturn hey… let’s go
And you can trip all the lights with me
But your one time chance is never free
I’ll see you baby once again
Maybe three score years and then
I’ll be driving a different ship
That when I’ll take you down
For your final trip

DEMÔNIO SOBRE UM PORCO

Você quer saber onde as lendas vivem?
No final do arco-íris, eu estarei lá
Há um lugar no espaço interior
E é lá que eu te alcançarei
Eu não sou do tipo tímido e acanhado
Eu sou como uma supernova para os cegos
Eu costumava sentar à direita de Deus
Mas eu desisti daquele programa
Para ter minha noite de aventuras...

Saindo de lugar algum
Eu sou um cavaleiro divino
Você não mais verá meu rosto
Minha máquina saiu do chão
Deixou meus rivais na poeira
Eu vi seu mundo e comprei a camisa
Antes de partir e seguir meu caminho
Eu adorei, mas não pude ficar
Não há nada o que sentir por lá
Apenas lembre-se de mim

Você pode me ver em Tóquio
Até os anéis de Saturno... vamos lá!
Você pode viajar por todas as luzes comigo
Mas a sua chance única, nunca estará livre
Eu a verei mais uma vez
Talvez mais três anos e então
Eu estarei pilotando uma outra nave
E então eu a levarei
Para a sua viagem final

BELIEVIL

Smoking, resting on its grave
The carcass rusting where it lies
No more truth, no honest games
The serpent writhes within us all
Lava streams of molten flesh
Into their mountain homes retire
Now sleeping eyes of death awake
Your drug of choice
Truth or lie

I believe, you and me
I believe, evil
I believe, you will see
I believe, evil

What does not kill it
Makes it strong
The carcass stirs it will not die
It feeds on you
It feeds on me
I know his name
You know mine too

ACREDITE NO MAL *

Fumando, descansando em sua cova
A carcaça enferrujando onde está
Sem mais verdades, sem jogar limpo
A serpente se contorce dentro de todos nós
Fluxos de lava de carne humana derretida
Dentro de seus retiros nas montanhas
Agora os olhos da morte acordam
Sua droga escolhida
Verdade ou mentira

Eu acredito, em você e em mim
Eu acredito, no mal
Eu acredito, você verá
Eu acredito, no mal

O que não a mata
A torna mais forte
A carcaça se agita, ela não morrerá
Ela se alimenta de você
Ela se alimenta de mim
Eu sei seu nome
Você sabe o meu também

* Believil é um trocadilho entre “believe” (acreditar) e “evil” (mal).

A TYRANNY OF SOULS

When shall we three meet again?
In thunder, lightning or in rain?
When the hurly burly’s done?
When the battle’s lost, not won?

A tyranny of souls
That love has lost
A tyranny of souls
A Pentecost
Speak in tongues of fire
Inflaming our desires
Watching as we die

Who rips the child out from the womb?
Who raise the dagger, who plays the tune?
At the crack of doom on judgment day
No ocean could wash my sins away

A tyranny of souls
That love has lost
A tyranny of souls
A Pentecost
Speaking tongues of fire
Enflaming our desires
Watching as we die
On our own cross
A tyranny of souls

We are the black space
We are the black light
We shine where no others dare
Killing my head with the neon
Suffering my fate for no reason
No is a relative stranger to my life

Deeds of the faithful
Seeds of betrayal
Hammer the nail into my hand
Anger is ruler in my land
I am the killer
Of weakness in my head
We are the black light
We are the black space

UMA TIRANIA DE ALMAS

Quando nós três nos reencontraremos?
No trovão, relâmpago ou na chuva?
Quando a confusão acabar?
Quando a batalha for perdida, não vencida?

Uma tirania de almas
Que o amor perdeu
Uma tirania de almas
Um Pentecostes
Fala em línguas de fogo
Incendiando nossos desejos
Observando-nos enquanto morremos

Quem arranca a criança do útero?
Quem ergue a adaga, quem toca a música?
À beira da danação no dia do juízo final
Nem o oceano poderia lavar meus pecados

Uma tirania de almas
Que o amor perdeu
Uma tirania de almas
Um Pentecostes
Fala em línguas de fogo
Incendiando nossos desejos
Observando-nos enquanto morremos
Em nossa própria cruz
Uma tirania de almas

Nós somos o espaço negro
Nós somos a luz negra
Nós brilhamos onde outros não ousam
Destruindo minha mente com o néon
Sofrendo meu destino sem motivo
Não é um parente estranho à minha vida

Os feitos dos fiéis
Sementes da traição
Martele o prego em minha mão
A ira é o que governa minha terra
Eu sou o assassino
Da fraqueza em minha mente
Nós somos a luz negra
Nós somos o espaço negro





Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Traduções
Todas as matérias sobre "Bruce Dickinson"
Todas as matérias sobre "Iron Maiden"

Iron Maiden: Bruce Dickinson e Aleister Crowley
Iron Maiden: vídeos de Bruce em feira no Chile
Jon Lord: um timaço prestando tributo, veja vídeo
Separados no nascimento: Steve Harris e Bruce Campbell
Rock e metal: o outro lado das capas de discos
Iron Maiden: Steve Harris nunca gostou de "Flight of Icarus"?
1º de abril: Dois primeiros do Maiden serão regravados com Bruce
Bruce Dickinson: 450 mil dólares na maior aeronave do mundo
Iron Maiden: Gastão Moreira repassa as vindas da banda ao Brasil
Bruno Sutter: "Run To The Lepo Lepo" no Motorcycle Rock Cruise
Dj Yahel: Iron Maiden bombando numa Rave
Iron Maiden: fãs de Fortaleza ajudam crianças desnutridas
Iron Maiden: a semelhança com uma capa do Earth Wind & Fire
Bruce Dickinson: cantor pilotará jatinho em maratona beneficente
Guitar World: 10 Álbuns clássicos essenciais do Metal

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas