Tradução - A Farewell To Kings - Rush

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Tradução - A Farewell To Kings - Rush

Traduzido por Marco André Rodrigues

  | Comentários:
Imagem

A presente tradução, gentilmente cedida pelo autor, é originária do site Test For Echo - www.t4e.com.br.

A Farewell To Kings

When they turn the pages of history
When these days have passed long ago
Will they read of us with sadness
For the seeds that we let grow
We turned our gaze
From the castles in the distance
Eyes cast down
On the path of least resistance

Cities full of hatred
Fear and lies
Withered hearts
And cruel, tormented eyes
Scheming demons
Dressed in kingly guise
Beating down the multitude
And scoffing at the wise

The hypocrites are slandering
The sacred halls of Truth
Ancient nobles showering
Their bitterness on youth
Can't we find
The minds that made us strong
Can't we learn
To feel what's right and wrong

Cities full of hatred
Fear and lies
Withered hearts
And cruel, tormented eyes
Scheming demons
Dressed in kingly guise
Beating down the multitude
And scoffing at the wise
Can't we raise our eyes
And make a start
Can't we find the minds
To lead us closer to the Heart

Um Adeus aos Reis

Quando virarem as páginas da história
Quando estes dias já tiverem passado há muito tempo
As pessoas irão ler sobre nós com tristeza
Pelas sementes que deixamos germinar
Nós olhamos pasmados para
Os castelos no passado
Olhos levados
Pelo caminho de menor resistência

Cidades cheias de ódio
Medo e mentiras
Corações reacionários
E olhos cruelmente atormentados
Demônios conspiradores
Vestidos como monarcas
Massacrando a multidão
E zombando dos sábios

Os hipócritas estão difamando
As salas sagradas da verdade
Nobres anciões estão descarregando
As suas mágoas na juventude
Será que não podemos encontrar
Os propósitos que nos ensinaram a ser fortes
Será que não podemos aprender
O que é certo ou errado?

Cidades cheias de ódio
Medo e mentiras
Corações murchos
E olhos cruelmente atormentados
Demônios intrigantes
Vestidos como monarcas
Massacrando a multidão
E zombando dos sábios
Será que não podemos olhar para frente
E recomeçar?
Será que não podemos encontrar propósitos
Que nos levem mais próximos ao coração?

Xanadu

"To seek the sacred river Alph
To walk the caves of ice
To break my fast on honey dew
And drink the milk of Paradise..."

I had heard the whispered tales
Of immortality
The deepest mystery
From an ancient book. I took a clue
I scaled the frozen mountain tops
Of eastern lands unknown
Time and Man alone
Searching for the lost --- Xanadu

Xanadu
To stand within The Pleasure Dome
Decreed by Kubla Khan
To taste anew the fruits of life
The last immortal man
To find the sacred river Alph
To walk the caves of ice
Oh, I will dine on honey dew
And drink the milk of Paradise

A thousand years have come and gone
But time has passed me by
Stars stopped in the sky
Frozen in an everlasting view
Waiting for the world to end
Weary of the night
Praying for the light
Prison of the lost --- Xanadu

Xanadu
Held within The Pleasure Dome
Decreed by Kubla Khan
To taste my bitter triumph
As a mad immortal man
Nevermore shall I return
Escape these caves of ice
For I have dined on honey dew
And drunk the milk of Paradise

Xanadu *

“Procurar o Sagrado Rio Alph
E andar pelas cavernas de gelo
Quebrar meu jejum sobre a doçura do orvalho
E beber o leite do paraíso"

Eu ouvi histórias secretas
Sobre a imortalidade
O mais profundo mistério
De um livro antigo eu tirei a pista
Eu escalei o topo de montanhas geladas
De terras desconhecidas no oriente
Tempo e Homem sozinhos
A procura do perdido – Xanadu

Xanadu
Parar dentro da Câmara do Prazer
Nomeada por Kubla Kahn
Saborear novamente as frutas da vida
Como o último homem imortal
Encontrar o sagrado Rio Alph
E andar nas cavernas de gelo
Eu vou cear na doçura do orvalho
E beber o leite do paraíso

Mil anos vieram e passaram
Mas o tempo me esqueceu
As estrelas pararam no céu
Congeladas numa visão perpétua
Esperando pelo fim do mundo
Cansado da noite
E rezando pela luz
Prisão dos perdidos – Xanadu

Xanadu
Retido na Câmara do Prazer
Nomeada por Kubla Kahn
Saborear meu amargo triunfo
Como um louco homem imortal
Nunca mais devo retornar
Escapar dessas cavernas de gelo
Para cear na doçura do orvalho
E beber o leite do paraíso

* Xanadu é inspirada no poema Kubla Khan, de Samuel Taylor Coleridge (fonte: Rush FAQ).

Closer to the Heart

And the men who hold high places
Must be the ones to start
To mould a new reality
Closer to the Heart

The Blacksmith and the Artist
Reflect it in their art
Forge their creativity
Closer to the Heart

Philosophers and Ploughmen
Each must know his part
To sow a new mentality
Closer to the Heart

You can be the Captain
I will draw the Chart
Sailing into destiny
Closer to the Heart

Mais Próximo do Coração

E aqueles que ocupam altos cargos
Devem ser os que devem começar
A moldar uma nova realidade
Mais próxima do coração

O ferreiro e o artista
Refletidos em sua arte
Forjam sua criatividade
Mais próxima do coração

Os filósofos e os agricultores
Cada um deve fazer a sua parte
Para montarmos uma nova realidade
Mais próxima do coração

Você pode ser o capitão
E eu traçarei o mapa
Para velejarmos a um destino
Mais próximo do coração

Cinderella Man

A modest man from Mandrake
Traveled rich to the city
He had a need to discover
A use for his newly-found wealth

Because he was human
Because he had goodness
Because he was moral
They called him insane

Delusions of grandeur
Visions of splendour
A manic depressive
He walks in the rain

Eyes wide open
Heart undefended
Innocence untarnished

Cinderella Man
Doing what you can
They can't understand
What it means

Cinderella Man
Hang on to your plans
Try as they might
They cannot steal your dreams

In the betrayal of his love he awakened
To face a world of cold reality
And a look in the eyes of the hungry
Awakened him to what he could do

He held up his riches
To challenge the hungry
Purposeful motion
For one so insane

They tried to fight him
Just couldn't beat him
This manic depressive
Who walks in the rain

Homem Cinderela *

Um homem modesto de Mandrágora **
Viajou para a cidade depois de enriquecer
Ele tinha necessidade de descobrir
Alguma utilidade para a sua nova riqueza

Porque ele era humano
Porque ele era bondoso
Porque ele tinha moral
As pessoas o tachavam de louco

Desilusões de grandeza
Visões de esplendor
Um maníaco depressivo
Ele anda na chuva

De olhos bem abertos
E coração indefeso
Inocência desfigurada

Homem Cinderela
Mesmo fazendo o que você puder
Eles não podem entender
O que isso significa

Homem Cinderela
Não desista dos seus planos
Por mais que eles tentem
Eles não podem acabar com seus sonhos

Na traição do seu amor ele acordou
Para encarar um mundo gélido
E um olhar nos olhos da fome
Despertaram-no para o que ele poderia fazer.

Ele impediu os ricos
De prejudicarem os pobres
Ação significativa
Para alguém tão "louco"

Eles tentaram enfrentá-lo
Mas não conseguiram abatê-lo
Este maníaco depressivo
Que caminha na chuva

* Letra baseada no filme Mr. Deeds Goes To Town, estrelado por Gary Cooper. Geddy Lee afirma que a letra seria autobiográfica (fonte: Rush FAQ e revista RUSH, dos anos 80).

** Gênero de plantas muito usada antigamente na feitiçaria (fonte: Dicionário Oxford, 1994)

Madrigal

When the dragons grow too mighty
To slay with pen or sword
I grow weary of the battle
And the storm I walk toward
When all around is madness
And there's no safe port in view
I long to turn my path homeward
To stop awhile with you

When life becomes so barren
And as cold as winter skies
There's a beacon in the darkness
In a distant pair of eyes
In vain to search for order
In vain to search for truth
But these things can still be given
Your love has shown me proof

Madrigal *

Quando os dragões crescem fortes
Para matarem com a pena ou a espada
Eu vou ficando cansado da batalha
E ando de encontro à tempestade
Quando tudo ao redor é loucura
E não existe salvação à vista
Eu espero voltar para casa
E ficar um tempo com você

Quando a vida se torna tão insuportável
E tão fria quanto os céus de inverno
Há uma luz na escuridão
Que emana de um distante par de olhos
Que em vão procura por ordem
Que em vão procura por verdade
Mas estas coisas ainda podem ser compartilhadas
E o seu amor já me deu provas disto

*Poesia pastoril ou composição poético-musical do século XIV (fontes:Dicionário Cambridge Unabridged, 1981, e Dicionário Eletrônico Aurélio).

Cygnus X-1

Book One --- The Voyage
Prologue

ôIn the constellation of Cygnus
There lurks a mysterious, invisible force
The Black Hole
Of Cygnus X-1

Six Stars of the Northern Cross
In mourning for their sister's loss
In a final flash of glory
Nevermore to grace the night...ö

1

Invisible
To telescopic eye
Infinity
The star that would not die

All who dare
To cross her course
Are swallowed by
A fearsome force

Through the void
To be destroyed
Or is there something more?
Atomized --- at the core
Or through the Astral Door ---
To soar...

2

I set a course just east of Lyra
And northwest of Pegasus
Flew into the light of Deneb
Sailed across the Milky Way

On my ship, the 'Rocinante'
Wheeling through the galaxies,
Headed for the heart of Cygnus
Headlong into mystery

The x-ray is her siren song
My ship cannot resist her long
Nearer to my deadly goal
Until the Black Hole ---
Gains control...

3

Spinning, whirling
Still descending
Like a spiral sea
Unending

Sound and fury
Drowns my heart
Every nerve
Is torn apart...

To be continued

Cygnus X-1 *

Livro Um -- A viagem
Prólogo

"Na constelação de Cygnus
Há uma misteriosa força invisível a espreita
O Buraco Negro
De Cygnus X-1

Seis estrelas do Cruzeiro do Norte
Opacas pela perda de suas outras irmãs
Em um brilho final de glória
Para nunca mais encantar a noite..."

1

Invisível
Para a visão do telescópio
Infinita
A estrela que nunca irá morrer

Todos que se atrevem
A atravessar o seu curso
São engolidos por
Uma forta medonha

São sugados pelo vácuo
Para serem destruídos
Ou é algo além disto?
Pulverizados -- no núcleo
Ou pelo Portal Astral --
Em pleno vôo

2

Eu tracei meu curso ao leste de Lira
E ao nordeste de Pégasus
Voei na luz de Deneb
E passei pela Via Láctea

Na minha nave, a "Rocinante**"
Rondando pelas galáxias
Rumei ao coração de Cygnus
De qualquer maneira para dentro do mistério

O raio-x é a sua canção sedutora
Minha espaçonave não pode resistir muito tempo
Mais próximo ao meu objetivo mortal
Até o Buraco Negro --
Ganhar força...

3

Girando, rodopiando
Ainda caindo
Como num oceano profundo
E sem fim

Som e fúria
Afogam meu coração
Cada nervo
É rasgado...

A continuar

* Nome dado a uma fonte de Raios-X na constelação de Cygnus. Acreditam tratar-se de um buraco negro (fonte: Rush FAQ).

** Na mitologia grega, é o nome do cavalo de Zeus. Era o nome do trailer Travels With Charlie, de Steinbeck. Também era o nome do cavalo de Don Quixote (fonte: Rush FAQ).






Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Traduções
Todas as matérias sobre "Rush"

Mais capas de álbuns: a história do rock no Google Street View
Rush: assista trailer da versão "ReDISCovered" do primeiro álbum
Rush: planejando turnê de aniversário para 2015
Rush: Peart comenta o lançamento de "Ghost Rider" no Brasil
Rush: Belas-Letras lançará no Brasil outro livro de Neil Peart
Rush: Alex Lifeson em solo de guitarrista do Porcupine Tree
Em 15/02/1975: Rush lança o clássico Fly By Night
Rush: o discurso mais criativo e engraçado da música
Rush: festa de lançamento do livro de Neil Peart em São Paulo
Rush: "Working Man" em institucional do Walmart
Separados no nascimento: Neil Peart e Tom Hanks
Rush: livro de Neil Peart já em pré-venda no Brasil
Rush: Letícia Santos, aos 11 anos, impressiona tocando Tom Sawyer
Rush: edição de 40º aniversário de álbum de estreia ano que vem
Rush: "Clockwork Angels" vai virar história em quadrinhos

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Marco André Rodrigues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados.

Caso seja o autor, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas