The German Panzer: Uma boa pedida para os fãs de música pesada

Resenha - Send Them All To Hell - German Panzer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Felipe Holanda
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
O CD gravado pela Nuclear Blast gerou certa polêmica aqui no Brasil pelo fato do nome já ser utilizado por outra banda, o Panzer, na ativa desde 1991. Todavia, o projeto dos lendários Schmier (voz e baixo, “Destruction”), Herman Frank (guitarra, “Accept”) e Stefan Schwarzmann (bateria, “Accept”) mudou de nome para “The German Panzer” e tem muita qualidade.
UDO: Lá e de volta uma última vezGuitar World: melhores solos de guitarra de todos os tempos

Claramente, os músicos alemães trouxeram vertentes de suas bandas para o projeto. Os timbres tradicionais do “Accept” e os riffs rasgados do “Destruction”. Porém, são apenas semelhanças. O som é menos veloz e melódico que os trabalhos de outrora. A maioria das composições são da autoria de Herman Frank.

Logo no início, “Death Kneel” é um verdadeiro petardo, que podia abrir qualquer grande álbum de Heavy Metal. Solos chamativos de guitarra e uma boa letra narrada por Schimier. Destaque para o refrão, muito bem construído e daqueles que grudam na cabeça.

A música homônima ao projeto tem uma levada que flerta com o metal industrial. Riffs e dedilhados revezando entre arranjos e melodias. Um refrão bem arrastado e nítido para não deixar uma dúvida sequer. Mesmo cadenciada, “Panzer” é uma grande faixa e está à altura do projeto.

“Freakshow” já começa a mais de mil por hora. Com uma bateria bastante rápida de Stefan somada a solos nas seis cordas de Herman. Bastante peso do começo ao fim, uma faixa daquelas para balançar a cabeça sem parar. Na minha opinião, uma das melhores de todo o álbum.

“Mr. Nobrain” é , sem sombra de dúvidas, aquela que mais se destaca. Seja pela letra muito bem escrita, ou pelas levadas precisas de guitarra, baixo e bateria. Na sequência, um belíssimo refrão que não sai da cabeça nem por decreto. Uma grande música e pesada até o cérebro!

Às vezes, as músicas têm alguma semelhança com o som do Judas Priest. A influência é clara logo no começo de “Roll The Dice”, que parece bastante com as linhas de guitarra de “The Hellion/Eletric Eye”. Mesmo assim, trata-se de uma música de qualidade, com um belo riff e boas estrofes.

Na última track, muito Thrash Metal, mas um pouco cadenciado. “Bleed for your Sins” traz a tona uma grande virtude da banda: misturar as influências de cada e ir de encontro à perfeição. A canção é boa o suficiente para integrar qualquer grande álbum de Heavy Metal, novamente com Frank se destacando nas guitarras. Que solo!

Destaque para as seis cordas seja nas bases ou nos solos, com timbres realmente bons. Aliás, a guitarras é o ponto forte do disco, com uma pegada muito instigada e uma palhetada precisa.

Na cozinha, Schimier faz o básico com maestria e Stefan carrega todo o peso nas costas. De fato, o álbum não traz muita coisa nova, mas é uma boa pedida para os fãs de música pesada.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Top 20
Discos recentes de bandas clássicas tão bons quanto os antigos

UDO: Lá e de volta uma última vezAccept: o melhor material ao vivo de sua carreiraTodas as matérias e notícias sobre "Accept"

Alemanha
As dez maiores bandas de Metal do país

Baladas do Metal
Blog elege as mais bonitas de todos os tempos

Speed Clothes
Roupas de banho trues para musas headbangers

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "German Panzer"Todas as matérias sobre "Accept"

Guitar World
Os melhores solos de guitarra de todos os tempos

Corey Taylor
Não podíamos trabalhar junto com Jordison

Slayer
Assassino do pai culpa a banda e assume morte de Jeff

Beatles: por que Tolkien vetou a versão de Senhor dos Anéis?Capas Assustadoras: Loudwire elege as Top 10 do MetalRandy Rhoads: "devastado" quando viu Van Halen na guitarraCatarina Migliorini: virgem gosta de Led, Purple, Sabbath e FloydAC/DC: Axl Rose conta como foi escolhido e fala dos ensaios

Sobre Felipe Holanda

Futuro jornalista recifense, baixista e apaixonado por heavy metal.

Mais matérias de Felipe Holanda no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online