Sepultura: Reunião? "Machine Messiah" diz "não!"

Resenha - Machine Messiah - Sepultura

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Júnior Ramalho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Quando falamos em sepultura, na atualidade, não existe consenso sobre praticamente nada. Não será diferente com o décimo quarto álbum da banda, Machine Messiah. Material extremamente aguardado pelos fãs da banda, e por que não dos fãs de rock em geral.

Viking Metal: Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!Postura: 12 coisas que você nunca deve dizer a um músico

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sim, Machine Messiah tem potencial para atingir não somente os fanáticos adeptos do Thrash e Groove metal e seus derivados. Sepultura com seu novo 'filho' vai muito além disso, ousou se aventurar nas vertentes do progressivo, isso expande consideravelmente o campo crítico a respeito do álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Algumas críticas lidas a respeito do assunto, foram construídas com base em 'frustações' por não enxergarem no atual aquilo que conseguiram com álbuns conceituais da banda do final dos anos 80 inicio dos 90, particularmente evito comparar os atuais trabalhos do Sepultura com obras da 'era Cavalera'. Até porque 'Roots' e 'Chaos' vão além de grandes feitos do Sepultura, foram marcantes para todo o mundo do metal, logo devem ficar fora de qualquer tipo de comparação, por serem únicos. E grande parte do sucesso das obras vem de um cara que batalhou arduamente para manter a banda, Andreas Kisser.

Comecemos a crítica por ele, a presença marcante das guitarras nesse álbum faz com que Andreas se entregue por completo ao álbum, solos bem elaborados e sua 'marca registrada': os Riffs pesados e marcantes. Se fosse para resumir o seu desempenho: O melhor Andreas desde Chaos.
Derrick Green, outro integrante da banda que merece destaque. O cara que simplesmente entregou 100% de si em cada composição e 200% na interpretação das mesmas. A 'Torre' se mantém mais firme do que nunca, uma resposta bem dada a aqueles que ainda levantam a bandeira que não existe o Sepultura sem o Max. Derrick sempre esteve lá para mostrar o contrário e Machine Messiah vem para reforçar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro membro que se destaca nessa obra é o Eloy Casagrande, o rapaz simplesmente destruiu sua bateria. Mas ultimamente chamar Eloy de grande músico se tornou pleonasmo.

É complicado destacar algo desse álbum, afinal ele é tão homogêneo, que retirar uma ou mais músicas dele poderia ter um impacto não tão positivo no ouvinte. Contudo, vou destacar estas : Phantom Self; Iceberg Dances e Resistant Parasites. Músicas com claro potencial para se tornarem clássicos da banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Gostaria de fazer uma crítica negativa sobre o álbum, mas felizmente não consegui absorver nada contra o referido. Esse trabalho me envolveu de tal forma que dificilmente consigo ouvi-lo com a intenção de procurar o mínimo deslize (que com certeza existe).

Para aqueles que como alguns ex-membros de bandas consagradas, ainda tende a inclinar para o lado extremista, no qual defende a tese de que não existe Sepultura pós-1996 ou 'forçar' uma reunião de comadre. Respeito a opiniões de vocês, afinal como já dizia o poeta: 'Gosto é igual c... E cada um tem o seu'. A única diferença é que uns o mantém limpo, outros não.

Machine Messiah veio para sepultar (desculpe o trocadilho) quaisquer chances de uma reunião. Muito pelo contrário, Sepultura demonstra sua força como nunca, sem abandonar suas raízes e sem manter o comodismo, que simplesmente colocou diversos músicos brasileiros no ostracismo do cenário do Metal e enterrou suas mais de 500 bandas.

Comente: Depois deste disco, já era uma reunião?


Outras resenhas de Machine Messiah - Sepultura

Sepultura: Após três anos, qual é a impressão que fica?Sepultura
Após três anos, qual é a impressão que fica?

Sepultura: Um trampo de vanguarda na história da bandaSepultura: completamente diferente, sem medo de arriscar!Sepultura: "Machine Messiah" é uma bela obra do gêneroSepultura: Que impacto Machine Messiah terá no metal?

Sepultura: sofisticado, Machine... é um dos melhores da bandaSepultura
Sofisticado, "Machine..." é um dos melhores da banda

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhanteSepultura
Em plena forma e com mais um disco brilhante

Sepultura: Apenas mais um na discografia da bandaSepultura
Apenas mais um na discografia da banda




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sepultura"


Scream Blog Gore: Copa do Brasil - E se os times fossem bandas?Scream Blog Gore
Copa do Brasil - E se os times fossem bandas?

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1991Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1991


Viking Metal: Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!Viking Metal
Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!

Postura: 12 coisas que você nunca deve dizer a um músicoPostura
12 coisas que você nunca deve dizer a um músico


Sobre Júnior Ramalho

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336