Dreamquest: projeto pouco inspirado de Luca Turilli

Resenha - Lost Horizons - Luca Turilli's Dreamquest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 2

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Gostando-se ou não do Rhapsody Of Fire (e devo dizer que eu sou um fã da banda), é inegável o talento de seus dois principais compositores, o guitarrista Luca Turilli e o tecladista Alex Staropoli. As músicas cinematográficas, as letras que mais parecem roteiros de filmes, transformaram a banda italiana em um dos principais nomes da cena metálica na última década, desenvolvendo um estilo único e repleto de personalidade.
Ave, Satan!: As dez melhores músicas sobre o InfernoW. Axl Rose: o som de 25 mil dólares da BMW do vocalista

Não satisfeito com isso, Luca mantém uma carreira solo, onde lançou três discos (“King Of The Nordic Twilight” em 1999, “Prophet Of The Last Eclipse” em 2002 e “The Infinite Wonders Of Creation” em 2006), e agora também deu à luz a um novo projeto, chamado Luca Turilli´s Dreamquest. Haja criatividade …

Em “Lost Horizons”, estréia de seu novo grupo, Turilli não toca guitarra. As seis cordas ficaram a cargo de seu parceiro no Rhapsody Of Fire, Dominique Leurquin. Completam o grupo a vocalista Myst, o polivalente Sascha Paeth no baixo e o baterista Robert Hunecke-Rizzo. E Luca Turilli, você deve estar se perguntando, faz o que? Bem, ele ficou encarregado dos teclados, pianos, sintetizadores e programação dos efeitos eletrônicos.

Antes de começar a analisar o disco, eu vou deixar uma coisa bem clara: não sou daquelas pessoas que acham que o Heavy Metal e a música eletrônica são incompatíveis, muito pelo contrário. Gosto muito de ouvir inovações na música pesada, pensá-las e analisá-las, descobrir o caminho que tomarão no futuro. Mas tudo isso só faz sentido quando vem acompanhado de inspiração e talento, qualidades que, infelizmente, Luca parece ter destinado apenas a sua banda principal.

Sendo assim, ouvir “Lost Horizons” é um martírio. Suas treze faixas unem, em um mesmo caldeirão, Heavy Metal, música clássica, elementos góticos, vocais femininos e batidas eletrônicas dignas dos piores momentos do technopop oitentista. O resultado final é um som chato, sem identidade e repleto de pretensão.

Resumindo: “Lost Horizons” só deve atrair aqueles colecionadores completistas do Rhapsody Of Fire, que querem ter tudo o que a banda e seus integrantes lançam. Se você não for um deles, passe longe.

Faixas:
1. Introspection
2. Virus
3. Dreamquest
4. Black Rose
5. Lost Horizons
6. Sospiro Divino
7. Shades Of Eternity
8. Energy
9. Frozen Star
10. Kyoto´s Romance
11. Too Late
12. Dolphin´s Heart
13. Gothic Vision

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Luca Turilli"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dream Quest"Todas as matérias sobre "Luca Turilli"

Ave, Satan!
As dez melhores músicas sobre o Inferno

W. Axl Rose
O som de 25 mil dólares da BMW do vocalista

Sepultura
Vídeo de Andreas e seu filho tocando "Seek & Destroy"

Bruce Dickinson: ver as Iron Maidens foi uma experiência estranhaSeparados no nascimento: Kirk Hammet e Sky Blu (LMFAO)Rogério Ceni: ele vetou show de rock em sua homenagem no MorumbiThe Beatles: banda foi vetada pela CBF na Copa de 66Broderick: estar no Megadeth é constantemente pesar prós/contrasTestament: só as bandas que lotam estádios estão indo bem

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online