Matérias Mais Lidas

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemBeatles: Paul McCartney conta a história por trás de "Ob-La-Di, Ob-La-Da"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa

imagemRage Against The Machine vem ao Brasil em dezembro, diz José Noberto Flesch

imagemApós viralizar com anúncio, Harppia revela identidade do novo baixista

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemJimmy Page dá opinião sobre streaming e enaltece desconhecido herói dos músicos

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemChad Smith chama matéria sobre Taylor Hawkins de "sensacionalista e enganosa"


Stamp

Between the Buried and Me: um show magnífico ao sopé do apocalipse

Resenha - Between the Buried and Me (Fabrique Club, São Paulo, 15/03/2020)

Por Diego Camara
Em 17/03/20

Neste último domingo, possivelmente ocorreu o último show de heavy metal na cidade de São Paulo em um bom tempo. Com a fila de cancelamentos e adiamentos que estão ocorrendo nos últimos dias, não há rastro possível de um novo espetáculo ocorrendo tão cedo. É fato que a banda já estava em turnê antes de ocorrer a escalada de casos do coronavírus – e por isso especialmente não teve o evento cancelado – mas que bom que não o foi e tivemos a chance de ver um show incrível do início ao fim. Confira abaixo os principais detalhes do espetáculo, com as imagens exclusivas de Fernando Yokota.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Dez minutos antes do início do show, tudo já estava pronto. A equipe técnica sinalizava o final da arrumação do palco para a mesa de som. Tudo estava pronto para o show, e este começou adiantado em sete minutos. A banda subiu ao palco, como que carregados pelos gritos dos fãs, para tocar "Astral Body". O som estava perfeito, todos os instrumentos muito bem equalizados, fazendo um som realmente completo e complexo. Forte, mas sem exageros, enchia os ouvidos do público.

O público do show não era muito grande. É difícil saber se a banda não atraiu muitos fãs ou se muitas pessoas acabaram, por medo ou receio, abortando sua ida ao Fabrique Club para ver o show. Porém, dados shows similares, é difícil imaginar que um público maior não teria ido ao show do Between em características normais.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

A banda lançou música após música, com pouca interação com o público e contando muito com a participação dos fãs. "Lay Your Ghosts" foi a segunda: mais pesada que a abertura, se focou muito fortemente nos vocais guturais de Giles. O público cantou muito junto com ele, em especial nas partes limpas dos vocais. Outros grandes destaques do show foram "The Coma Machine" e "Condemned to the Gallows", onde o público cantou muito e levantou o ânimo do show.

O final do show, porém, foi onde tudo ficou ainda mais animado. A lindíssima introdução de "Mirrors", feita em um som próximo ao acústico, encheu o palco e aqueceu o coração do público. O Between transita muito bem do estilo mais leve para o gutural, com um encanto e uma técnica que fazem com que estejamos vendo um som de nível de gravação ao vivo. Fechando o show, a banda sacou a melódica e exótica "Voice of Tresspass", que realmente fez o público bater cabeça e cantar junto com a banda. O estilo meio boogie e jazz da música faz ela ter um brilho diferente, que encanta os ouvidos da plateia.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

No bis, a banda ainda lançou duas excelentes músicas. O destaque vai para "Selkies", em suas reviravoltas melodiosas e progressivas que fazem dela uma música complexa e cativante.

O resultado do show não poderia ter sido melhor. A banda assumiu um show mesmo em um momento de risco como este, e aceitou o desafio de viajar para levar sua mensagem. Por outro lado, não só o fez, como fez com excelência: a qualidade da produção da banda, sua equipe técnica, a estrutura da Fabrique e a equipe da produtora Powerline mostraram mais uma vez o que é fazer um show de qualidade. Não haveria como esperar algo diferente de uma banda como o Between the Buried and Me.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Setlist:
1. Astral Body
2. Lay Your Ghosts to Rest
3. Mordecai
4. The Coma Machine
5. Condemned to the Gallows
6. Mirrors
7. Obfuscation
8. Voice of Trespass
Bis:
9. Selkies: The Endless Obsession
10. Viridian
11. White Walls

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Equipe da BangerTV elege os melhores lançamentos do metal em 2021Equipe da BangerTV elege os melhores lançamentos do metal em 2021




Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre

Mais matérias de Diego Camara.