Vance Joy: resenha e fotos do show no Rio de Janeiro

Resenha - Vance Joy (Circo Voador, Rio de Janeiro, 06/10/2018)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gabriel von Borell
Enviar Correções  








Fotos: Daiana Carvalho

Neste último sábado (6), o cantor australiano de indie folk Vance Joy se apresentou pela primeira vez no Rio de Janeiro e encantou o público, que encheu o Circo Voador, na Lapa. Trazido ao Brasil pela produtora e plataforma global Queremos!, o artista iniciou seu show às 22h30, sob muitos gritos e aplausos.

Para abrir o repertório, Vance escolheu a tranquila "Call If You Need Me", do seu mais recente álbum, "Nation of Two", lançado no começo deste ano. O show continuou com a contagiante "Mess is Mine", presente no disco de estreia do cantor, "Dream Your Life Away", de 2014.

Visivelmente feliz com a acolhida dos fãs cariocas, o artista parou para interagir com o público. "Vocês estão bem?", perguntou Vance, em português. Em seguida, ele falou do primeiro CD e apresentou a terceira música do repertório: "Like Gold".

Depois, vieram "Take Your Time" e "Fire and the Flood", enquanto Vance admirava com brilho no olhar o retorno dos fãs a cada música. Na hora da bela "I'm With You", os músicos que acompanhavam Vance no palco foram para o backstage e o cantor ficou sozinho, criando um clima mais intimista.

Após a execução de "From Afar", Vance parou novamente para falar com a plateia. "Quando eu estava voando para cá, eu não esperava uma recepção tão calorosa", revelou, fazendo o público explodir em palmas. A banda então retornou para tocar "Bonnie & Clyde".

O setlist seguiu com "Wasted Time" e a ótima "Georgia". Na sequência, Vance aproveitou para apresentar parte dos músicos que vieram ao Brasil com ele. Depois de "We're Going Home", o cantor citou os nomes do restante da banda e puxou, no ukelele, "Saturday Sun", fazendo os fãs cantarem a plenos pulmões.

Vance voltou para o violão em "Lay it on Me" e para fechar a apresentação, por volta de 23h30, ele tocou a animada "Riptide", de novo com o ukelele nas mãos. Apesar do show curto, sem bis, o público estava tão absorvido pelo talento do artista, que parecia não precisar de mais nada. No entanto, tinha algo ainda para ser feito.

Enquanto Vance Joy e sua banda se despediam, os fãs, em véspera das eleições, gritaram em forte coro "Ele Não", em protesto contra os atos fascistas do presidenciável Jair Bolsonaro, que, para boa parte da sociedade brasileira, representa o retrocesso em diversos setores. Prova de que a música está sempre a favor da democracia.

Setlist:

1- "Call If You Need Me"
2- "Mess Is Mine"
3- "Like Gold"
4- "Take Your Time"
5- "Fire and the Flood"
6- "I'm With You"
7- "From Afar"
8- "Bonnie & Clyde"
9- "Wasted Time"
10- "Georgia"
11- "We're Going Home"
12- "Saturday Sun"
13- "Lay It On Me"
14- "Riptide"



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Extremo: algumas bandas que você precisa ouvirMetal Extremo
Algumas bandas que você precisa ouvir

Mini Iron Maiden: tocando Ghost Of The Navigator na escolaMini Iron Maiden
Tocando "Ghost Of The Navigator" na escola


Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.