Foo Fighters: A primeira apresentação da banda em Porto Alegre

Resenha - Foo Fighters (Estacionamento da FIERGS, Porto Alegre, 21/01/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Guilherme Dias
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.




























A primeira passagem do Foo Fighters, como atração principal em território nacional, teve início em Porto Alegre, cidade que nunca haviam tocado antes. O show fez parte da turnê de divulgação do novo trabalho, chamado “Sonic Highways”, lançado no final do ano passado. Junto aos norte-americanos, os britânicos do Kaiser Chiefs também fizeram a sua primeira apresentação na capital gaúcha. Mais de 30 mil pessoas lotaram o Estacionamento da FIERGS, local escolhido para o evento.

Fotos por: Liny Oliveira
facebook/photoslinyoliveira

Ainda era dia quando subiu ao palco, pontualmente às 18 horas e 55 minutos, a banda gaúcha “Comunidade Nin-Jitsu”. A banda liderada por Mano Changes (vocal), não precisou de muito esforço para cativar o público. As clássicas “Detetive”, “Não Aguento Mais”, “Merda de Bar” e “Ah! Eu To Sem Erva” foram um prato cheio para distrair os fãs que estavam chegando aos poucos, principalmente por causa do trânsito que estava muito complicado, e os que já estavam há horas ou há dias na fila para o show.

Marcado para iniciar às 19 horas e 50 minutos, o Kaiser Chiefs cumpriu a ordem e não se atrasou. Continuava dia e a apresentação começou com a música que abre o primeiro disco da banda. “Everyday I Love You Less and Less” do álbum “Employment”. A banda formada por Ricky Wilson (vocal), Andrew White (guitarra), Simon Rix (baixo), Nick Baines (teclado) e o mais novo integrante Vijay Mistry (bateria) mostrou muita energia logo no início, principalmente pela correria de Ricky pelo palco, inclusive jogando o microfone para o alto e puxando o cabo do microfone com força para poder invadir a imensa passarela em frente ao palco carregando-o.

Sem conversa a banda tocou “Everything Is Average Nowadays” e “Ruffians on Parade”, quando Ricky chegou a subir no bumbo da bateria de Vijay. A partir daí começou a interação com público que participou bastante de “Never Miss a Beat”. A atual turnê da banda, apoiando o Foo Fighters, é referente ao seu último trabalho, de 2014. O álbum chamado “”Education, Education, Education & War” recebeu atenção especial com as faixas “Cannon”, a bem cadênciada “Coming Home”e “Misery Company”, além de de “Ruffians on Parade”.

Ricky avisou que uma das músicas não era da banda, mas sim de outro grupo britânico; se tratava de uma ótima versão de “Pinball Wizard”, homenageando o lendário grupo “The Who”. Antes da clássica “Ruby”, um espectador jogou um CD no palco. Interessado no assunto, o frontman mostrou o CD para todo o público e guardou o presente em seguida.

Com muita competência, a banda ainda teve espaço para apresentar “I Predict a Riot” e “Oh My God”, encerrando o show com maestria. Um show de abertura com cara de show próprio, devido à tranquilidade e qualidade dos britânicos no palco.

Já era noite quando após um piscar de luzes, o Foo Fighters timidamente subiu ao palco em silêncio, com um pequeno atraso de 5 minutos. Os fãs, que foram à loucura ao verem Dave Grohl (vocal/ guitarra) e sua turma no palco, só fizeram silêncio após Dave pedi-lo à todos. A calma era devido à cadência de “Something From Nothing”, escolhida para abrir o show (faixa que introduz o novo disco “Sonic Highways”).

Em seguida, nada de sons calmos, só havia espaço para arrasa quarteirão. “The Pretender” (Echoes, Silence, Patience & Grace, 2007) , “Learn to Fly”, “Breakout”, “Generator” (ambas as três do clássico “There Is Nothing Left to Lose”, 1999) e “My Hero” (“The Colour and the Shape”, 1997).

Dave comentou que era a primeira vez da banda em Porto Alegre, e por isso teriam muitas músicas para tocar, avisando que o show seria muito longo, chegando a 3 horas. E disse mais, informou que tocariam músicas do primeiro álbum.. do segundo álbum.. do terceiro álbum.. do quarto álbum.. e assim foi até o oitavo álbum, gerando gargalhadas ao dizer que apenas não tocariam músicas do nono álbum pois ele ainda não foi lançado.

Antes de “Congregation”, Grohl falou um pouco sobre a gravação de “Sonic Highways”, sendo cada música gravada em uma cidade diferente. Do disco, a banda ainda executou “In the Clear” e “Outside”.

Foi com uma cerveja na mão que o frontman do Foo Fighters apresentou toda a banda, começando por Chris Shiflett que fez um ótimo solo de guitarra. Passando por Nate Mendel (baixo), Taylor Hawkins (bateria), Pat Smear (guitarra) e Rami Jaffee (teclado). Nesse momento descontraído, a banda tocou trechos de “Daft Punk Is Playing in My House” do LCD Soundsystem e “Another One Bites the Dust” do Queen.

“Monkey Wrench” (The Colour and the Shape) acendeu o público que se encontrava um pouco apagado, e no momento em que a música foi prolongada o público acendeu isqueiros e luzes de celulares, como foi organizado pelo fã-clube previamente.

Apenas com o seu violão, Dave atravessou a passarela e tocou “Skin and Bones” (Five Songs and a Cover, 2005) junto com Rami, que estava acompanhado de sua gaita de botão. “Wheels” (Greatest Hits, 2009) teve apenas a presença de Dave, já “Times Like This” (One By One, 2002) metade apenas com Dave e o restante com toda a banda, pois surgiu um pequeno palco no meio da passarela, mas não era apenas um palco: era um palco giratório, onde a banda ficava de frente, de costas e de lado para todo o público. O giro ocorria após cada música. Na verdade, depois de cada cover apresentado. O Foo Fighters preparou um set especial nesse segundo palco. “Detroit Rock City” (Kiss) teve a formação normal da banda, já em “Miss You” (Rolling Stones) os vocais foram feitos por Taylor, assim como em “Tie Your Mother Down” (Queen) que além de Taylor nos vocais, teve também o frontman Dave Grohl na bateria. O set especial foi finalizado com Under Pressure (Queen & David Bowie).

Dave disse que ainda teria muito show pela frente, porém todos sabiam que o show estava se encaminhando para o fim. Retornaram para o grande palco com “All My Life” (One By One), que levou o público à loucura novamente, pois todos já estavam com saudades das músicas próprias dos norte-americanos. Dave disse que não gosta de sair do palco para retornar para o bis, que a banda apenas toca e toca até realmente ficarem cansados. Dizendo que não gosta de despedidas, a banda tocou Best of You (In Your Honor, 2005) e mais a clássica “Everlong” (The Colour and the Shape) com uma receptividade impecável dos fãs que acenderam luzes na plateia novamente e cantaram usando o máximo de suas vozes.

A iluminação e as imagens do telão tiveram efeitos que maximizaram a apresentação da banda, com imagens temáticas às músicas ou mesmo com imagens do próprio show. Um único defeito talvez fosse o volume do som, visto que ventava bastante na noite e o local aberto dissipou o som com facilidade, não chegando com o volume nítido em todos os cantos da pista. Com a promessa de Dave Grohl de que a banda irá retornar algum dia para Porto Alegre, os fãs puderam voltar para a casa com esperança de que essa não foi a última vez.

Set-list completo Kaiser Chiefs:

Everyday I Love You Less and Less
Everything Is Average Nowadays
Ruffians on Parade
Never Miss a Beat
Coming Home
Pinball Wizard (The Who)
Cannons
Ruby
I Predict a Riot
Misery Company
Oh My God

Set-list completo Foo Fighters:

Something From Nothing
The Pretender
Learn to Fly
Breakout
Arlandria
Generator
My Hero
Congregation
Walk
Cold Day in the Sun
In the Clear
I'll Stick Around
Monkey Wrench
Skin and Bones
Wheels
Times Like These
Detroit Rock City (Kiss)
Miss You (Rolling Stones)
Tie Your Mother Down (Queen)
Under Pressure (Queen & David Bowie)
All My Life
These Days
Rope
Outside
Best of You
Everlong

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Foo Fighters (Estacionamento da FIERGS, Porto Alegre, 21/01/2015)

3104 acessosFoo Fighters: Lotando arenas como veteranos em Porto Alegre

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 23 de janeiro de 2015
Post de 24 de janeiro de 2015

Foo FightersFoo Fighters
Ex batera foi "estuprado" criativamente por Grohl

5 acessosGorillaz e Foo Fighters: no Brasil em março, diz jornalista754 acessosFoo Fighters: Dave revela como ex-Beatle o ajudou com perna quebrada806 acessosFoo Fighters: explicando a letra da canção "Run"873 acessosFoo Fighters e Queens Of The Stone Age: Vamos conquistar o mundo288 acessosFoo Fighters: "Arrows", mais uma inédita ao vivo em show0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Foo Fighters"

Álbuns HomônimosÁlbuns Homônimos
Algumas pérolas que levam o mesmo nome da banda

Foo FightersFoo Fighters
"Acho que somos uma merda", diz Dave Grohl

Logos de BandasLogos de Bandas
Blog elege o Top 10 dos mais bonitos

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Foo Fighters"0 acessosTodas as matérias sobre "Kaiser Chiefs"

Iron MaidenIron Maiden
Sobre o que fala a música "Aces High"?

MaquiagensMaquiagens
O fim da polêmica Kiss x Secos & Molhados

Bizarro & AbsurdoBizarro & Absurdo
12 Tristes Realidades da Música

5000 acessosRaul Seixas: 10 importantes obras do Maluco Beleza5000 acessosCachorros: As raças que melhor combinam com cada gênero5000 acessosSupernatural: ouça 10 músicas que marcaram a série5000 acessosFaturamento: Quanto Judas, Aerosmith, Slash fazem por show?5000 acessosÁfrica: lá também tem Metal, conheça algumas bandas5000 acessosMetal Hammer: as dez piores capas de 2012

Sobre Guilherme Dias

Sou Guilherme Figueiró Dias, de Porto Alegre, estudante de educação física, tenho 23 anos e sou fanático por música e futebol, especialmente hard rock e heavy metal. Preferências entre Helloween, Gamma Ray, Pink Cream 69, Bon Jovi, Hellacopters, Michael Kiske, entre outros. O que gosto realmente de fazer (além de torcer, cantar e pular pelo Grêmio na Geral) é curtir um bom show das bandas que eu adoro e tomar umas cervejas pra celebrar a vida.¨

Mais matérias de Guilherme Dias no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online