Avenged Sevenfold: show muito bem estruturado no Rock In Rio

Resenha - Avenged Sevenfold (Rock In Rio, Rio de Janeiro, 22/09/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcelo Prudente, Fonte: Território da Música
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Ame ou odeie. Essa talvez seja a máxima relacionada aos americanos do Avenged Sevenfold, que vêm colecionando calorosos elogios do público mais jovem e certo descrédito do público, digamos, ortodoxo, com acusações de plágios e falta de originalidade.

Sepultura: Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in RioKiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008

O fato é que a banda vive um ótimo momento desde o lançamento do disco "Nightmare" (2010) e vem se mostrando competente a cada turnê, o que foi provado no último dia 22, no Rock in Rio.

Confesso, caro leitor, que não me entusiasmei com a confirmação da banda para o 'line up' do festival, com o agravante de ser o 'open act' da lenda viva, Iron Maiden. Mas o A7X provou o porquê de tanta adulação com um show muito bem estruturado e em conformidade com a dinâmica do público do headliner, ou seja, sem tantos excessos e ou exibicionismos de pseudo rock stars.

Foi com "Shepherd of Fire" que os americanos debutaram no Rock in Rio, sendo a primeira representante do novo álbum, "Hail to the King" (2013). E mesmo com toda produção soprando ventos a seu favor, a banda estava ciente que a noite seria de provar que tanta bajulação de mídia e de parte de público é fundamentada com boa música, fato comprovado com as pesadas "Critical Acclaim" e "Beast and the Harlot". A mid-time homônima ao novo disco empolga com seu refrão grudento; "Buried Alive" começa melodiosa, mas logo cede espaço a agradáveis acentos de hard rock.

Com bom trabalho de guitarras de Synyster Gates e Zacky Vengeance - completa a banda Johnny Christ (baixo), M. Shadows (vocal), Arin Llejay (bateria) - "Nightmare" ganha fácil, fácil, a melhor recepção da apresentação dos americanos.

"This Means War" e "Requiem" trazem à mesa, mais uma vez, o novo disco, mas pouco colabora para o saldo positivo da noite, o que é inversamente proporcional às canções, "Afterlife", "Bat Country" e "Unholy Confessions", que têm boa receptividade e participação do público.

Com pouco mais de uma hora de apresentação, a banda americana mostrou que é mais do que um "rostinho bonito" nesse oceano coalhado de supostos rockstars. Tenho certeza que, mesmo após o interessante show, do último dia 22, a máxima do ame ou odeie ainda seja aplicada, mas para esse repórter que vos escreve o equilíbrio entre esse amor e ódio seja o ideal.

O A7X não mudará sua vida ou a história da música contemporânea, tampouco é execrável como muitos pintam. São apenas meninos se divertindo e fazendo a diversão de quem está por perto, ou seja, cumpre uma das maiores atribuições da primeira arte.

Foto: Divulgação Rock in Rio
Foto: Divulgação Rock in Rio

Outras resenhas de Avenged Sevenfold (Rock In Rio, Rio de Janeiro, 22/09/2013)

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Rock In Rio"Todas as matérias sobre "Rock In Rio"Todas as matérias sobre "Avenged Sevenfold"


Sepultura: Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in RioRock in Rio: organização divulga o que pode ser levado para o festival em 2019Scorpions: eles conheceram Freddie Mercury aqui no BrasilWeezer: guitarrista não descarta participação de Dave Grohl em show no Rock in Rio

Rock in Rio 2019: Iron Maiden prefere tocar mais cedo, diz guitarrista do ScorpionsRock in Rio 2019
Iron Maiden prefere tocar mais cedo, diz guitarrista do Scorpions

Rock in Rio: festival explica por que o Iron Maiden toca antes do ScorpionsRock in Rio
Festival explica por que o Iron Maiden toca antes do Scorpions

Rock In Rio: line-up do novo Palco Supernova; Noturnall, Jimmy & Rats, Eminence e maisRock In Rio
Line-up do novo Palco Supernova; Noturnall, Jimmy & Rats, Eminence e mais

Rock in Rio 2019: Iron Maiden abrirá para o Scorpions; veja horários de todos os showsRock in Rio 2019
Iron Maiden abrirá para o Scorpions; veja horários de todos os shows

Rock in Rio: "minifestival" gratuito com Ivete Sangalo celebra 15 anos em Lisboa

Rock in Rio: Tinder lança modo festival para público do festival paquerarRock in Rio
Tinder lança "modo festival" para público do festival paquerar

Rock in Rio: Roberto Medina quer levar festival para o Chile em 2021Rock in Rio
Roberto Medina quer levar festival para o Chile em 2021

Sioux 66: atração do Rock in Rio lança novo single e videoclipeRodz Online: A Noite do Metal no Rock in Rio 2 (vídeo)Scorpions: Rock in Rio no Onbackstage, compartilhe a sua história de fã

Scorpions: banda usará mesma guitarra de 1985 no show do Rock in RioScorpions
Banda usará mesma guitarra de 1985 no show do Rock in Rio

Megadeth: Mustaine relembra fãs jogando xixi em Lobão no Rock in RioMegadeth
Mustaine relembra fãs jogando xixi em Lobão no Rock in Rio

Rock in Rio: em 1985, a primeira noite do AC/DC e ScorpionsRock in Rio
Em 1985, a primeira noite do AC/DC e Scorpions

Rock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991Rock in Rio
Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991


Kiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008Kiss FM
As 500 mais tocadas pela rádio em 2008

Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoBandas Novas
10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles PriesterNicko McBrain
Pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

Slash: uso excessivo de drogas chocou David BowieQueen: novas fotos do recluso John DeaconPantera: banda esteve próxima de se reunir, diz Rex BrownWindir: a morte mais Black Metal da história do gênero

Sobre Marcelo Prudente

Marcelo Prudente, 28 anos, nascido em Volta Redonda/Rio de Janeiro. É profissional da área de Comunicação, trabalha com Publicidade e Jornalismo. Começou a tomar gosto pela música quando criança por influência dos pais e tio. Louco pela carreira do velho madman, Ozzy Osbourne. Curte também Iron Maiden, Kiss, Rammstein, Rob Zombie, Alice Cooper, etc. E já perdeu a conta dos bons shows que já assistiu e dos ótimos discos que tem. Para mais informação: http://rockonstage.blogspot.com/. Long live to Rock n' Roll.

Mais matérias de Marcelo Prudente no Whiplash.Net.

adGooILQ