RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemAs 20 melhores músicas do Nightwish, em lista da Metal Hammer

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemBruce Dickinson explica como cuida de sua voz

imagemRússia pede para que Roger Waters fale com a ONU sobre a situação da Ucrânia

imagemDio sobre ocultismo: "Aprendi há muito tempo que não se mexe com espíritos"

imagemIron Maiden está atrás de George Michael e Cyndi Lauper em votação do Rock Hall Of Fame

imagemOpeth: Mikael Akerfeldt se interessa por Elis Regina em loja de disco de SP

imagemVocalista do Stryper afirma que Metallica é a banda de metal que ele menos gosta

imagemTommy Lee posta (mais um) nude em suas redes sociais


Def Leppard Motley Crue 2

The Winery Dogs: Super Power trio faz show sensacional em SP

Resenha - Winery Dogs (Carioca Club, São Paulo, 26/07/2013)

Por Otávio Augusto Juliano
Postado em 28 de julho de 2013

Um super Power trio formado por músicos talentosos e extremamente competentes só podia resultar mesmo em um show sensacional, abrindo o final de semana em grande estilo.

Fotos por Leandro Anhelli (www.anhelli.com.br)

Marcado para 19h de uma sexta-feira normal de trabalho para a maioria das pessoas, as únicas dúvidas que ficavam no ar eram se o show começaria mesmo nesse horário e se o público conseguiria chegar ao Carioca Club, afinal geralmente a pior "hora do rush" da semana é justamente o fim de tarde de uma sexta, com trânsito caótico.

Mas o fato é que o público chegou e tomou conta da pista da casa. Não teve frio ou trânsito que impedissem as pessoas de chegar a tempo de ver o THE WINERY DOGS, o trio formado por músicos com "M" maiúsculo e que dispensam maiores apresentações: Richie Kotzen (vocal e guitarra, ex-POISON, ex-MR. BIG), Billy Sheehan (baixo, MR. BIG, ex-DAVID LEE ROTH, ex-TALAS, ex-NIACIN) e Mike Portnoy (bateria, ex-ADRENALINE MOB, ex-DREAM THEATER).

Pontualmente às 19h, a banda deu início ao show, com "Elevate", faixa de abertura do auto-intitulado álbum lançado recentemente (em 23/07, no mercado americano e canadense). O som estava excelente e todos os instrumentos eram ouvidos com perfeição, em um volume muito bom.

O set list contou com todas as músicas lançadas pelo trio e ainda com covers das canções "Stand", do POISON, em versão voz e violão, e "Shine", do MR. BIG, uma das que mais agitou a noite, cantada intensamente pelo público. "You Can’t Save Me", da carreira solo de Richie também fez parte do show, além do maior hit do guitarrista de Blues ELVIN BISHOP, "Fooled Around And Fell In Love".

Difícil apontar momentos de destaque em um show tão bom, mas confesso que a dobradinha formada pela bonita balada "You Saved Me", seguida da mais agitada "Not Hopeless", é uma das principais lembranças que me vem à mente agora. O público já mostrava conhecer as canções e muitas pessoas cantavam as letras junto com Richie.

Quando o show já se encaminhava para o final, Portnoy e o responsável pela iluminação do palco proporcionaram um momento hilário. O baterista pediu que a luz fosse reduzida para as canções "The Dying" e "Regret", mas apesar de todos terem entendido a mensagem, pareceu que quem estava no comando da iluminação não entendeu e demorou muito até que o palco ficasse do jeito que Portnoy queria.

A mistura de Blues e Rock proporcionada pelo THE WINERY DOGS é realmente incrível. Os músicos parecem tocar juntos há tempos e o entrosamento é evidente, com cada músico trazendo sua contribuição para o show. Impressionante ver Kotzen ao vivo tocando sem uso de palheta, Sheehan dedilhando com as duas mãos o seu baixo e Portnoy provando que comanda as baquetas com maestria também na execução de canções de Blues/Classic Rock.

[an error occurred while processing this directive]

Da primeira canção até "Desire", que encerrou o bis, às 20:40h, foi um grande show. Não só de Rock, mas acima de tudo de música. De boa música. Daquelas para fechar os olhos e curtir durante a apresentação e ainda chegar em casa e buscar vídeos em alta qualidade, para ver com mais detalhes cada músico tocando seu instrumento.

[an error occurred while processing this directive]

Uma garota que estava atrás de mim, ao terminar de ouvir "You Saved Me", comentou com alguém ao lado dela que essa canção teria "pago o ingresso". Concordo com ela, mas vou bem mais além: todas as 18 músicas da noite valeram o ingresso pago.

[an error occurred while processing this directive]

Pena que não havia CDs à venda durante o show. Eu teria saído com a minha cópia.

Agradecimentos a Heloisa Vidal (Brasil Music Press) e Free Pass Entretenimento pela atenção e credenciamento.

Banda:

Richie Kotzen – vocal, guitarra/violão, teclado
Billy Sheehan – baixo
Mike Portnoy - bateria

Set List:

Elevate
We Are One
Criminal
One More Time
Time Machine
Damaged
Six Feet Deeper
Solo Bateria
The Other Side
Solo Baixo
You Saved Me
Not Hopeless
Stand (POISON)
You Can't Save Me (RICHIE KOTZEN)
Shine (MR. BIG)
I'm No Angel
The Dying
Regret

Bis:

Fooled Around And Fell In Love (ELVIN BISHOP)
Desire

[an error occurred while processing this directive]

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Mr. Big: Richie Kotzen comenta morte de Pat Torpey

Wikimetal: Os melhores álbuns de 2015


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.
Mais matérias de Otávio Augusto Juliano.