Circle II Circle: A força do Savatage ainda vive em Zak Stevens

Resenha - Circle ll Circle (Rio Rock & Blues, Rio De Janeiro, 19/06/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ulisses Araujo
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Com exatamente 30 minutos de atraso, entrou no palco do intimista Rio Rock & Blues umas das maiores lendas do metal americano, Zak Stevens, com sua banda o CIRCLE ll CIRCLE, fazendo uma homenagem aos 20 anos do disco "Edge Of Thorns" do SAVATAGE, primeiro álbum que Zak gravou com a mesma e último registro de estúdio do guitarrista Criss Oliva, (falecido poucos meses depois da gravação do disco).

Oito razões pra dormir com um bateristaPunk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensa

Sem muita conversa Zak já foi direto ao que interessava, começou com a clássica música homônima do disco, "Edge Of Thorns", que apesar dos problemas com a guitarra de Christian Wentz, foi cantada por todos que estavam na casa com muita emoção, marcando a noite logo de cara.

Depois seguiu com a não muito famosa mais muito boa "He Carves His Stone" que levou os mais saudosistas à loucura (inclusive o que vos fala), e continuou com vários petardos desse ótimo disco, como "Lights Out", "Skraggy's Tomb" e "Labyrinths".
Como se tratava de uma homenagem ao álbum seguiram com o track list do mesmo, valendo claro uma ressalva ao ótimo desempenho e carisma de Zak nos vocais (como sempre) e o muito virtuoso guitarrista brazuca Bill Hudson que representou muito bem o nosso país no palco, ao lado do excelente baixista Mich Stewart e do tecladista alemão Henning Wanner, e não podemos esquecer e frisar o carismático baterista Adan Sagan, que manteve a pegada prog metal do inicio ao fim.

Valendo também elogios as boas músicas "Diamond Blade" e "Epiphany" do novo álbum da banda "Seasons Will Fall" e a clássica "Watching In Silence", do primeiro disco, que com certeza também foi um dos pontos altos da noite.

E ainda teve tempo para uma ótima surpresa, quando tudo se encaminhava para o final do show, ai que surge o maravilhoso vocalista brasileiro Gus Monsanto, (ADAGIO, REVOLUTIO RENAISSANCE E SYMBOLICA), cantando "The Trooper", do IRON MAIDEN, com direito a Zak atacando de baterista e tudo, levando todos na casa à loucura fechando a noite com chave de ouro.

Enfim, Zak Stevens mostrou todo seu talento com sua banda atual, mas mostrou que ainda vive dentro dele a força do SAVATAGE.

SET LIST

Edge of Thorns (Savatage cover)
He Carves His Stone (Savatage cover)
Lights Out (Savatage cover)
Skraggy's Tomb (Savatage cover)
Labyrinths (Savatage cover)
Follow Me (Savatage cover)
Exit Music (Savatage cover)
Degrees of Sanity (Savatage cover)
Conversation Piece (Savatage cover)
All That I Bleed (Savatage cover)
Damien (Savatage cover)
Miles Away (Savatage cover)
Sleep (Savatage cover)

Encore:
The Storm (Savatage cover)
Diamond Blade
Soul Breaker
Watching in Silence
Epiphany

Encore 2:
The Trooper (Iron Maiden cover) (com Gus Monsanto)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Circle II Circle"


Exportando metal: músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringasExportando metal
Músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringas

Bill Hudson: BR bangers são persecutivos e têm baixa autoestimaBill Hudson
BR bangers são persecutivos e têm baixa autoestima


Oito razões pra dormir com um bateristaOito razões pra dormir com um baterista
Oito razões pra dormir com um baterista

Punk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensaPunk
10 músicos que são mais ricos do que você pensa

Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Heavy Metal: "cristãos podem aprender muito com o gênero"Queen: algumas curiosidades sobre a bandaMarty Friedman: "Sim, você pode dizer que sou um hipócrita."Guns N' Roses: por que Axl não mudou nome após Slash e Duff saírem

Sobre Ulisses Araujo

Ulisses Araujo é um carioca da gema, amante do melhor estilo musical já criado em todos os tempos, mas voltado para o Heavy Metal e os Clássicos do Rock dos anos 60, 70,80 e 90. DJ Nas horas vagas, e agora um dos colaboradores do Whiplash. Tudo começou no final dos anos 90, quando uma dupla de irmãos apresentou dois discos: "Better Than Raw", do HELLOWEEN, e o outro foi o primeiro disco do THE DOORS, aí começou toda a loucura.

Mais matérias de Ulisses Araujo no Whiplash.Net.