Final Prophecy: músicas autorais e covers de tirar o fôlego

Resenha - Final Prophecy (Bar Rock 80, Fortaleza, 01/02/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo M. Brauna
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O mês de fevereiro começou com um grande espetáculo no 'Bar Rock 80' localizado em Fortaleza - CE. Todos os finais de semana os 'Headbangers' da área e visitantes podem conferir sempre uma grande atração oferecida pelo estabelecimento num ambiente agradável, temático e muito organizado. No dia primeiro foi a vez de 'Final Prophecy' fazer a festa da galera com músicas autorais e covers de tirar o fôlego, ainda mais com grandes surpresas no decorrer da apresentação.

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposLinkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a banda

A banda foi formada no segundo semestre de 2009, mas em cima do palco revela uma performance que só os mais íntimos desse "território" conseguem desempenhar. Quem estava na casa presenciou mais uma promessa nordestina em ação, e dentre os presentes, nomes da cena local e nacional como 'Tales Groo' (Darkside), 'Elias Barbarian' (Dose Lethal, Trailblazers) e 'Silvio C. Barros' (Beowulf) prestigiavam e participavam desse grande feito.

Já passavam das 22 horas quando as primeiras músicas do repertório foram executadas, como parte do show era constituído em grandes tributos, as escolhidas foram "Aces High" e "The Wicker Man" (Iron Maiden), que levantou o coro da clientela ávida por 'Heavy Metal'. Clássicos como esses são até comuns sendo tocados por bandas de 'Power Metal', porém o talento empregado pela 'Final Prophecy' neles beira a perfeição dos originais.

Foi uma abertura perfeita, e dando continuidade ao concerto, a banda toca os primeiros 'riffs' de "Future World" para a felicidade dos fãs de 'Helloween'. Há esta hora ficava até difícil dos garçons circularem entre as mesas diante de tanta euforia. A cada canção, o vocalista 'João Júnior' tentava se superar mais ainda, e é claro que o público agradecia.

É chegada à vez de ser anunciada a primeira autoral da noite, "Lord Have Mercy", e como sempre, foi muito bem aceita com muitas pessoas cantando junto com o grupo. A música tem solos formidáveis e 'riffs' que seguem bem a escola do 'Maiden', em outras palavras, estão no rumo certo!

Outro clássico do 'Helloween' é tocado, e dessa vez quem faz a alegria da galera é "Dr. Stein". 'Bosco Lacerda' (baterista) simplesmente desconta toda a sua fúria no seu 'Kit' que aguentou bem (acredito eu) aquele festival de pancadaria! Não sei se ele está em definitivo na banda, mas se estiver, o grupo talvez tenha que tomar uma direção mais "pesada" e "veloz" nas próximas composições.

Uma "pausa" para um breve comentário e eis que sobe no palco, o "mito" do 'Heavy Metal cearense', 'Silvio C. Barros' que brinda a todos nós com uma amostra da sua inabalável voz em um dueto com 'Júnior' cantando "Carry On" do 'Angra'. Nesse momento me senti muito emocionado, pois ainda não havia conferido nenhuma apresentação do "mestre" ao vivo, apenas faixas das demo-tapes da "Beowuf", isso em 1991!

Passado o primeiro grande momento, a banda saúda a todos com mais duas da "Donzela", "The Trooper" e "Wasting Love". - Tava até faltando uma "baladinha" mesmo para o público tomar uma "geladinha" respirando melhor. Mas o "gelo" logo é quebrado...

Com muita garra e talvez a melhor performance da noite, o maior clássico do 'Helloween' é tocado, "Eagle Fly Free" faz todo mundo mais uma vez cantar em uníssono esse belo tema, seguido também de "The Chance" do injustiçado álbum de 1991, "Pink Bubbles Go Ape". Para essas duas últimas, o ex-baterista 'Glauco Luis' foi chamado para assumir as baquetas como convidado e ainda tocou em mais uma autoral, "Against the Storm".

Voltando ao seu "trono", 'Bosco' pega as baquetas e mais uma vez 'Silvio' sobe para mais uma aula de interpretação, a escolhida agora foi "The Evil That Men Do" (não vou dizer nem de quem.) que ele ofereceu a alguns amigos, inclusive a este redator que voz escreve!

Ainda aproveitando o momento 'Maiden' da noite, outros dois grandes clássicos são executados com maestria, "Wasted Years" com destaque para os guitarristas 'Mário Lima e 'Joel Sousa' e o hino "Fear of the Dark" com os vocais de 'Elias Barbarian'.

Depois de todos os convidados especiais se apresentarem, a 'Final Prophecy' "leva" os dois últimos 'covers' de 'Helloween', "I Want Out" e "Power" com presença maciça das quatro cordas de 'Done Sousa' que está de parabéns por segurar todo o compasso musical da banda e ainda mostrar o seu talento em algumas "peripécias".

A noite ainda foi testemunha para a audição de "Rising Force" (Malmsteen) e o momento muito aguardado pelos presentes, a execução do "cartão de visitas" do 'Heavy Metal', "Painkiller" (Judas Priest), se existia alguma dúvida a cerca do talento de 'Bosco', esta "desceu pelo ralo", pois o cara simplesmente detonou em suas partes!

Os músicos estão de parabéns e os convidados foram ótimos, o bar então, excelente para mais encontros como esse e de acordo com a sua agenda de eventos, muitas "pedras" inda vão rolar!

Contatos para a banda:
http://www.facebook.com/finalprophecy?ref=ts&fref=ts
http://www.myspace.com/finalprophecyy
Tel: (85) 9935-5205




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Final Prophecy"


Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

Guns N' Roses: melhores músicas segundo a Ultimate Classic RockMike Mangini: um dos bateristas mais rápidos do mundo?Marty Friedman: "Sim, você pode dizer que sou um hipócrita."Guns N' Roses: por que Axl não mudou nome após Slash e Duff saírem

Sobre Leonardo M. Brauna

Leonardo M. Brauna é cearense de Maracanaú e desde adolescente vive a cultura do Rock/Metal. Além do Whiplash, o redator escreve para a revista Roadie Crew e é assessor de imprensa da Roadie Metal. A sua dedicação se define na busca constante por boas novidades e tesouros ainda obscuros.

Mais matérias de Leonardo M. Brauna no Whiplash.Net.