RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemA atitude punk da Legião Urbana que causou irritação e deu trabalho na gravação

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemO conselho realista de John Petrucci para bandas que estão começando agora

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemO que faltou para o Overkill entrar no "Big Four" do thrash, segundo D. D. Verni

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words


Unisonic: Duas lendas do Power Metal juntas em São Paulo

Resenha - Unisonic e Gotthard (HSBC Hall,São Paulo, 18/05/2012)

Por Paulo Felício
Postado em 07 de junho de 2012

Há 5 anos atrás ninguém imaginaria que o excelente vocalista Michael Kiske (ex-Helloween, Unisonic) voltaria a cantar ao vivo algum dia. Também ninguém imaginaria que ele voltaria a cantar Rock/Metal, muito menos ao lado do seu parceiro de longa data Kai Hansen! E o melhor: tocando velhos clássicos do Helloween. Não poderia ser melhor.

Foi um sonho realizado ver essas duas lendas juntas novamente. É indescritível a emoção de ver esses caras, principalmente o Michael Kiske, que não via um palco há 17 anos.

Todos são super simpáticos e receberam os fãs muito bem no hotel (com exceção do Mandy Meyer que parecia estar com o "ovo virado" depois do show, completamente sisudo saiu sem falar com os fãs e foi direto pra van). Michael Kiske é a simpatia em pessoa, e Kosta Zafiriou é um verdadeiro Mr. Smile (apelido esse que costumava ser atribuído ao eterno Ingo Schwichtenberg, falecido ex-baterista do Helloween).

Bom, sem mais delongas, vamos ao show.

O Gotthard subiu ao palco às 21:30 e fizeram uma baita apresentação. O vocalista novo não chega aos pés do Steve Lee, mas mandou muito bem nas músicas antigas, tendo um timbre que até lembra o do saudoso ex-vocalista do Gotthard (que foi homenageado antes da múscia "One Life, One Soul", que foi dedicada a ele).

Leo Leoni, além de carismático é um excelente guitarrista. Marc Lynn faz o estilo boa-praça, extremamente sorridente e carismático (inclusive depois do show ficou uma hora na calçada do hotel tirando fotos e conversando com os fãs, numa humildade sem igual!).

Foram tocadas duas músicas novas, Starlight (novo single da banda) e Remember It's Me (música do novo videoclipe). Ambas muito boas e que combinam bem com o timbre do novo vocal, mais do que as músicas da época do Steve Lee.

A apresentação do Gotthard acabou às 22:30hs e às 23:00hs o Unisonic subiu ao palco.

O que dizer desse momento? O HSBC Brasil simplesmente veio abaixo. Havia algumas pessoas empolgadas no show do Gotthard, mas não era nem metade da empolgação gerada pelo Unisonic.

A banda abriu o show com a faixa-título do debut, Unisonic. O público foi à loucura e cantou a música do início ao fim. Eu mesmo saí de lá rouco!

Segunda música da noite, Never Too Late. Uma das minhas favoritas, funciona muito bem ao vivo e o público inteiro pulou e cantou ao som dessa música.

Ao final desta faixa, Kiske fala sobre os fãs que foram vê-lo no hotel antes do show (infelizmente eu não estava presente, mas amigos meus estavam). Ele disse que nunca se recusaria a tirar fotos e autografar coisas, isso nunca o incomodaria. Um pequeno parênteses para dizer que os fãs que foram vê-lo no hotel, além de levarem dezenas de encartes de CD's e vinis para ele assinar, também levaram uma cesta de frutas típicas do Brasil e algumas outras lembrancinhas, que o cantor logo tratou de subir levar para o quarto do hotel (para contrariedade da produtora, que estava insistindo para ele entrar na van rs).

Logo em seguida ele disse que a próxima música seria dedicada a nós, pois nós éramos as "Faces in the Night". Era a deixa para "Renegade", cujo refrão foi cantado a plenos pulmões pelo público.

Após essa faixa é tocada King for a Day, com certeza um dos pontos altos do show. Destaque para as harmonias vocais do Kai Hansen.

Em seguida temos I've Tried, uma das mais cotadas pelo público, com ótimos backing vocals do Dennis Ward.

Depois de My Sanctuary, é chegado o momento mais esperado do show, a execução de um clássico absoluto dos Keeper of the Seven Keys: March of Time. O público foi ao delírio com essa faixa. Michael Kiske impressionantemente continua cantando tão bem quanto em 1989, e não arregou em nenhum agudo.

Logo após Kai Hansen e Mandy Meyer tocam Follow the Sign, seguida por Over the Rainbow (destaque para os impressionantes agudos de Kiske no fim da música).

Chega Star Rider, ótima performance de Kiske e das harmonias vocais do Kai e do Dennis.

Kai Hansen e Mandy Meyer fazem seus solos de guitarra e já emendam na Souls Alive, que ficou bem pesada ao vivo, mais parecida com a versão demo.

We Rise e Never Change Me encerram a parte do show antes do bis.

Quando os músicos voltam ao palco o público enlouquece, pois todos sabem que é a hora de mais clássicos do Helloween da era Kiske-Kai.

Começa o riff da "In the Hall of the Mountain King", de Edvard Grieg, e todos já sabem que é a deixa para "Future World". Após o último refrão é feita a brincadeira de sempre, com a banda interagindo com a plateia e Michael Kiske cantarolando músicas do Elvis no meio da música.

[an error occurred while processing this directive]

Ao fim da música uma meia dúzia de idiotas começaram a gritar "Happy, Happy Halloween", mas felizmente foram suprimidos pela maioria que gritava incessantemente "Unisonic, Unisonic". Não podemos esquecer também do já clássico grito "Olê Olê Olê Olê, Kiske Kiskeee" que foi berrado pela plateia varias vezes durante o show, fazendo com que Kiske reagisse dizendo "You're the best".

"I Want Out" vem para encerrar a noite, sendo berrada a plenos pulmões pela plateia ensandecida e emocionada de ver pela primeira vez um show inteiro com Michael Kiske nos vocais, acompanhado de Kai Hansen nas guitarras.

[an error occurred while processing this directive]

Essa noite vai ficar para sempre em nossas mentes, foi algo inesquecível. Depois do show ainda fomos ao hotel para tentar tirar algumas fotos e pegar autógrafos. Consegui tirar foto com Kai Hansen, Kosta Zafiriou e Dennis Ward, porém quando toquei o ombro do Kiske para pedir uma foto, fui empurrado grosseiramente pelo babaca do segurança que resmungou "Não encosta nele". Coisa mais ridícula e lamentável. O único que permaneceu de cara fechada e não trocou sequer uma palavra com os fãs foi o Mr. Mandy Meyer.

Mas no geral, foi uma ótima apresentação e uma ótima tarde/noite de autógrafos que ficará marcada na memória de todos os que estavam presentes.

[an error occurred while processing this directive]

Set list do Gotthard:

1.Dream On
2.Top of the World
3.Starlight
4.Sister Moon
5.Master of Illusion
6.Need to Believe
7.Give Me Real
8.Remember It's Me
9.One Life, One Soul (Dedicada a Steve Lee)
10.Mountain Mama
11.Right On
12.Hush (Billy Joe Royal cover)
13.Lift U Up
14.Anytime Anywhere

Set list do Unisonic:

1.Unisonic
2.Never Too Late
3.Renegade
4.King for a Day
5.I've Tried
6.My Sanctuary
7.March of Time (Helloween cover)
8.Follow the Sign (Helloween cover)
9.Over the Rainbow
10.Star Rider
11.Guitar solos (Kai Hansen & Mandy Meyer)
12.Souls Alive
13.We Rise
14.Never Change Me

Encore:
15.Future World (Helloween cover)
16.I Want Out (Helloween cover)

[an error occurred while processing this directive]


Outras resenhas de Unisonic e Gotthard (HSBC Hall,São Paulo, 18/05/2012)

Resenha - Unisonic e Gotthard (HSBC Hall,São Paulo, 18/05/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Michael Kiske: A Adoração ao Mal no Cenário do Heavy Metal

Unisonic: "Somos melhores que o Helloween!"

Helloween: veja Michael Kiske cantando clássicos no Wacken

Michael Kiske: "Weikath se virou contra mim e queria Andi"

Unisonic & Edguy: Michael Kiske trollando Tobias Sammet


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Paulo Felício

Paulo Cleberson da Silva Felício nasceu em 02/10/1991 em São Paulo, capital. Até os 12 anos de idade não era muito ligado em rock e Heavy Metal, até que em 2002 um amigo lhe apresentou uma banda chamada Blind Guardian, cuja temática chamou sua atenção, pois Paulo adorava temas Medievais. É moderador do Site/Fórum MICHAEL KISKE BRASIL.
Mais matérias de Paulo Felício.