Unisonic e Gotthard: Dois shows fantásticos em São Paulo

Resenha - Unisonic e Gotthard (HSBC Hall,São Paulo, 18/05/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Chrystian Philippi Choinski
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

No dia 18 de Maio o Brasil pôde presenciar dois shows fantásticos e mais esperados do ano na bela casa de shows HSBC Hall com a acústica e iluminação excelentes. Ainda mais para os fãs do Helloween que ansiavam muito pela apresentação onde o ex-vocalista, Michael Kiske se juntaria com o ex-guitarrista Kai Hansen para cantar os clássicos da banda.

28 acessosHelloween: Speed Metal Melódico e Inspirado5000 acessosDeep Purple: Gillan fala sobre Ritchie, Coverdale e Hughes

O palco já estava montado e exatamente às 21:30 as luzes se apagaram para a apresentação da grandiosa banda de Hard Rock Gotthard. Com uma pequena introdução instrumental feita pelos membros: Leo Leoni, Freddy Scherer, Marc Lynn e Hena Habegger, o show começa com a maravilhosa “Dream On” do excelente álbum “Lipservice”.

O novo vocalista Nic Maeder, que estava com a dura tarefa de substituir Steve Lee, ex vocalista da banda que faleceu em outubro de 2010, conquistava o público com sua bela voz e seu carisma a medida em que o show prosseguia.

Músicas do novo álbum ainda não lançado foram tocadas como: Give Me Real e Right On, já as duas músicas conhecidas pelos vídeos clipes, Remember It's Me e Starlight foram cantadas pelo público que por sinal achei incrível, não esperava que muitas pessoas conheceriam ou gostavam da banda já que a grande parte que conversei antes do show estava lá para ver Unisonic.

“Master of Illusion” foi um das músicas mais agitadas no show, nela você podia ver claramente que a banda estava feliz e em ótima sintonia com o público. “Need to Believe”, faixa titulo do ultimo álbum feito por Steve nos vocais foi incrível, melhor ainda foi quando a música mais emocionante do show,” One Life, One Soul“ foi executada sem instrumentos seguida de uma dedicatória para Steve Lee, apenas com a voz de Maeder e o público formando um coro lindo.

“Mountain Mama” foi incrível, Leo Leoni fazendo Box e falando com o público foi muito bacana, falando nele não posso deixar de comentar como ele é incrível, não só pelo seu carisma, mas seu desempenho e performance de palco era de arrepiar. O cover do Billy Joe Royal, ”Hush” já é famoso em seu repertório e a resposta do público foi excelente cantando “na na na na”. Finalzinho de show, “Lift U Up” e a “Anytime Anywhere“ fecharam com chave de ouro, deixando o público satisfeito e aprovando o novo vocalista que arrasou .

Com o palco sendo preparado, finalmente a hora tão esperada chegou. As 23:00 as luzes se apagaram e a introdução cheia de suspense começa, Kostas Zafiriou se apresenta indo para bateria, o mestre Kai Hansen aparece em cima dos amplificadores levando a galera ao delírio, o incrível Mandy Meyer e Dennis Ward começam a fazer um instrumental Jam dando início à música “Unisonic”, a galera já estava delirado quando ele, Michael Kiske aparece, aí o público entra em delírio total, todos pulando e gritando seu nome, o show inteiro foi assim.

A animada “Never Too Late” veio em seguida mostrando um excelente entrosamento entre os músicos. Em seguida “Renegade” e “King for a Day” mostrou o potencial da banda, com direito a vocal de apoio do Kai, deixando o show mais divertido ainda.
A balada “I've Tried “ mesmo lenta não deixou de ser cantada e agitado pelo público empolgado e inusitado que não parava de pular. Em seguida uma das músicas mais agitadas e melhor do álbum, “My Sanctuary” veio à tona mostrando novamente que este trabalho veio com tudo para ser um dos melhores de 2012.

Mandy Meyer demonstrou ser um guitarrista virtuoso e adequado para a banda, sua experiência é grande, já tocou em bandas excelentes como Asia, Krokus e até mesmo o Gotthard. Um dos momentos mais esperados do show, após Michael Kiske ter anunciado que tocaria uma música do “Keeper of the Seven Keys, Pt. 2” o público ficou mais louco ainda, ao iniciar a música parecia que tudo parou ali, a sensacional “March of Time” com todos os solos e gritos acabou com tudo. Em seguida kiske sai de palco deixando Hansen fazer a instrumental “Follow the Sign” que finaliza o álbum “Keeper of the Seven Keys, Pt. 1” e iniciando uma música que não esperava ver, pois era a faixa bônus do disco, “Over the Rainbow “ muito bem recebida e cantada pelo publico junto com a maravilhosa “Star Rider “.

Novamente Kiske sai do palco deixando com que Kai tomasse conta do público fazendo um pequeno solo, seguida de outro solo fantástico de Mandy Meyer que deram inicio à música “Souls Alive “ muito bem interpretada. Kiske muito feliz e empolgado com o público havia recebido um presente no meio do show, um book de fotos de seu cantor favorito Elvis Presley, todo empolgado ele canta um trecho de “Just Pretend”, foi maravilhoso, brincando Kiske diz que aquela seria a última música da noite, em seguida Kai da um tapinha na careca dele quando ele anuncia que agora tocariam sua música favorita do álbum “Unisonic”, “We Rise”, uma das mais esperadas do show, eu esperava mais dela, achei meio fraca comparada com a versão em estúdio, mas mesmo assim não deixou de ser fenomenal.

Com um ritmo de final de show, “Never Change Me” muito empolgante, veio com clima de despedida, lógico que após a saída da banda no palco todos sabiam que um bis mais esperado seria executado logo em seguida, mas mesmo assim o público gritava pela banda até que Hansen aparece fazendo a parte de um solo de “Gorgar” famosa pela introdução de “Future World” do “Live In The UK”, enfim foi executada e nada melhor que o público fazendo parte desta música do inicio ao fim. Todos felizes e prontos para receber um dos maiores clássicos onde Kiske demonstra uma técnica absurda e fantástica, a aclamada “I Want Out” finalizou a noite realizando sonho de muitos que esperavam a nos este grande momento. Um show memorável, histórico e magnífico que os fãs de Helloween e Kiske nunca esquecerão...

Set List Gotthard:
01 Intro
02 Dream On
03 Top of the World
04 Starlight
05 Sister Moon
06 Master of Illusion
07 Need to Believe
08 Give Me Real
09 Remember It's Me
10 One Life, One Soul
11 Mountain Mama
12 Right On
13 Hush (Billy Joe Royal cover)
14 Lift U Up
15 Anytime Anywhere

Set List Unisonic:
01 Intro: Walkürenritt
02 Unisonic
03 Never Too Late
04 Renegade
05 King for a Day
06 I've Tried
07 My Sanctuary
08 March of Time (Helloween cover)
09 Follow the Sign (Helloween cover)
10 Over the Rainbow
11 Star Rider
12 Guitar solos (Kai Hansen & Mandy Meyer)
13 Souls Alive
14 We Rise
15 Never Change Me
Encore:
16 Future World (Helloween cover)
17 I Want Out (Helloween cover)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Outras resenhas de Unisonic e Gotthard (HSBC Hall,São Paulo, 18/05/2012)

1673 acessosUnisonic: Duas lendas do Power Metal juntas em São Paulo


19981998
40 discos de rock e metal que foram lançados há 20 anos

28 acessosHelloween: Speed Metal Melódico e Inspirado69 acessosEm 11/03/1967: Nasce Uli Kusch (Helloween, Masterplan, Gamma Ray)2460 acessosHelloween: promessa de grande trabalho caso disco seja lançado0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Helloween"

SeparadosSeparados
Michael Kiske e Lord Varys (Game of Thrones)

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1988

Em 08/03/1995Em 08/03/1995
Ingo, baterista do Helloween, comete suicídio

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Gotthard"0 acessosTodas as matérias sobre "Unisonic"0 acessosTodas as matérias sobre "Michael Kiske"0 acessosTodas as matérias sobre "Helloween"


Ian GillanIan Gillan
"Ritchie Blackmore é um imbecil!"

Heavy MetalHeavy Metal
Os vinte melhores álbuns da década de 80

8 de Dezembro8 de Dezembro
A data mais macabra do rock

5000 acessosSeparados no nascimento: Alice Cooper e Emerson Fittipaldi5000 acessosHelter Skelter: a música que Charles Manson "roubou" dos Beatles5000 acessosDavid Bowie: conheça 60 fatos da vida do camaleão5000 acessosKiss: Paul Stanley e o persistente rumor sobre sua sexualidade5000 acessosMetallica: Lars Ulrich usou calcinha em show de 2015?5000 acessosPunk Rock: 21 logos conhecidos e suas histórias

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Chrystian Philippi Choinski

Meu gosto musical é variado, não me importo com estilos musicais em si e sim composições e arranjos. Não tenho banda favorita mais se fosse para falar alguma com certeza seria Helloween. Colaboro com outros sites como X-press-on e Arquivo metal CWB, focados na cena curitibana e adoro fazer este trabalho, amo críticas, tanto positivas como negativas que me ajudam a melhorar.

Mais matérias de Chrystian Philippi Choinski no Whiplash.Net.