Ringo Starr no RJ: Uma mágica lembrança para a vida inteira

Resenha - Ringo Starr (Citibank Hall, Rio de Janeiro, 15/11/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gabriel von Borell
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Alguns meses depois de receber sir Paul McCartney para dois shows realizados no Estádio do Engenhão, o Rio de Janeiro voltou a ser destino de um ex-beatle na noite da última terça-feira (15), quando Ringo Starr subiu ao palco do Citibank Hall e fez a alegria de cerca de 4.000 beatlemaníacos cariocas.

2619 acessosPaul McCartney: meme para trollar igreja que condenou seu show5000 acessosSlayer: quando Cronos deixou Tom Araya de olho roxo

Fotos de Néstor J. Beremblum, cedidas pela T4F Entretenimento.

Como já havia anunciado para boa parte da mídia nacional, a apresentação na Cidade Maravilhosa também não teve surpresas no repertório, seguido à risca por Ringo e sua All Starr Band. O show misturou alguns hits dos Beatles e canções mais famosas da carreira solo do baterista, além de músicas semi-desconhecidas dos anos 80 cantadas pelos integrantes da banda. E o resultado de tudo isso agradou ao público, embora a plateia claramente quisesse mais uma revisitada na carreira dos Fab Four e menos um flashback estilo “good times”.

Os fãs, de todas as idades, embora a maioria já tivesse atingido a casa dos 50 ou 60 anos, dançaram, cantaram e se divertiram junto com Ringo. Generoso e simpático no palco, o ex-beatle, além de interagir diversas vezes e brincar com a plateia, cedeu espaço para Wally Pallmar (guitarrista, ex-integrante dos The Romantics), Gary Wright (tecladista, ex-integrante do Spooky Tooth), Richard Page (baixista, ex-Mr. Mister), Mark Rivera (saxofone e percussão), Gregg Bissonette (bateria), Rick Derringer (ex-guitarrista do The McCoys) e o tecladista Edgar Winter, também brilharem e se destacarem em determinados momentos. E eles são os responsáveis, na maior parte, pelas canções de FM.

A apresentação começou pouco depois de 21h30, horário previsto para o início do show, com os oito músicos, contando com Ringo, surgindo no palco do Citibank Hall para animar o público com “It Don’t Come Easy”. Com um cenário simples e sem grande produção, Ringo e cia seguiram conquistando a atenção do público com canções que não são familiares aos fãs do baterista e, consequentemente, dos Beatles. Ringo cantava os hits do quarteto de Liverpool e de seu repertório solo e, quando era hora de deixar os outros integrantes da All Starr Band tomar conta dos vocais, ele assumia a bateria, ou deixava o palco. Sendo assim vieram, por exemplo, as dançantes “Honey Don’t” e “Hang on Sloopy”, essa cantada por Derringer. E depois ainda teve “Free Ride”, interpretada por Winter, e “Talking your Sleep”, que teve Palmar nos vocais.

Quando o público começava a esfriar, todo mundo se animou novamente com “I Wanna Be Your Man”, que trazia Ringo mais uma vez para o centro do palco. Alternando a vibe do show, seguiram as baladas oitentistas “Dream Weaver”, cantada por Gary Wright, e “Kyrie”, com Derringer novamente no microfone. Chegada a hora de “The Other Side of Liverpool” e Ringo voltou a assumir o seu lugar de “estrela” da noite. A plateia, claro, reverenciava o retorno do baterista a frente do palco. E então os fãs foram ao delírio quando a banda executou “Yellow Submarine” enquanto que dezenas de balões amarelos surgiam passeando pelo público. Sem dúvida o ponto alto da noite.

Passado o momento de euforia dos fãs, entrou a instrumental “Frankenstein”, que destacou a competência da banda. Pouco depois, Ringo agitou os fãs com “Boys”, trazendo a magia dos Beatles novamente à tona. “Broken Wings”, do Mr. Mister, marcou o melhor momento dentre os protagonizados pela All Starr Band. Interpretada por Richard Page, a canção emocionou a plateia, até mesmo aqueles que não conheciam a faixa. As próximas canções do set foram “Photograph” e “Act Naturally”. A primeira é um dos maiores sucessos da carreira de Ringo. Já a segunda consiste em uma faixa que foi regravada pelos Beatles. E ambas contagiaram o público, que acompanhava o baterista imitando seus passos desengonçados e levando as mãos para lá e para cá.

Nesse momento se aproximava o final do show. Com quase duas horas de apresentação, pouco antes de 23h30, “With a Little Help from my Friends” finalmente foi executada e o público no Citibank Hall vibrava com intensidade pela última vez. Ringo, no palco, fazia repetidamente o sinal de paz e amor com os dedos das duas mãos e o gesto era reproduzido pela plateia. Nesse clima zen a banda encerrava a noite com o refrão de “Give Peace a Chance”, do ex-companheiro John Lennon.

Enquanto Ringo e a All Starr Band se despedia dos fãs, visivelmente satisfeitos com a participação do público, os cariocas aplaudiam o belo espetáculo do feriado. Certamente todo mundo voltou para casa com uma incrível e mágica lembrança para guardar para a vida inteira. E que somente os fãs de Beatles poderão compreender.

Set list:

1- It Don't Come Easy
2- Honey Don't (Carl Perkins)
3- Choose Love
4- Hang On Sloopy (The McCoys)
5- Free Ride (Edgar Winter Group)
6- Talking in Your Sleep (The Romantics)
7- I Wanna Be Your Man (The Beatles)
8- Dream Weaver (Gary Wright)
9- Kyrie (Mr. Mister)
10- The Other Side Of Liverpool
11- Yellow Submarine (The Beatles)
12- Frankenstein (Edgar Winter Group)
13- Back Off Boogaloo
14- What I Like About You (The Romantics)
15- Rock and Roll, Hoochie Koo (Rick Derringer)
16- Boys (The Beatles)
17- Love Is Alive (Gary Wright)
18- Broken Wings (Mr. Mister)
19- Photograph
20- Act Naturally (The Beatles)
21- With a Little Help from My Friends (The Beatles)
22- Give Peace a Chance (John Lennon)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 18 de novembro de 2011

Paul McCartneyPaul McCartney
Usando meme para trollar igreja que condenou seu show

364 acessosThe Beatles: canal oficial do youtube publica vídeo de "Hey Bulldog"1643 acessosVinil: os 10 discos mais caros do mundo1520 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

FuturologiaFuturologia
Como estariam Cobain, Hendrix, Joplin e Morrisson?

Keith RichardsKeith Richards
Passeio movido a drogas com John Lennon

SpotifySpotify
Os artistas mais ouvidos em 2016 por gênero musical

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Ringo Starr"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

SlayerSlayer
Quando Cronos deixou Tom Araya de olho roxo

Rock CristãoRock Cristão
As principais bandas nacionais

SlipknotSlipknot
Mick Thomson esfaqueado em briga com irmão

5000 acessosBob Daisley: baixista dá detalhes de sua briga com Osbourne5000 acessosMike Terrana: "Malmsteen foi uma das piores pessoas que conheci!"5000 acessosIron Maiden: A tour de Powerslave quase acabou com a banda5000 acessosIron Maiden: conheça as versões de Eddie com o passar dos anos5000 acessosFutebol & Rock n' Roll: alguns jogadores que ouvem rock e metal5000 acessosHeavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online