John Fogerty no RJ: "eu vi um show do cara do Creedence"

Resenha - John Fogerty (Citibank Hall, Rio de Janeiro, 06/05/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Júnior Diniz Toniato
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Eu estava voltando de um jogo de volei no Maracãnazinho quando vi um "outdoor" escrito algo do tipo "A espera acabou, JOHN FOGERTY no Brasil". Você viu? - pergunto ao meu amigo. Quem? - ele responde. São coisas que acontecem.

5000 acessosCristina Scabbia: "Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"5000 acessosMetal sueco: site elege as dez melhores bandas da Suécia

Nos dias que se passaram procurei me informar de tudo sobre o show, preço, local, data e companhia. Essa não foi fácil, meu primo viciado em CREEDENCE mora no Espírito Santo e não tinha como vir. Um amigo que diz gostar muito optou por comprar um jogo de playstation 3 com a grana do ingresso. Beleza, vou sozinho! Cara é CREEDENCE!!! Como? - um amigo indagou no bar na segunda feira antes do show. Eu vou contigo - fechado então, é assim que eu gosto, mais espontaneidade e menos planejamento pra curtir a vida.

Ingressos comprados. Sexta chegou. Um pulo no trabalho de manhã para asistir uma apresentação do orientador e o resto do dia que se dane. Hoje tem JOHN FOGERTY e é isso que importa.

No local o clima era muito diferente de todos os shows de rock que já assisti, pouca gente, com menos de meia hora para o início. A maioria casais como os meus pais, tinha a impressão de que eles olhavam esse garoto com cara de menino e pensavam "o que esse muleque tá fazendo aqui?". E eu os respondi quando cantei todas as canções em auto e bom som, mas não coloquemos a carroça na frente dos bois.

Entramos, uma cervejinha? Sete reais? Tá, vamos tomar uma enquanto o show não começa. Achamos nossas cadeiras, bem no meio. Muitas cadeiras vazias e atrás de nós, ninguém. Ótimo, porque se alguém tá esperando que eu fique sentadinho na hora que o cara aparecer naquele palco tá muito enganado. As luzes se apagaram, mais alguns minutos e bum! O ritmo estridente de "Hey Tonight" sacodiu a galera. Som muito alto, ótimo! Que se exploda! Já gastei muito dinheiro com coisas menos empolgantes que isso. Cara é o CREEDENCE ali na frente. Garçon! Traz um balde de cerveja pra gente!

E foi assim, tomando uma cerveja muito gelada ouvimos também "Green River". Uma pequena pausa e o JOHN falou com a gente, contou sobre o Woodstock de 1969 e disse "indo pra casa depois daquele show eu escrevi essa canção" e assim tocou "Who'll Stop The Rain". E a balada não era nada ainda do que tinha por vir, "Susie Q", "Lookin' out my back door", "Lodi" e "Born on the bayou". Incrível! A sua voz não é a mesma, mas com 65 anos o cara não para de correr, cantar e animar a galera.

Os solos de guitarras estavam extremamente envolventes e longos. Tão longos que até "Ramble Tumble" ele mandou. Essa foi a primeira surpresa da noite. Foi lindo, a banda muito bem organizada e um belo solo que só esta música contem. Sou fã de canções "lado B" como dizem, e esse foi o início de um grande presente. Seguiu-se então "Midnight Special" e "Cotton Fields". What a hell man! Perfeito.

A primeira canção da carreira solo veio com "Hot Rod Heart", seguida de "Don't You Wish It Was True". Ele falava muito da família e agradecia muito por estar ali e por nós cantarmos com ele. Em uma dessas dedicatórias o cara abraçou um violão e cantou "Have You Ever Seen The Rain". Todo mundo que ouve música sabe cantar o refrão dela, mas ouvi-la a partir do próprio JOHN FOGERTY foi uma experiência única.

O próximo hit da guitarra foi pra assustar todos. Mas isso não é ROY ORBISON? - perguntou meu amigo. É, e muito bem executada "Oh, Pretty Woman". Surpresas à parte, a outra música foi como abrir a porta com um chute, "I Heard It Through The Grapevine"...oooh! Não tão longa quanto a magnífica versão do ao vivo duplo do CCR mas excepcional como só ela pode ser. E depois "Up Aroun The Band" não deixou o rítimo cair.

"Keep On Chooglin" estava começando quando a nossa cerveja acabou e eu já precisava ir ao banheiro, ossos do ofícil. Uma passada rápida no mictório, e todo mundo com a mesma pressa e comentando "que show foda!". Passei no bar pra comprar mais algumas geladas quando ouço uma gaita. Na mesma hora a moça diz "senhor, vamos ter que repassar seu pedido pois da cerveja que o senhor pagou eu só tenho 5". Pelo amor de deus mulher, põe qualquer cerveja mais barata dentro desse balde que eu tenho que voltar pro show! Assim ela o fez. Voltei correndo e ainda deu pra ver o cara arrebentando na harmônica. Sensacional!

E assim prosseguiu o espetáculo. Mais cerveja e mais som do Texas, "Down On The Corner", "Bad Moon Rising" entre algumas ótimas canções de sua carreira solo. Sempre trocando de guitarras, todas lindas diga-se de passagem, incluindo uma no formato de um taco de baseball. "Fortunate Son" veio muito agitada para encerrar a primeira sessão. Volta que o meu balde tá cheio de cerveja hein! - gritei.

E ele voltou com "Rockin' All Over The World" e "Proud Mary". Um bis curto na minha opnião, não que eu esteja reclamando de algo, mas por mim ele podia ficar tocando até o dia amanhecer que não ia faltar músicas e eu continuaria a pagar a cerveja cara, com um sorriso na cara de quem vai olhar pro outros na rua e dizer "eu vi um show do JOHN FOGERTY do CREEDENCE".

Set List completo:

1. "Hey Tonight"
2. "Green River"
3. "Who'll Stop The Rain"
4. "Susie Q"
5. "Lookin' Out My Back Door"
6. "Lodi"
7. "Born On The Bayou"
8. "Ramble Tumble"
9. "Midnight Special"
10. "Cotton Fields"
11. "Hot Rod Heart"
12. "Don't You Wish It Was True"
13. "Have You Ever Seen The Rain?"
14. "Oh, Pretty Woman"
15. "I Heard It Through The Grapevine"
16. "Up Around The Bend"
17. "Keep On Chooglin'"
18. "Down On The Corner"
19. "Rock And Roll Girls"
20. "Centerfield"
21. "The Old Man Down The Road"
22. "Bad Moon Rising"
23. "Fortunate Son"

Bis
24. "Rockin’ All Over The World"
25. "Proud Mary"

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de John Fogerty (Citibank Hall, Rio de Janeiro, 06/05/2011)

364 acessosJohn Fogerty: No Rio, clássicos do Creedence revigorados831 acessosJohn Fogerty no Rio de Janeiro: valeu a pena esperar!933 acessosJohn Fogerty no RJ: Show vibrante de ícone do rock

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Creedence Clearwater Revival"

Mais capasMais capas
A história do rock no Google Street View

Johnny CashJohnny Cash
10 músicas de rock que ele regravou

VietnãVietnã
A representação do conflito no rock da década de 60

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "John Fogerty"0 acessosTodas as matérias sobre "Creedence Clearwater Revival"

Cristina ScabbiaCristina Scabbia
"Símbolo sexual? fico surpresa com isto!"

Metal suecoMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

Led ZeppelinLed Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

5000 acessosMetal Extremo: chocando os jurados em reality-shows5000 acessosDoom Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo5000 acessosRobert Plant: "quase saí do Led quando meu filho morreu"5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson votou pela saída do Reino Unido da União Europeia5000 acessosShows e Festivais: 13 tipos de metalhead que você sempre encontra5000 acessosCordas de guitarra: como elas são vistas no microscópio?

Sobre Júnior Diniz Toniato

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online