Matérias Mais Lidas

Nightwish: As 10 músicas que mudaram a vida de Floor JansenNightwish
As 10 músicas que mudaram a vida de Floor Jansen

Brian May: por que ele prefere tocar com moeda ao invés de palhetaBrian May
Por que ele prefere tocar com moeda ao invés de palheta

Alcione: Peguei Axl Rose logo pela cintura, ele me abraçou, me chamou de 'amazing'Alcione
"Peguei Axl Rose logo pela cintura, ele me abraçou, me chamou de 'amazing'"

Kurt Cobain: por que ele se sentia ofendido por bandas como Pearl Jam e Alice in ChainsKurt Cobain
Por que ele se sentia ofendido por bandas como Pearl Jam e Alice in Chains

Megadeth: Max Norman diz que Mustaine roubou seus créditos de produção em álbum famosoMegadeth
Max Norman diz que Mustaine roubou seus créditos de produção em álbum famoso

Dream Theater: James LaBrie grava Kickstart My Heart com banda do filhoDream Theater
James LaBrie grava "Kickstart My Heart" com banda do filho

Pink Floyd: os incríveis desenhos de uma inteligência artificial para músicas da bandaPink Floyd
Os incríveis desenhos de uma inteligência artificial para músicas da banda

Gene Simmons: como Paul Stanley teve a ideia do nome KissGene Simmons
Como Paul Stanley teve a ideia do nome Kiss

Max Cavalera: Devemos usar nossa música como armaMax Cavalera
"Devemos usar nossa música como arma"

Lista: 15 músicas para quem vai passar o Dia dos Namorados sem companhia (mais uma vez)Lista
15 músicas para quem vai passar o Dia dos Namorados sem companhia (mais uma vez)

Motorhead: 10 das frases mais marcantes de Lemmy KilmisterMotorhead
10 das frases mais marcantes de Lemmy Kilmister

Helloween: Michael Kiske realmente não gosta de heavy metal? Vocalista respondeHelloween
Michael Kiske realmente não gosta de heavy metal? Vocalista responde

Dia dos Namorados: 15 músicas para você ouvir junto com mozão nesta data especialDia dos Namorados
15 músicas para você ouvir junto com "mozão" nesta data especial

Metaleiro também ama: músicas escritas por bandas de metal que falam de amorMetaleiro também ama
Músicas escritas por bandas de metal que falam de amor

Savatage: Jon Oliva diz que tem material para três álbuns, mas não garante retornoSavatage
Jon Oliva diz que tem material para três álbuns, mas não garante retorno


Pentral
Arte Musical

RVM: apresentação impecável de um time de primeira linha

Resenha - Recordando o Vale das Maçãs (Teatro Municipal, Pouso Alegre, 25/10/2009)

Por Doctor Robert
Em 03/11/09

A cidade de Pouso Alegre comemorou 161 anos na segunda-feira dia 19 de outubro. Durante a semana aconteceram várias atrações culturais no município, dentre elas uma apresentação gratuita em praça pública do Titãs. Para encerrar a semana, a cereja do bolo foi a apresentação do veterano grupo de rock progressivo Recordando o Vale das Maçãs, no Teatro Municipal. Embora a entrada também fosse franca, o público ficou um pouco aquém do que a noite e os músicos mereciam. A casa não lotou, mas quem esteve lá pode presenciar uma apresentação impecável de um time de músicos de primeira linha.

Poucos minutos depois das 8 horas da noite daquele domingão quente pra burro, o RVM subiu ao palco e deu início a um verdadeiro show de boa música, virtuosismo e grandes arranjos. A faixa de mesmo nome do grupo foi o pontapé inicial do espetáculo, e o que se pode presenciar foi uma banda de energia e astral renovados, bem como uma qualidade muito boa de som. Fernando Pacheco demonstrou muita simpatia nos intervalos entre as músicas, onde apresentava e explicava ao público um pouco sobre as composições. Chegou até a brincar que estava de mau humor por conta da derrota do Santos para o São Paulo no clássico do campeonato brasileiro daquela tarde. Isso tudo sem falar que, mais uma vez, ele provou ser um músico acima de qualquer suspeita. Em seus devidos momentos, brilhava a cada arranjo peculiar, a cada belo solo que oferecia ao público, aliando técnica, versatilidade e feeling durante toda a noite.

Dando sequência à apresentação, mais dois grandes temas: uma versão instrumental de "As Crianças da Nova Floresta", do primeiro álbum da banda, e a excepcional "Ciclo da Vida". Há de se ressaltar ainda a grande performance de Lael Campos, tirando sons e solos extraordinários de seus teclados. Emendando o final desta, a banda executou ainda a breve "Civilização Maia", que Pacheco explicou de maneira muito bem humorada se tratar de uma introdução para uma grande sinfonia que ele ainda não compôs. Se durante todo o show os músicos se intercalavam em momentos de destaque pessoais, na medida exata, foi a partir deste momento que o brilhantismo de cada um deles ficou ainda mais evidente.

As duas próximas composições, "Universe" e "It’s Time To Change", são músicas que fazem parte do álbum "Spirals Of Time", gravado pelo G.A.L.F., que viria a se tornar o embrião desta nova formação do RVM. Agora a vez de brilhar foi do baixista Giuliano Tiburzio, que na primeira empunhou um baixo fretless e desceu a mão nele, numa levada cheia de variações junto ao baterista Tom Zé Bortolotto, enquanto Lael e Pacheco viajavam em grandes solos de seus instrumentos. Já na segunda, assumiu brilhantemente os vocais, cantando muito e demonstrando muita segurança numa composição simplesmente viajante, com seus mais de vinte minutos e suas inúmeras mudanças de arranjos, andamento e clima. Aliás, esta foi a única música não-instrumental da noite.

A essas alturas já tínhamos bem mais de uma hora de espetáculo, e chega o momento de anunciar a derradeira composição da noite, "Himalaia", do álbum de mesmo nome. Quem roubou a cena desta vez foi o baterista Tom Zé, que embora tenha "desaparecido" em meio ao seu grande kit de bateria, percussão e pratos, destruiu tudo, no melhor sentido da palavra, demonstrando técnica e precisão invejáveis.

Chegava ao fim a apresentação deste quarteto brilhante, com músicos cujo talento infelizmente não têm o devido reconhecimento neste país de cultura tão pobre – garanto que o show sertanejo realizado na noite anterior na mesma cidade deveria estar lotado de "cowboys" cantando e aplaudindo as duplas que apresentavam aquelas composições de qualidade duvidosa de sempre... Uma pena. Quem não compareceu, perdeu um verdadeiro espetáculo, não só para fãs de rock progressivo, mas principalmente para admiradores de música de qualidade.

Sucesso e vida longa a estes quatro grandes músicos...

SET LIST:
Recordando o Vale das Maçãs
As Crianças da Nova Floresta
Ciclo da Vida
Civilização Maia
Universe
It’s Time To Change
Himalaia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Blind Guardian
Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Slipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy MetalSlipknot
Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal

Anthrax: Scott Ian apresenta a solução para o Phil AnselmoAnthrax
Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo


Sobre Doctor Robert

Conheceu o rock and roll ao ouvir pela primeira vez Bohemian Rhapsody, lá pelos idos de 1981/82, quando ainda pegava os discos de suas irmãs para ouvir escondido em uma vitrolinha monofônica azul. Quando o Kiss veio ao Brasil em 1983, queria ser Gene Simmons e, algum depois, ao ver o clipe de Jump na TV, queria ser Eddie Van Halen. Hoje é apenas um bom fã de rock, que ouve qualquer coisa que se encaixe entre Beatles e Sepultura, ama sua esposa e juntos têm um cãozinho chamado Bono.

Mais matérias de Doctor Robert.