Resenha - 2º True Metal Fest (Guanabara Rocket, Porto Alegre, 12/03/2005)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Hugo Guaraná Lobo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Capitaneado pelo produtor musical Flávio Soares (também baixista da banda Leviaethan), a segunda noite do 2º True Metal Fest (dentro da programação “March of Metal”), contou com a grande presença da banda paulista de thrash metal ATOMICA, que pela 1ª vez se apresentava no sul do Brasil.
5000 acessosMetallica: James Hetfield explica suas tatuagens preferidas5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1990

Com um público pequeno, mas fiel, por volta da 01 hora da manhã a primeira banda da noite foi a HEREGE (de Cruz Alta-RS). A banda apresentou músicas próprias, com destaque para o baixista Rodrigo Dantas e alguns covers também: Accept “Balls to the wall”, Iron Maiden “Killers” e Judas Priest “The Hellion/Eletric Eye, Metal Gods”, músicas que ressaltam as boas influências que a HEREGE possui, mostrando como fazer um competente heavy metal .

Após um pequeno intervalo para troca de equipamentos, foi a vez da M-26 (de Pelotas–RS) mostrar o estilo Doom/Dark Metal, com boa performance da vocalista Carla e uma boa presença de palco da banda, que colocou bastante peso no Guanabara Rocket.

Pelos cartazes da divulgação do evento a próxima banda seria a BLAKK MARKET (SC), mas que por motivos pessoais não puderam comparecer, e então a banda porto alegrense de thrash metal DECIMATOR subiu ao palco. Quem já viu a banda ao vivo já esperava a postura thrash “anos 80”, e eles começaram detonando com a música “Criminal Mind”. Depois vieram “The Southern Wind”, “Earthquake” e “Thrash Assault”. Eles têm uma sonoridade bem thrash, mas com vocais até guturais do vocalista Caesar, num estilo mais death. Tiveram alguns problemas técnicos durante o show, mas nada que atrapalhasse muito. Seguiram com a musica “This land has Owner” e fecharam o set com “Bloodish War”.

Já eram mais de 04 da manhã, e o pequeno mas entusiasmado público seguia firme aguardando ansiosamente os thrashers paulistas do ATOMICA. E como já diz o ditado “a primeira vez a gente nunca esquece”. Ao som de uma pequena introdução, eles começaram o ataque sonoro com o som “Ways of Death”.
Mesmo se apresentando num palco pequeno (mas com boa iluminação e qualidade razoavel de som) o agora quarteto formado por J. M. Francis (guitarra), J. P. Francis (guitarra/vocal), André Rod (baixo) e Mário Sanefuji (bateria), mostrou toda experiência de estrada que a banda possui, tocando com muito “feeling” e uma garra impressionante, fazendo até parecer que os anos 80 tinham voltado no tempo, numa postura totalmente thrash metal, e que poucas bandas sabem fazer com competência.

A banda baseou o set list do show nos seus três discos: Attomica (1987), Limits of Insanity (1989) e
Disturbing The Noise (1991), sem tocar nenhum material “novo”, com o J. P. Francis fazendo um bom trabalho no vocal, bem rasgado e agressivo (apesar do microfone falhar algumas vezes), detonando sua guitarra com muitas bases rápidas e solos alternados juntamente com seu irmão J. M. Francis na segunda guitarra, com destaque para o “samurai” Mário Sanefuji que deu uma verdadeira aula de bateria, com batidas precisas, sabendo ser rápido na medida certa, além de muito peso do baixista André Rod.

O público interagia muito com o ATOMICA, que seguia mostrando como se faz o “true thrash metal” (verdadeiro e sem frescuras), como as bandas “das antigas” faziam e hoje em dia algumas até se “esqueceram’ como se faz.

Sem nenhum cover, encerraram o show com a música “Forbidden Hate”, sob aplausos dos já cansados, mas satisfeitos bangers gaúchos. Espera-se que esses paulistas da cidade de São José dos Campos venham mais vezes ao RS, e não demorem muito para isso, pois o thrash metal do ATOMICA realmente “destrói”.

Set list do ATOMICA:

1 – Ways of Death
2 - Dying Smashed
3 - Flesh Maniacs
4 – Marching Over Blood
5 - From Beyond
6 - The Chainsaw
7 – Blood
8 – Children Assasins
9 - Violence & Terror
10 - Deathraiser
11 – Samurai / No Life
12 - Forbidden Hate

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Atomica"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Atomica"

MetallicaMetallica
James Hetfield explica suas tatuagens preferidas

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1990

Raise the hornsRaise the horns
A origem de um dos simbolos mais fortes do Heavy Metal

5000 acessosDeath Metal: menina de 6 anos detona no America's Got Talent5000 acessosMegadeth: os melhores álbuns da banda segundo o About.com5000 acessosSasha Grey: sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinil5000 acessosPhil Anselmo: resposta às críticas de Robb Flynn e Scott Ian por racismo1923 acessosDrew Struzan: a arte nas capas do Black Sabbath, Alice Cooper e outros4614 acessosMetallica: trio de garotos toca músicas da banda e bomba na web

Sobre Hugo Guaraná Lobo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online