Resenha - Emmerson Nogueira (ATL Hall, Rio de Janeiro, 28/06/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Trovão
Enviar Correções  

Depois de 2 álbuns em que regravou clássicos do rock em versões acústicas (que venderam como água no deserto), Emerson Nogueira lotou o ATL Hall para sua primeira apresentação de grande porte no Rio de Janeiro.

AC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de AngusBlaze Bayley: "é melhor ser ex do Iron que do A-HA"

O show começou por volta das 23hs, e numa produção de palco simples, Emerson Nogueira chamou a atenção do público apenas pela música, o que não foi muito difícil com o desfile de clássicos que todos sabiam as letras de cor.

Kayleigh (do Marillion) abriu o show logo após uma pequena introdução instrumental, que já serviu para mostrar toda a categoria de sua banda de apoio, formada por Sarah Furtado e Vanessa Farias (backing vocals), Luciano Mendonça (baixo), Felipe Grillo (teclados), Zé Mário (bateria) e Marcos Falcão (violões e guitarras), este o grande destaque individual, com solos belíssimos e técnica fantástica, emocionando inclusive no Lap Steel.

Emerson Nogueira não é um exímio cantor, muito menos um violonista virtuoso, porém tem muito bom gosto para escolher seu repertório e um feeling excelente para os arranjos, que mesmo nos casos em que se mantém quase fiéis aos originais ele consegue deixar seu estilo.

A noite passou agradavelmente com o público cantando junto todas as músicas (quem não conhece Wish You Were Here, Every Breath You Take, Tom Sawyer, Africa, America, Show Me The Way, entre outras).

No final, uma pergunta ficou na minha cabeça: será que esse mesmo público lotaria um show de algumas bandas cujas músicas foram tocadas esta noite, como Marillion ou Yes? Eu tenho minhas dúvidas...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


AC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de AngusAC/DC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Blaze Bayley: é melhor ser ex do Iron que do A-HABlaze Bayley
"é melhor ser ex do Iron que do A-HA"


Sobre Fábio Trovão

Guitarrista e professor de Inglês! Adora Heavy Metal em geral, principalmente Heavy Progressivo!

Mais matérias de Fábio Trovão no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin