Resenha - Krisiun (Complexo São Braz, Belém, 11/05/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo André Cavalcante
Enviar Correções  

Originalmente publicado no site Norte ao Rock

Max Cavalera: "Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nome"Motörhead: Amy Lee no colo de Lemmy Kilmister

Fotos: Alexandre Nogueira


A banda gaúcha de death metal Krisiun esteve em Belém no último domingo, dia 11, finalizando a turnê mundial "Ageless Venomous World Tour" e promovendo o pré-lançamento da "Works of Carnage Tour 2003". O show foi produzido pela Leprosys Produções e Eventos, incentivadora número um do metal local, e contou com um público de aproximadamente 500 pessoas. Os portões do Complexo Cultural de São Braz foram abertos por volta das 19hs já com a primeira banda, Disgrace and Terror, no palco. O evento ainda teve a participação das bandas Morticinum e Retaliatory.

Os Shows...


Disgrace and Terror

Banda com um pouco mais de 2 anos de existência, mas que vem evoluindo de forma impressionante no cenário local. No seu set, algumas músicas da primeira demo lançada ano passado, além de várias novidades. Destaque absoluto para a performance em "Human Remain", que já virou clássico da banda. Tocaram pela primeira vez um show inteiro com o segundo guitarrista (Douglas – Ex-Rytual de SC), onde se pôde constatar que o som da banda ganhou mais personalidade e agressividade. Acertaram em cheio na escolha.


Morticinum

O público esperava ansioso para o que seria mais uma apresentação densa e marcante de um dos principais ícones do death paraense. Entretanto, devido a um problemas ocorrido na bateria, o público teve que se contentar com apenas 3 músicas da banda. Apresentaram um novo petardo chamado "To Kill The Order" e mandaram duas músicas da demo "Essence of Disgrace", que fez a banda ganhar projeção nacional através de boas críticas nas revistas Rock Brigade e Roadie Crew, sendo convidada para participar este ano do V FORCAOS, junto com a também paraense ETERNAL DARKNESS 666.


Retaliatory

Acredite, em Belém, o show do RETALIATORY é tão aguardado pelo público quanto o de qualquer banda grande e conhecida. Isso deve-se, com certeza, ao carisma da banda e a preservação das suas raízes fincadas no thrash brutal paraense dos anos 80, raízes estas também notadas em bandas como o Zênite, que hoje é sucesso total nos festivais que participa em São Paulo. No set, a banda veio com novidades: "Rest of Death" e "Deadly Routine" foram apresentadas ao público paraense que "bangueou" do inicio ao fim do show. Não faltaram os velhos clássicos da banda que já fazem parte da história do metal local como, "Retaliatory Attack" e "Obskure Side", esta com os solos de um segundo guitarrista (Marcelo) que está fazendo teste com a banda.

Krisiun

Pela primeira vez em Belém, O KRISIUN mostrou logo de cara ao que veio. Antes do início, Max fez um solo na passagem de som da bateria, deixando o público inquieto. Em seguida sobem ao palco Moysés e Alex, abrindo o show com a pancada "Kings of Killing", dando início ao que seria uma das mais brutais apresentações de death metal que Belém já presenciara. Na seqüência, "Cursed Scrolls", "Hatred Inherit" e "Dawn of Flagellation". Entre uma música e outra, a banda ia mostrando sua admiração pela cena metal paraense, inclusive citando a lendária banda Stress que, para que não sabe, foi a primeira banda de heavy metal da América do Sul a gravar um álbum (Flor Atômica). Um pouco depois, vem o esperado solo de bateria de Max Kolesne, deixando todos os presentes boquiabertos com sua técnica e velocidade com o pedal duplo. "Olha aí nossa bateria eletrônica", disse Alex como resposta àqueles que acusam a KRISIUN de usar bateria eletrônica em seus álbuns. Em seguida mandaram dois sons que farão parte do novo cd "Works of Carnage", um deles com o título de "Thorns of Heaven", e a outra ainda sem título, ambas, com aceitação imediata por parte do público. Outros destaques ficaram por conta de "Black Force Domain", "Vengeance’s Revelation", "Conquerors of Armageddon" e uma versão para o clássico "In League With Satan" do VENOM com Alex anunciando: "Essa é dos verdadeiros deuses do metal".


O show não foi muito longo, durando um pouco mais de uma hora, estavam com o tempo esgotado, além de cansados, pois ainda não haviam dormido desde o show em São Luis horas antes. Finalizaram com "Creation’s Scourge", com Alex no final se jogando sobre o público. Os irmãos já haviam afirmado que tocam em pequenos shows com a mesma energia com que tocam em grandes festivais mundo afora. Neste show, o público de Belém pôde ter certeza disso.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Krisiun: emo pagando de roqueiro não dá, isso não é rockKrisiun
"emo pagando de roqueiro não dá, isso não é rock"

Krisiun: se não tivessem agido rápido, a banda poderia ter sido presa, diz MoysesKrisiun
Se não tivessem agido rápido, a banda poderia ter sido presa, diz Moyses


Max Cavalera: Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nomeMax Cavalera
"Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nome"

Motörhead: Amy Lee no colo de Lemmy KilmisterMotörhead
Amy Lee no colo de Lemmy Kilmister


Sobre Paulo André Cavalcante

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin