Eric Singer: "o Kiss transcende gerações e toca as pessoas"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 05/06/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Marc McLaughlin, do Sacramento Press, entrevistou recentemente o baterista do KISS Eric Singer. Seguem alguns trechos da conversa.

538 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão5000 acessosGuns N' Roses - Perguntas e Respostas

Sacramento Press: Qual a sensação de fazer parte de uma banda tão icônica?

Eric Singer: Apesar de eu não ser um membro original, realmente é uma sensação incrível. Essa é uma banda que as pessoas reconhecem conheçam ou não a música. A banda é conhecida no mundo inteiro; quando viajamos para a Europa, é incrível o tanto de gente que vêm nos ver. Estar com pessoas como Gene Simmons and Paul Stanley, dois membros originais, (faz você) entender que essa banda transcende gerações e realmente toca as pessoas. Bem, no fim das contas, seu público é o que te ajuda a te colocar em uma posição positiva. Sem uma base de fãs, você não tem nada; contudo, você tem de se manter ali fazendo música, o show e as performances. Eu sempre digo às pessoas "Você vota através de participação na vida". Se alguém decide que não gosta do produto, serviço ou da forma como é tratado, esse alguém vai parar de adquirir o produto. Eventualmente, a empresa terá de redesenhá-lo ou vir com um novo produto para manter sua clientela. Isso é verdadeiro para qualquer coisa, então suas ações e seu trabalho precisam estar no alvo para te manter no negócio.

Sacramento Press: Falando nisso, qual a sensação agora que a banda está experimentando emergir novamente na indústria da música?

Eric Singer: Toda banda passa por seus altos e baixos e seu apoio vem em ondas, então é normal para nós. É bom, apesar de tudo, ver que as pessoas ainda querem estar a nosso redor e vir ver essa banda icônica. Seja onde você tiver gente que apóia o que você faz, isso é bom e nós apoiamos muito isso. Sem nossos fãs nós não estaríamos aqui, e saber que eles nos apóiam é o maior elogio de todos.

Sacramento Press: O KISS é conhecido por sua maquiagem. Como é estar ali e ter ela aplicada em você – isso se torna um papel que você vai representar no qual você vai incorporando ou apenas mais uma coisa que tem de ser feita?

Eric Singer: Sim, a maquiagem é algo que nos faz ser conhecidos mais do que qualquer outra coisa. Alguns conhecem o "monstro" enquanto outros conhecem a "estrela". É tudo parte de quem somos. Por causa disso, o processo é algo que não pode ser explicado. Leva algumas horas para ficar pronto e a maquiagem é um segredo bem guardado. Quando eu comecei a fazer pela primeira vez, foi uma sensação estranha tomar aquele papel; tornar algo tão conhecido, tão icônico. Mesmo após todo esse tempo, ainda é a mesma coisa. Você se torna parte de um personagem e você usa isso para entreter os fãs. Mesmo com essas entrevistas, é parte do que fazemos. Para isso nós tomamos o vôo mais cedo para podermos passar mais tempo com a imprensa. Sabe, o Gene e o Paul têm feito isso desde o começo e eles ainda percorrem aquela milha extra e falam com as pessoas quando são solicitados. Isso é parte do que faz a banda ser o que é. A ética profissional é muito elevada e é uma parte importante do que fazemos. Todos fazem sua parte para manter as coisas seguindo em frente. Muitas bandas de níveis mais baixos não dedicam seu tempo e isso é parte da razão por que nossa base de fãs é tão profunda e nos apóia tanto.

Leia a entrevista na íntegra (em inglês) no Sacramento Press:
http://www.sacramentopress.com/headline/51388/WALK_N_ROCK_FO...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Paul StanleyPaul Stanley
"Guitarristas não aprendem a fazer base"

538 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão496 acessosAce Frehley: "Anomaly" ganha versão deluxe; ouça música inédita767 acessosKiss: bicicleta de triathlon em edição limitada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kiss"

MaquiagensMaquiagens
O fim da polêmica Kiss x Secos & Molhados

Mike PortnoyMike Portnoy
Baterista explica a camisa "Fuck Paul Stanley"

RoadrunnerRoadrunner
Os melhores frontmen de todos os tempos

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"

Guns N RosesGuns N' Roses
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

David BowieDavid Bowie
Muito mais assustador do que Michael Jackson

ShamanShaman
Fernando Quesada desabafa sobre cena brasileira

5000 acessosRolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutos5000 acessosBeatles: Quais as pessoas e objetos da capa do Sgt. Peppers?5000 acessosVersões originais: 10 músicas que foram "tomadas" emprestadas5000 acessosIron Maiden: Lady Gaga acordou às 5 da manhã para comprar TBOS4149 acessosThe Walking Dead: e se a série fosse refeita com astros do Rock?4250 acessosQueen: polêmico cover traz Freddie Mercury saindo do túmulo

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online