Matérias Mais Lidas

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemAdrian Smith e a volta ao Maiden: "queriam o Bruce e já tinham dois guitarristas"

imagemLes Claypool, do Primus, explica por que não se tornou baixista do Metallica

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemMetallica divulga vídeo de "Whiskey In The Jar" ao vivo em Curitiba

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa

imagemOzzy achou que integrantes do Metallica estavam tirando uma com sua cara durante turnê

imagemClassic Rock lista 15 músicas do saudoso Chris Cornell que você precisa conhecer

imagemQuando Pete Townshend faltou a um show do The Who pra ir assistir o Pink Floyd

imagemRage Against The Machine vem ao Brasil em dezembro, diz José Noberto Flesch

imagemRob Halford explica como surgiu ideia de entrar no palco em cima de uma moto

imagemA surpreendente maneira que Nando Reis ficou sabendo da morte de Marcelo Fromer

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemKiko Loureiro diz que é mais fácil compor "música louca" de 20 min do que de 4 min

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth


Stamp

Amy Winehouse: hoje cantora sairia do temido Clube dos 27

Por Breno Airan
Fonte: Rock na Velha
Em 15/09/11

"A vida inteira fui barulhenta, ao ponto de me dizerem para calar a boca.

A única razão que eu tinha para isso era porque precisava gritar para ser ouvida na minha família.

Minha família? É, vocês leram certo. O lado da minha mãe é bem legal, a família do meu pai é a extravagância cantante, dançante musical, tudo musicalmente pirado.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Disseram-me que era dotada de uma bela voz, e acho que a culpa disso é do meu pai.

Ao contrário do meu pai, de sua criação e seus ascendentes, quero fazer alguma coisa com o talento com o qual fui "abençoada".

Meu pai se contenta em cantar em voz alta em seu escritório e em vender janelas. Minha mãe, no entanto, é química. Ela é quieta, reservada.

Eu diria que minha vida escolar e boletins escolares estão cheio de "poderia fazer melhor" e "não aproveita seu potencial máximo".

Quero ir para algum lugar em que possa ir até o meu limite e talvez mesmo além.

Cantar em aulas sem que me digam para calar a boca (desde que sejam aulas de canto).

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mas, principalmente, tenho um sonho de ser muito famosa. Trabalhar no palco. É uma ambição da vida inteira.

Quero que as pessoas ouçam a minha voz e simplesmente... esqueçam seus problemas durante cinco minutos.

Quero ser lembrada por ser uma atriz, uma cantora, por concertos repletos e shows lotados West End e na Broadway.

Por simplesmente ser... eu".

Isso foi o que escreveu AMY JADE WINEHOUSE, uma menina judia de apenas 13 anos, ao entrar na Sylvia Young Theatre School, com o sonho de encantar o mundo. Todos os alunos, na verdade, tinham que fazer um curto ensaio e a pequena Amy escreveu praticamente um atestado, uma premonição.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Confesso que quando a vi pela primeira vez – foi num programa qualquer da MTV –, ela estava tinindo cantando pros quatro ventos que não iria de jeito nenhum para a reabilitação e não fui muito com a cara dela. Só que seu primeiro hit "Rehab" é impossível se tirar da cabeça. No, no, no. Não tente.

Eu diria que a diva era do que a música estava precisando. Ela é praticamente a JANIS JOPLIN dos nossos tempos, o Kurt Cobain da música inglesa, afinal, pegaram carona com ela as cantoras LILY ALLEN e ADELE, para citar apenas duas.

Mas o fato aqui é: há genialidade na música de AMY? Ou ela era só uma chorona, com letras melosas sobre relacionamentos? Creio que os dois. Ela foi acometida, em 2006, quando fez o play "Back to Black", por um surto de iluminação. E como explicar se a música dela é realmente boa? Bem, o filósofo alemão Kant, se bem me recordo, falou em sua "Crítica da Razão Pura" que o que é belo é universalmente agradável, não importando o conceito.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

O que quero dizer é que sempre vai haver comentários a favor da cantora, tentando fomentar o quanto seu som é bom e porque o é. Ele simplesmente o é. É elegante. Cheio de vida e tem grande capacidade de aceitação. (Até minha mãe gostou dela, apesar de ser a drogada que era.)

Com efeito, AMY tentou e conseguiu. Ela pôs um fim no preconceito de certa forma. Se fosse um integrante do Oasis no lugar dela, por exemplo, ninguém faria cara feia ou nenhum tipo de esgar de asco. Contudo, no caso dela: "Oh, lá vai a AMY, mais uma vez bêbada e drogada..." – mas o OZZY OSBOURNE todo mundo gosta de ver doidão, flying high again and again.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Esse é o ponto. A cantora inglesa que nasceu num bairro ao norte de Londres, chamado Southgate, não era somente uma bêbada drogada miserável que dava manchetes em revistas sensacionalistas ou em portais de conglomerados fúteis.

Hoje, dia 14 de setembro, ela faria 28 anos, saindo assim do temido clube dos 27. Com essa idade, morreram diversos monstros do rock, com JIMI HENDRIX, KURT COBAIN, JIM MORRIONSON, JANIS JOPLIN, ROBERT JOHNSON e BRIAN JONES.

Se estivesse viva, ela lançaria já, já seu terceiro CD – o primeiro foi "Frank", em 2003, referência clara ao seu mestre Sinatra. AMY também havia aceitado casar com o atual namorado, o cineasta REG TREVISS. A diva tinha decidido parar de beber, passando um tempo numa ilha, isolada também das drogas, só na base da água de coco e da rede entre coqueiros.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A família dela acredita que ela tenha morrido por ter tentando parar abruptamente de beber. A autópsia dos peritos e médicos legistas ainda não saiu – o resultado, só em outubro. E o grande culpado pelo abismo diante da cantora não foi ninguém senão seu ex, o ladrão de egos BLAKE FIELDER-CIVIL, que a introduziu nas ditas "drogas pesadas".

O pai de AMY, o taxista MITCHELL WINEHOUSE, e a mãe, a farmacêutica JANIS, se separaram com a filha ainda pequena. E agora se veem diante de uma separação injusta: a pequena AMY sonhadora indo embora, da mesma forma que uma agulha tenta achar mais sulcos no vinil e não acha.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O que ficam são os cinco Grammy conquistados pela jovem cantora e mais de mil semanas no topo das paradas. Em todo o mundo, praticamente. O mais interessante é que AMY trouxe à tona todo o charme dos anos 1950 e 1960. Principalmente em seu look. Cabelos, roupas, tatuagens, olhar perdido e nervoso em direção do chão, sempre com um copo na mão. "Sempre que me sinto insegura, eu bebo. Muito. E eu sou muito insegura o tempo todo", disse ela em sua biografia, escrita por CHAS NEWKEY-BURDEN.

Pois bem. O álbum "Back to Black", produzido por MARK RONSON, deixa o ouvinte arfante. De tão bom (imagine essa versão, que é deluxe). Se você abrir a mente, AMY pode entrar para nunca mais sair. É, a menininha que ganhou aos 13 uma guitarra Fender Stratocaster e tinha uma banda de brincadeira chamada Sweet’n’Sour conquistou o mundo. E deu a sua alma por isso no dia 23 de julho de 2011.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Para conferir a nova música da diva:
http://tribunahoje.com/blog/rock-na-velha/753/2011/09/14/amy-winehouse-faria-hoje-28-anos-ouca-a-nova-musica.html


Morte de Amy Winehouse

Amy Winehouse: cantora morre... aos 27 anos de idade!Amy Winehouse: cantora morre... aos 27 anos de idade!

27 anos: além de Amy Winehouse, veja outros que morreram27 anos: além de Amy Winehouse, veja outros que morreram

Dave Mustaine: Por que Amy não disse 'sim, sim, sim'?Dave Mustaine: "Por que Amy não disse 'sim, sim, sim'"?

Amy Winehouse: como os roqueiros reagiram ao fato?Amy Winehouse: como os roqueiros reagiram ao fato?

Da Morte ao Mito: a morte da cantora Amy Winehouse

Poison: Rikki Rockett em declaração sobre Amy Winehouse

Aliterasom: Amy Winehouse, talento não cura a dor

Nikki Sixx: sua opinião sobre a morte de Amy Winehouse

Gene Simmons: prestando solidariedade a Amy WinehouseGene Simmons: prestando solidariedade a Amy Winehouse

Duff McKagan: Ninguém escolhe o vício, nem Amy WinehouseDuff McKagan: "Ninguém escolhe o vício, nem Amy Winehouse"

Amy Winehouse: há um ano, cantora entrava no Clube dos 27

Green Day: banda grava faixa em homenagem a Amy Winehouse

Gene Simmons: Kurt Cobain e Amy Winehouse não são íconesGene Simmons: "Kurt Cobain e Amy Winehouse não são ícones"

Todas as matérias sobre "Morte de Amy Winehouse"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Gene Simmons: "Kurt Cobain e Amy Winehouse não são ícones"

Duff McKagan: "Ninguém escolhe o vício, nem Amy Winehouse"



Sobre Breno Airan

Acima de tudo, um forte. Ser roqueiro no Nordeste é estar cercado de olhares de soslaio. Mas ele sabe ser simpático. Começou a escutar Heavy Metal ainda na barriga da mãe. A seu pai, uma verdadeira enciclopédia do estilo, deve tudo. Aos 14 anos, pediu para uma tia R$ 12 de presente de Natal, foi a uma loja de CDs usados e catou logo o "Rust in Peace", do Megadeth - em perfeito estado, inclusive. Daí por diante, a paixão só vem aumentando. É editor do blog Rock na Velha, integrante do blog Combe do Iommi e colaborador da revista alagoana Rock Meeting. Ainda tem tempo para ser jornalista e de tocar baixo em sua banda de Hard Rock, a Azul Manteiga.

Mais matérias de Breno Airan.