Black Sabbath: "Gastávamos mais em cocaína que com estúdio"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Henrique Schmidt, Fonte: Classic Rock Magazine, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O atual baterista contratado do Black Sabbath, Brad Wilk, falou de sua experiência de gravar o novo álbum 13 com Ozzy Osbourne, Tony Iommi e Geezer Butler.

Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoNew York Times: os 100 melhores covers de todos os tempos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em um curto vídeo detalhando como eles operaram durante as sessões o baterista diz: "Eu amo seu senso de humor. Nenhum deles se leva muito a sério" e acrescenta "...os caras são os melhores no que fazem - é inspirador ser parte disso".

Em uma cena Wilk é visto conversando sobre um dos álbuns anteriores do Sabbath, quando o baixista Geezer Butler diz-lhe: "Nós gastamos mais em cocaína do que no estúdio."

O produtor Rick Rubin fala das sessões: "No início, houve um pouco de receio, porque eles não tinham trabalhado juntos em 33 anos. Uma vez que eles começaram a fazer música se sentiram como uma banda de novo. "




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Black Sabbath"


Metal: você acredita na lenda do terceiro álbum? - Parte 1Metal
Você acredita na "lenda do terceiro álbum"? - Parte 1

Tradução: O clássico primeiro álbum do Black SabbathTradução
O clássico primeiro álbum do Black Sabbath


Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

New York Times: os 100 melhores covers de todos os temposNew York Times
Os 100 melhores covers de todos os tempos


Sobre Carlos Henrique Schmidt

Graduado em Computação e Administração, a paixão pela música pesada surgiu nos primeiros anos da adolescência e permanece até os dias de hoje. Apesar da preferência pelos estilos mais x-tremos da música pesada (Black, Death, Grind), o seu universo musical não limitado por estes rótulos, mas pelo que a música em si transmite.

Mais informações sobre Carlos Henrique Schmidt

Mais matérias de Carlos Henrique Schmidt no Whiplash.Net.

adGoo336