Dream Theater: Jordan Rudess fala do trabalho de Mike Mangini

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 16/09/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O The AU Review recentemente conduziu uma entrevista com o tecladista Jordan Rudess, dos gigantes do metal progressivo do DREAM THEATER. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

1131 acessosDream Theater: "Pull Me Under" é a mais importante da banda5000 acessosHeavy Metal: "um conforto para os jovens brilhantes"

The AU Review: Havia um tema central que vocês interpretaram ou usaram no novo álbum (auto-intitulado DREAM THEATER)? Eu sei que vocês, muitas vezes, vão para o estúdio com uma ideia - então havia alguma coisa a esse respeito, desta vez?

Rudess: Bem, você sabe, nós sempre entramos em estúdio com uma forte idéia conceitual daquilo que queremos criar. Basicamente, queríamos criar um álbum que pudesse ser talvez um pouquinho no ponto de ter várias músicas - um pouco mais conciso. Você vai notar que existem algumas músicas mais curtas do que um álbum habitual do Dream Theater. Queríamos ver se podíamos deixar um pouco de lado nosso estilo, mas sem realmente limitá-lo - tendo o mesmo tipo de integridade e virtuosismo e trazer músicas que tivessem definição. Dito isto, nós também temos um épico de 22 minutos do álbum, como se fosse uma espécie de libertação e, você sabe, uma viagem para a terra do prog.

The AU Review: Agora há um novo - bem, eu não posso dizer que seja um novo membro mais ele está na banda faz pouco tempo - mas o Sr. Mike Mangini (bateria), como é que o seu estilo de composição ajudou desta vez, com ele na banda no processo de escrita a partir de, praticamente, em cima da hora? Houve alguma coisa que vocês tiveram de se ajustar e fazer para encaixar no estilo da banda?

Rudess: Bem, foi muito interessante ter Mangini em todo o processo. Uma parte da situação é que ele é um cara muito otimista e energizado, então ter essa personalidade na sala com a gente foi uma boa experiência para todos nós. Em um nível musical, você sabe, Mike tem uma das mentes rítmicas mais incríveis, na minha opinião, que qualquer um. Então, ele tem facilidade em poder conceituar este tipo de conceito, em apenas pegar e tentar compor. Tivemos alguns resultados muito interessantes na maneira de fazer isso - foi fascinante para nós, porque todos no Dream Theater tem um bom senso de ritmo, mas nunca antes em nossa história tivemos este tipo de adição, onde alguém chega e diz, "Petrucci, se você tocar no tempo 7/10, e Jordan, se você repetir algo em cinco e eu tocar isso, tudo vai se unir" - você sabe, todos nós apenas damos risadas, porque era uma coisa maluca e muito legal que simplesmente era proporcionado por Mike. E, você sabe, eu acho que o que ajudou mais com o processo de composição foi apenas sua bateria - tê-lo lá, fazendo parte das composições, para que pudéssemos tentar algo e ter ele fazendo sua parte na bateria, fez com que compuséssemos de uma forma diferente.

Leia a entrevista completa (em inglês) no link abaixo:

http://www.theaureview.com/interviews/jordan-rudess-of-dream...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Dream TheaterDream Theater
"Pull Me Under" é a mais importante da banda, diz Petrucci

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

Mike PortnoyMike Portnoy
Não me considero um grande baterista

Dream TheatherDream Theather
A parafernália usada por Petrucci e Myung

Separados no NascimentoSeparados no Nascimento
James Labrie e Tite

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"

Heavy MetalHeavy Metal
Pesquisa indica que gênero é apreciado por alunos brilhantes

Covers inusitadosCovers inusitados
COB tocando Britney Spears? Shakira tocando ACDC?

A década perdida?A década perdida?
Rock Brasileiro da Década de 70

5000 acessosYngwie Malmsteen: primeira namorada fala sobre o guitarrista5000 acessosZakk Wylde: foto do arsenal de guitarras do músico5000 acessosGuitarristas: E se os mestres esquecessem como se toca?5000 acessosChris Cornell: cantor usou aparelho de escalada para tirar a vida5000 acessosBabymetal: O "kawaii metal" que conquistou o planeta5000 acessosRonnie James Dio: o insistente uso de "Night" pelo vocalista

Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online