Matérias Mais Lidas

Edu Falaschi: conheça as 10 participações especiais no álbum Vera CruzEdu Falaschi
Conheça as 10 participações especiais no álbum "Vera Cruz"

Megadeth: 15 músicas perfeitas para mostrar a banda para um inicianteMegadeth
15 músicas perfeitas para mostrar a banda para um iniciante

Rock e metal: 5 álbuns de destaque que estão sendo lançados nesta sexta (16)Rock e metal
5 álbuns de destaque que estão sendo lançados nesta sexta (16)

Iron Maiden: banda se une ao West Ham para lançar nova coleção de itens esportivosIron Maiden
Banda se une ao West Ham para lançar nova coleção de itens esportivos

Led Zeppelin: Jimmy Page elege seu melhor solo - e não é Stairway to HeavenLed Zeppelin
Jimmy Page elege seu melhor solo - e não é "Stairway to Heaven"

Doom Metal: A história do estilo em 29 músicas, segundo a Kerrang!Doom Metal
A história do estilo em 29 músicas, segundo a Kerrang!

Avril Lavigne: Danilo Gentili e SBT terão que indenizar fã da cantora em R$ 30 milAvril Lavigne
Danilo Gentili e SBT terão que indenizar fã da cantora em R$ 30 mil

James Hetfield: com Di'Anno e sem Dickinson, os 20 maiores vocalistas na opinião deleJames Hetfield
Com Di'Anno e sem Dickinson, os 20 maiores vocalistas na opinião dele

Jon Schaffer: ele assume culpa por duas acusações ligadas à invasão ao CapitólioJon Schaffer
Ele assume culpa por duas acusações ligadas à invasão ao Capitólio

Mötley Crüe: a ousada tattoo de modelo paulista em tributo à bandaMötley Crüe
A ousada tattoo de modelo paulista em tributo à banda

Go Ahead And Die: banda de Max Cavalera lança Toxic Freedom, mais uma música novaGo Ahead And Die
Banda de Max Cavalera lança "Toxic Freedom", mais uma música nova

Joey Ramone: há 20 anos, morria uma das maiores lendas da história do rockJoey Ramone
Há 20 anos, morria uma das maiores lendas da história do rock

Dream Theater: 15 músicas perfeitas para mostrar a banda para um inicianteDream Theater
15 músicas perfeitas para mostrar a banda para um iniciante

Ramones: as 10 melhores músicas da fase Richie RamoneRamones
As 10 melhores músicas da "fase Richie Ramone"

Iron Maiden: as 43 músicas de seus álbuns que eles nunca tocaram nos showsIron Maiden
As 43 músicas de seus álbuns que eles nunca tocaram nos shows


Stamp

Ian Anderson: os 40 anos de "Thick As a Brick"

Por Roberto Rillo Bíscaro
Em 23/01/15

1972: uma banda de folk progressivo lançou ambicioso álbum conceitual com apenas uma faixa. Na era em que tínhamos que mudar o vinil de lado, o grupo resolveu a questão colocando som de vento no final do lado A e no começo do B pra fingir que era fim e começo de música. Fracasso comercial? Pelo contrário, Thick as a Brick, dos britânicos do JETHRO TULL não apenas se tornou pedra lapidar do movimento prog, como alcançou o topo da resistente parada norte-americana. Outros tempos...

Os 44 bombásticos minutos da canção-álbum são recheados de instrumentos e variações de ritmo e andamento. IAN ANDERSON – líder inconteste do JETHRO – gaba-se de que o projeto é uma paródia aos meagalomaníacos álbuns conceituais de bandas prog, como o YES. Só que em 72, o grupo de JON ANDERSON ainda não lançara álbum conceitual. Pode até ser paródia, mas a menção ao YES – se não for invenção da imprensa – é farpa de diva.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

IAN ANDERSON criou uma personagem, o garoto-prodígio Gerald Bostock, que, aos 8 anos, ganhou um concurso literário com intrincado poema épico, pra em seguida ser desclassificado devido a seus supostos problemas mentais. A letra de Thick as a Brick seria o poema desse "pequeno Milton" (alusão a John Milton, de Paradise Lost), adaptada pela banda. Pra completar o pacote, a capa do álbum era uma réplica dum jornal de interior, contando a história do garoto, do uso de seu poema pela banda etc. Tudo com fotos e anúncios.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Monumental, Thick as a Brick, traz um IAN ANDERSON caprichando nas letras e incendiando na guitarra e na flauta, tocada ao vivo com o músico apoiado numa única perna. Com sua barba e cabelo fartos, parecia o Tom Bombadil, de Tolkien.

A era do CD pôs fim à inconveniência de lados A e B e podíamos ouvir a faixa-álbum em sua grandeza ininterrupta. O mesmo pode ser feito via You Tube, onde Thick as a Brick encontra-se integral:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

2012: sem cabelo ou barba, IAN ANDERSON saiu-se com uma continuação pro álbum. Também sem o JETHRO TULL, pois o maior criador de salmão da Escócia decidiu que Thick as a Brick 2 – Whatever Happened to Gerald Bostock fosse lançado como trabalho solo. Na era de estrelas pop de nomes como Ke$ha e will.i.am, o álbum ficou conhecido como TAAB 2. Puristas não devem se assustar: esse é o único laivo de contemporaneidade admitido pelo bardo prog.

ANDERSON se perguntou o que teria acontecido ao agora cinquentenário Gerald Bostock e bolou possibilidades, exploradas ao longo das 17 faixas de TAAB 2. A multiplicidade temática determinou a picotagem da forma, afinal agora é o narrador falando de diferentes Geralds e não mais o poema do menino.

Gerald pode ter se tornado um banqueiro ganancioso, um homossexual sem teto, um combatente na guerra do Afeganistão, um pastor evangélico dinheirista ou o dono duma pequena loja. Mais pro final do álbum, essas identidades se (con)fundem, pra revelar seu denominador comum: a solidão.

Na metade de sua sexagenaridade, ANDERSON cria um futuro desiludido pro pobre Gerald. Musicalmente, o roqueiro está bem menos bombástico, embora TAAB 2 não descambe pra sacarinose. Pelo contrário, há ótimos momentos de duelo entre flauta e guitarra, só que agora, o tom é mais soft rock. As referências de música folk inglesa e música erudita permanecem.

TAAB 2 começa onde Thick as a Brick terminara em termos de melodia. É realmente como se ouvíssemos a continuação da obra. E acaba com os mesmos versos do início do primeiro, com o acréscimo dum discreto "two".

Pra completar o pacote, novo jornal fictício de província foi criado, inclusive com a notícia de que uma "velha estrela do rock" abriria um show no ginásio da pequena cidade.

TAAB 2 provavelmente não angariou muitos novos fãs pra IAN ANDERSON e até desagradou alguns velhos admiradores que esperavam um álbum tão exuberante como o de 72. Pouco realista querer que alguém permaneça igual depois de 40 anos, quando nós mesmos mudamos tanto.

Longe de ser básico como o álbum do apogeu do TULL, TAAB 2 demonstra que IAN ANDERSON ainda tem lenha pra queimar.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

💬 Ler e postar comentários