RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemA inesperada banda brasileira que não sai dos ouvidos de Jeff Scott Soto

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemManowar no Brasil? Banda posta bandeira brasileira e fãs ficam empolgados

imagemOzzy Osbourne aparece em público pela primeira vez após anunciar aposentadoria das turnês

imagemA inesperada opinião de Bell Marques (ex-Chiclete com Banana) sobre o rock progressivo

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemJoe Satriani revela o guitarrista que ele ouve e diz: "Eu jamais alcançarei isso!"

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemA nostálgica canção de Raul Seixas que propõe abolir a divisão entre o bem e o mal

imagemO dia que Renato Russo ateou fogo em clínica de reabilitação por motivo banal

imagemRamones: C.J. conta que Johnny se recusou a visitar Joey em seu leito de morte

imagemA icônica reportagem de Glória Maria em que Raul Seixas disse que foi atropelado por onda


Exilio Angel

Mike Portnoy comenta o impacto que Keith Moon teve sobre ele aos 10 anos

Por André Garcia
Postado em 28 de novembro de 2022

Mike Portnoy se tornou mundialmente conhecido em meados dos anos 90, quando o Dream Theater tomou o mundo do prog metal de assalto com o lançamento do arrasador "Awake" (1994). Desde então, ele é considerado um dos maiores bateristas de todos os tempos, tido por muitos como o sucessor de Neil Peart.

Foto: Divulgação - Facebook Oficial
Foto: Divulgação - Facebook Oficial

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em vídeo disponível no YouTube, Portnoy falou sobre uma de suas maiores e mais antigas influências: Keith Moon, do The Who.

"Moon the Loon, Keith Moon. Keith é um dos meus bateristas preferidos de todos os tempos, e provavelmente meu primeiro herói da bateria. Quando eu era pequeno, ele era único, não tem ninguém como ele, nem antes nem depois. Seu estilo, personalidade... É alguém de quem eu realmente sinto falta, sinto falta de ver ele, ouvir ele. Era uma grande inspiração para mim."

"Eu fui introduzido ao The Who tão cedo quanto aos Beatles — era uma das minhas bandas preferidas quando eu era pequeno. Quando "Tommy" saiu em 1969, foi o meu álbum preferido pela maior parte de minha infância. Ouço The Who [desde] o começo da minha vida."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Mas só anos mais tarde eu percebi a contribuição de Keith no The Who, e o impacto sobre mim como baterista. Eu assisti ao filme [documentário musical] The Kids Are Alright quando saiu em 1979. Por mais que já ouvisse 'Tommy', 'Live at Leeds' e 'Quadrophenia' há anos, eu nunca tinha realmente visto Keith [tocando ao vivo]."

"Quando vi ele na tela com The Kids Are Alright minha cabeça explodiu com sua personalidade. Ele era simplesmente aquele tipo de baterista de quem você não consegue tirar os olhos. Foi uma grande, grande influência para mim em termos de espetáculo, e a forma como ele comandava o show lançando as baquetas [no ar] e fazendo caras e bocas... Ele tocava a bateria como um solista."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Para mim, com uns 10 ou 11 anos, ele era o cara — ele foi o meu primeiro herói da bateria. Eu idolatrava ele."

The Who

O The Who surgiu da combinação do vocal vigoroso de Roger Daltrey, a bateria selvagem e não-ortodoxa de Keith Moon, o baixo estrondoso de John Entwistle e a guitarra de Pete Townshend, líder da banda. Embora tivessem pouco em comum e personalidades opostas, inesperadamente o quarteto tinha grande química musical.

Seu álbum de estreia "My Generation", tendo a faixa-título como maior hit, mesclou canções pops com faixas mais pauleiras, amplamente citadas como influência pelas bandas punk. Ao longo dos anos 60, o grupo seguiu emplacando sucessos e se estabeleceu como terceira força do rock britânico, atrás apenas dos Beatles e Rolling Stones.

Na década de 70, se consolidou em definitivo na primeira prateleira do rock com álbuns como "Who's Next" (1971) "Quadrophenia" (1973), além de hits como "Who Are You". No entanto, em 1978 o grupo foi sacudido pela morte de Keith Moon e, com Kenney Jones (ex-The Faces) nas baquetas, chegou a lançar "Face Dances" (1981) e "It's Hard" (1982); que não foram bem recebidos. Depois deles foram lançados apenas "Endless Wire" (2006) e "WHO" (2019).

Em 1996, a banda ganhou o reforço de Zak Starkey na bateria — filho de Ringo Starr —, mas em 2002 perdeu um de seus membros fundadores com a morte de John Entwistle.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Loudwire: Os 10 melhores álbuns de 1992

Alessandro Silveira: Colecionador de bootlegs do Dream Theater

Álbuns: Mike Portnoy revela os seus 10 favoritos


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.
Mais matérias de André Garcia.