Matérias Mais Lidas

imagemSlash falhou em seguir o conselho de Keith Richards, que mesmo assim foi lá e o apoiou

imagemO dia que Ivete Sangalo arrasou cantando Slayer com João Gordo na TV aberta

imagem"Raimundos nunca quis ser manual de conduta para ninguém", diz Digão

imagemA opinião de Rita Lee sobre a fenomenal Cássia Eller

imagemA visionária melhor música do Genesis na opinião de Steve Hackett

imagemA hilária crítica de Roberto Frejat contra fala cheia de "pretensão" do Bon Jovi

imagemNoel Gallagher revela seu único arrependimento em sair do Oasis

imagemJulian Lennon relembra quando Paul McCartney escreveu "Hey Jude" para ele

imagemOs curiosos dois significados da expressão "Eu quero ver o oco", segundo Digão

imagemO motivo que levou Michale Graves a fugir da própria turnê na América Latina

imagemO impagável apelido que Andre Matos deu a Luis Mariutti por sua pontualidade

imagemUriah Heep: a audição de David Coverdale para substituir David Byron

imagemDicionário do Metal: cinco bandas com a letra A

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa

imagemJohn Frusciante conta como "espíritos" auxiliam seu processo criativo


Summer Breeze
Samael Hypocrisy

The Cure: Robert Smith comenta a produção do épico álbum "Bloodflowers"

Por André Garcia
Postado em 02 de novembro de 2022

No decorrer dos anos 90, o The Cure passou por longos períodos de inatividade, por conta do inferno astral vivido por seu líder, Robert Smith. Além de suas crises existenciais, ele foi obrigado a passar mais tempo com advogados e em tribunais (arrastado pelos negócios da banda) do que trabalhando em novas músicas.

Foto: Facebook Oficial
Foto: Facebook Oficial

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em toda a década, apenas dois álbuns foram lançados, "Wish" (1992) e "Wild Mood Swings" (1996) — enquanto o primeiro levou a banda a lotar estádios mundo a fora, alavancado pelo hit "Friday I'm In Love", o segundo além de fracassar comercialmente, foi detonado tanto pela crítica quanto pelos fãs.

O trabalho seguinte, "Bloodflowers" (2000), rompeu totalmente com seu antecessor. Seguindo mais a linha dos clássicos "Pornography" (1982) e "Desintegration" (1989), possui faixas longas de sonoridade épica, e é um daqueles discos que são como se todas as faixas formassem uma grande música.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em entrevista para a Rolling Stone, Robert Smith comentou sua produção.

"Antes de gravarmos 'Bloodflowers, na verdade, eu queria que fosse um álbum curto. Como para mim 70 minutos de um único artista, quase sem exceções, é demais, defini uma meta de 45 minutos. [Após a gravação] mesmo reduzindo para nove músicas, ainda passava de uma hora."

"Vejo, olhando em retrospecto, que as músicas é que provavelmente precisavam ser encurtadas, mas eu achei que elas eram beneficiadas por sua duração. Eu editei 'Watching Me Fall', em casa, e reduzi para 6 minutos, mas não era a mesma música. Reduzi a primeira faixa, 'Out of This World', de 6:30 para 4:45, mas me disseram que a introdução continuava longa demais para as rádios."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu curto aquele desenvolvimento lento, e não queria impor uma estrutura de 3 minutos a nada que eu estava compondo, porque teria sido uma idiotice. Chegamos a fazer umas duas canções pop na etapa das demos, mas elas soaram muito superficiais."

"A gravação de 'Bloodflowers' foi a melhor experiência que tive desde que fiz 'Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me'. Eu cumpri meus objetivos, que era fazer um álbum, curtir a gravação, e terminar com um conteúdo realmente intenso e emocional — sem me matar no processo!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Lift Detox
Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Robert Smith e o ponto em que ele "violentamente discordou" do Radiohead em 2007

Paul Weller fala um monte para Robert Smith e diz que poderia o agredir

The Cure: Robert Smith comenta a produção do épico álbum "Bloodflowers"

Robert Smith comenta a admiração que o The Cure recebe de outras bandas

Robert Smith comenta os erros de "Wild Mood Swings", o pior disco do The Cure

The Cure: Robert Smith relembra qual foi o primeiro álbum que comprou

The Cure volta aos palcos com músicas inéditas e retorno de Perry Bamonte

The Cure: 5 bandas que o vocalista Robert Smith já declarou odiar

Robert Smith comenta "Wish", seu segundo disco preferido do The Cure

O vocalista do The Cure previu a data da morte da rainha da Inglaterra?

Robert Smith comenta "Desintegration", o melancólico oitavo álbum do The Cure

Robert Smith lista as 3 bandas punk que mais influenciaram o The Cure

Robert Smith comenta "Wish", seu segundo disco preferido do The Cure

Ícones do rock: retratados com fitas cassete

Robert Smith explica por que "The Cure não é uma banda gótica"

Bateristas: os dez músicos mais loucos de todos os tempos

Iron Maiden: "pequena falha" em outdoor na Russia em 2011


Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.

Mais matérias de André Garcia.