Livro: crítica de "Luz e Sombra; Conversas com Jimmy Page"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nunca haverá uma banda como o Led Zeppelin, assim como nunca teremos outro guitarrista como Jimmy Page. É com essa frase que começa o texto de orelha de "Luz e Sombra: Conversas com Jimmy Page", lançado recentemente no Brasil pela Globo Livros. A obra é um relato íntimo e extremamente pessoal de Page, um dos maiores músicos da história do rock, colhido através de dezenas de entrevistas dadas a Brad Tolinsky, editor da revista norte-americana Guitar World há mais de duas décadas.

Terry O'Neill: Morre, fotógrafo que trabalhou com Beatles, Stones e outros gigantesBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio

O livro é totalmente baseado na transcrição das conversas entre Jimmy e o Tolinski. Dessa maneira, temos um dos músicos mais influentes da história contanto a sua vida em primeira pessoa. Das primeiras experiências com a guitarra até os tempos atuais, Page não se furta e nem se esquiva de praticamente nada, desnudando-se quase por completo. E é justamente essa amplitude de assuntos que torna a obra tão interessante e profunda. Seja relembrando antigas memórias e aventuras ou falando de sua técnica como instrumentista e produtor, Jimmy mostra-se sem pudores, em uma conversa que é um papo quase íntimo com o leitor. Poucas vezes um músico se revelou tão próximo dos fãs quanto aqui.

É impressionante perceber como Jimmy Page sempre esteve entre nós. Seu impacto na maneira como ouvimos rock é quase onipresente, apesar de nem tanto documentado. Para você ter uma ideia, estima-se que aproximadamente 60% dos discos gravados na Inglaterra durante a década de 1960 tenham a guitarra de Page, na época um dos músicos de estúdio mais requisitados da Grã-Bretanha. Jimmy tocou em canções dos Rolling Stones, The Who, Kinks e literalmente centenas de outras bandas. E foi justamente essa variedade de experiências e o contato com os mais diferentes gêneros e formas de se fazer música que o tornou um instrumentista único.

Há um grande foco de luz sobre o período em que Jimmy passou nos Yardbirds, onde moldou o seu estilo e o refinou para o vôo definitivo ao topo com o Led Zeppelin. E, como não poderia deixar de ser, o Led Zeppelin é o destaque do livro, com Page detalhando aspectos da gravação e produção de todos os discos do grupo. A condução de Brad Tolinski, que leva as conversas até os mais extremos assuntos, torna a leitura extremamente recompensadora.

"Luz e Sombra: Conversas com Jimmy Page" é o livro mais revelador já publicado sobre James Patrick Page. Um retrato pessoal e extremamente próximo de um dos artistas mais influentes da história do rock, responsável direto por fazer o estilo soar como soa há várias décadas.

É uma leitura obrigatória, assim como é um dos melhores livros sobre música que já li na vida.

Não dá pra deixar passar, compre já!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de LivrosTodas as matérias sobre "Led Zeppelin"Todas as matérias sobre "Jimmy Page"


Terry O'Neill: Morre, fotógrafo que trabalhou com Beatles, Stones e outros gigantesTerry O'Neill
Morre, fotógrafo que trabalhou com Beatles, Stones e outros gigantes

Leo Chaves: cantor sertanejo é fã de Elvis Presley, Led Zeppelin e DisturbedLeo Chaves
Cantor sertanejo é fã de Elvis Presley, Led Zeppelin e Disturbed

Em 08/11/1971: Led Zeppelin lançava o icônico Led Zeppelin IVEm 08/11/1971
Led Zeppelin lançava o icônico Led Zeppelin IV

Led Zeppelin: Robert Plant diz que não pode se relacionar com Stairway to HeavenLed Zeppelin
Robert Plant diz que não pode se relacionar com "Stairway to Heaven"

Led Zeppelin: Paul Stanley diz que nunca viu nada que fosse tão perfeitoLed Zeppelin
Paul Stanley diz que nunca viu nada que fosse tão perfeito

Led Zeppelin: décadas depois, o que Robert Plant pensa sobre o álbum IVLed Zeppelin
Décadas depois, o que Robert Plant pensa sobre o álbum IV

Led Zeppelin: ouça Nirvana e mais artistas que registraram suas cançõesGrandes covers: cinco versões para "Black Dog", do Led Zeppelin

Cinema: 5 filmes clássicos do Rock e seus títulos em versão brasileiraCinema
5 filmes clássicos do Rock e seus títulos em "versão brasileira"

Steve Albini: "eu não curtia Led Zeppelin quando era adolescente"

Keith Richards: amo Jimmy Page, mas falta algo no Led ZeppelinKeith Richards
Amo Jimmy Page, mas falta algo no Led Zeppelin

Greta Van Fleet: vocal não lembra o Led mas sim outra banda clássicaGreta Van Fleet
Vocal não lembra o Led mas sim outra banda clássica


Bizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James DioBizarre Magazine
Quão bizarro é... Ronnie James Dio

Mayhem: banda levou restos humanos para o palco em 2011Mayhem
Banda levou restos humanos para o palco em 2011


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adClioIL