Kirk Hammett: "há muito tempo sou obcecado por horror"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Giovanni G. Melo, Fonte: A.V. Club, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Kenny Herzog, do site A.V. Club, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista do METALLICA, Kirk Hammett, sobre o livro "Too Much Horror Busines - The Kirk Hammett Collection" de autoria do músico. Confira alguns trechos do papo.

Heavy Metal: "cristãos podem aprender muito com o gênero"Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A.V. Club: você ficou viciado em horror depois que se machucou e leu o "The Day of the Triffids" enquanto se recuperava. Ser um fã de filmes de terror tem a ver com essa fase reclusa da recuperação?

Kirk Hammett: quando se está sem saber o que fazer com seu tempo, então você descobre "oh, eu posso ver um monte de filmes de terror". Para mim, um dos momentos mais propícios para se assistir a um filme de terror é quando está frio e chovendo lá fora e não há praticamente nenhuma atividade ao ar livre a ser feita.

A.V. Club: você vê um paralelo entre curtir estes filmes, que lentamente ganharam uma legião de seguidores, e estar no METALLICA, que foi ganhando reconhecimento no mainstream gradualmente?

Kirk Hammett: sim, é um tipo de coisa que acontece em vários gêneros artísticos. As pessoas às vezes precisam de tempo para entender o significado dos esforços artísticos de outras pessoas. Muitas vezes não é uma coisa fácil fazer uma pessoa digerir algo que ela nunca teve contato antes. Creio que neste aspecto não é diferente para os filmes de terror. Acontece muitas vezes. Olhe para Van Gogh. Ele morreu pobre. Suas pinturas são vendidas por 100 milhões de dólares, mas na época ninguém realmente sabia o que esperar. Era tão radicalmente diferente de tudo o que já tinha sido feito. E acho que isso vale para vários filmes de terror também, e música. Quando as pessoas são confrontadas com algo que nunca viram antes, elas realmente não sabem como reagir.

A.V. Club: é importante ter esta coleção como um santuário?

Kirk Hammett: com certeza. Por anos eu disse às pessoas que esta é uma coisa que faço além da música. Tenho sido obcecado por música por muitos anos, mas também sou obcecado por este material e é uma boa alternativa para ter como lugar de refúgio mental e artístico quando estiver saturado com as coisas do METALLICA. Os ítens da coleção são tão bons que é por isso que estou colocando à parte do livro. Um dia pensei a respeito, "oh, Deus, tenho que compartilhar isso com as pessoas", pois cresceu e se tornou uma coleção monumental. Seria vergonhoso para mim não deixar que outras pessoas pudessem ver isso.

A.V. Club: você já pensou em seguir os passos de Rob Zombie e dirigir filmes de terror?

Kirk Hammett: gosto de pensar que tenho muito tempo para fazer o que quero fazer. Agora é que estou me firmando e me estabelecendo como um nome do horror. Porque, por muito tempo foi muito pessoal e privado, mas minha coleção me deu força e me tornou evidente sobre isso. Então, agora estou vendo aonde tudo isso vai me levar. Tenho várias opções na minha frente e tenho interesse em filme. Eu não descartaria nada. Ao longo dos anos guardei várias idéias diferentes, então vamos ver qual delas eu escolho para trabalhar.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Metallica"Todas as matérias sobre "Kirk Hammett"


Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1

Kirk Hammett: o que mudou na vida dele após o Metallica lançar o Black AlbumKirk Hammett
O que mudou na vida dele após o Metallica lançar o "Black Album"


Heavy Metal: cristãos podem aprender muito com o gêneroHeavy Metal
"cristãos podem aprender muito com o gênero"

Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasCults
10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas


Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N' Roses e Motley Crue.

Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL