Iron Maiden: A tour de Powerslave quase acabou com a banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Mariana Rezende Goulart e Milena Dias de Paula, Fonte: Brave Words, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O site KNAC.COM entrevistou em março de 2008 três integrantes do IRON MAIDEN - Steve Harris, Adrian Smith e Nicko McBrain - que falaram, dentre outros assuntos, sofre a estafante turnê do "Powerslave", de meados dos anos oitenta.

2522 acessosBruce Dickinson: indignado com reação machista ao câncer na língua5000 acessosCharles Manson: casamento era plano para expor seu cadáver

A "World Slavery Tour" de 1984 e 1985 foi uma turnê de muitos shows seguidos, onde a banda tinha poucas noites de folga. A exaustão que o grupo sentiu depois de completar todos os 193 shows foi mais mental do que física, como o baterista Nicko McBrain relembra. Embora os membros do IRON MAIDEN sempre considerarem sua banda como uma máquina de turnês desde o início, a sobrecarga quase os separou.

Quando conversamos com o baixista/compositor Steve Harris, o guitarrista Adrian Smith e o baterista Nicko McBrain, todos eles admitiram que mesmo com suas luxuosas acomodações (comparadas a turnês anteriores), estar na estrada pode ser cansativo.

"A turnê do Powerslave foi muito longa", disse McBrain. "Durou mais de 13 meses, o que foi quase a morte da banda, para ser honesto, só pelo número de show que fizemos; quatro seguidos, três seguidos, quatro seguidos, folga, três seguidos, folga, quatro seguidos, folga, dois seguidos, folga. Era muito puxado. Acho que viajamos pela América por cinco meses. Naqueles tempos tocávamos em qualquer lugar que nos recebesse".

"Foi como uma volta a anos anteriores a esse, de álbum, turnê, álbum, turnê," acrescenta Steve Harris sobre a experiência. "Acabávamos uma turnê e tínhamos uma semana de folga e depois íamos direto escrever o próximo álbum e ensaiar e depois sair direto para a próxima turnê mundial. E nós fizemos isso pelos primeiros quatro ou cinco álbuns. Era loucura, então naquela época, depois da turnê do 'Powerslave', nós estávamos acabados. Tivemos que dizer ao nosso empresário, 'Olha, nós queremos um tempo'. E todo mundo estava muito destruído. Isso afetou as pessoas em maneiras diferentes. Foi difícil, mas na época, eramos rapazes invencíveis e tínhamos vontade de fazer turnês. Mas no final da turnê, estávamos esgotados. Cinco ou seis noites por 30 meses, duas horas por noite. Fisicamente estávamos ótimos, mas mentalmente, estávamos péssimos," confessa o baixista.

"O tipo de turnê que o Maiden fez durante esse período, sem contar o tipo de agenda massacrante que tínhamos, poderia afetar a voz do vocalista". Harris reconta esse fato sobre o seu companheiro de banda, amigo e confiável piloto da banda. "Bruce estava tão acabado que nem podia escrever nada. Pelo menos nada coerente (risos), para o próximo álbum. Sem dúvida, ele foi o mais afetado. Quando você está cantando... Eu nem posso imaginar como era cantar da maneira que ele cantava toda noite. É incrível. É muito a se pedir para alguém. Ele tem agudos fantásticos, mas pedir para ele fazer isso toda noite por seis noites por semana, duas horas por noite por 13 meses, é muito a pedir para alguém, mesmo. Eu acho que ele não tinha percebido isso antes de sair em turnê - nenhum de nós percebeu - o que isso ia fazer conosco, porque senão, provavelmente, não teríamos feito tudo isso (risos)! Nós provavelmente teríamos dito 'Ok, vamos ter um mês de folga no meio de alguma coisa,' e provavelmente teríamos recarregado nossas baterias e teríamos continuado bem. Mas passar meses assim, é loucura. Mas acho que tem que se passar por esse tipo de coisa para descobrir."

A entrevista completa (em inglês) pode ser lida no knac.com.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 05 de agosto de 2012
Post de 23 de fevereiro de 2014
Post de 24 de fevereiro de 2014
Post de 24 de fevereiro de 2014
Post de 30 de janeiro de 2016
Post de 08 de dezembro de 2016


Bruce DickinsonBruce Dickinson
Indignado com reação machista ao seu câncer na língua

429 acessosIron Maiden: coral infantil da Sérvia canta "Fear of the Dark"433 acessosRio Rock City: Por que há poucas parcerias no Rock e no Metal?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
Sobre o que fala a música "Aces High"?

SlipknotSlipknot
É deles a melhor música dos anos noventa

Paul DiannoPaul Dianno
Ele teve mais chances que qualquer um, mas sempre ferrou tudo

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"


Charles MansonCharles Manson
Casamento era plano para expor seu cadáver

SemelhançaSemelhança
Amy Lee e a atriz pornô Shione Cooper

CriançasCrianças
Como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

5000 acessosQueen: uma interpretação da letra de "Bohemian Rhapsody"5000 acessosDemonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaram, parte 15000 acessosGaleria - Mais que instrumentos, obras de arte5000 acessosJoão Gordo: Seis curiosidades reveladas pela biografia4068 acessosTr00 Black Metal From Hell: os mandamentos e dogmas sacro-profanos5000 acessosKiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

Sobre Mariana Rezende Goulart

Estudante de Letras e amante de Heavy Metal e Hard Rock, começou a colaborar com o Whiplash por juntar duas paixões: a música e a tradução.

Mais matérias de Mariana Rezende Goulart no Whiplash.Net.

Sobre Milena Dias de Paula

Nascida em 1988, formada em Letras pela USP, é revisora, tradutora e escritora, cheia de sonhos e projetos pra escrever seus muitos livros. Apaixonada por literatura, línguas e culturas estrangeiras, fotografia, escrever e música. Heavy/Power/Speed Metal e Hard Rock são praticamente como o ar que respira. Acha que os anos 80 são a melhor época da música e praticamente tudo o que é relacionado a esse período a fascina. No topo das bandas preferidas estão Edguy, Mr. Big e Gotthard.

Mais informações sobre Milena Dias de Paula

Mais matérias de Milena Dias de Paula no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online