Pain Of Salvation: Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas Assassinas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Matéria publicada no Whiplash.Net em novembro de 2005.

Sempre tive a vontade de escrever sobre os Mamonas Assassinas, mas nunca senti um bom momento para fazê-lo, ou sequer vislumbrei uma possibilidade em meio a tanto trabalho relacionado a estilos tão diversos, mas que, de um jeito ou de outro, nunca alcançavam a esfera do grupo brasileiro.

Iron Maiden: o pior momento de Bruce Dickinson no palcoDuff McKagan: "Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"


A verdade é que além de cômicos, eles eram bons músicos e tinham total ciência daquilo que estavam fazendo. Alcançaram rádios, televisões, revistas, compondo coisas bem inspiradas, calcadas em influências de rock e heavy metal que passaram despercebidas para muitos.

Hoje é comum e até engraçado nos pegarmos rindo de nós mesmos, nos divertindo com os exageros, radicalismos, movimentos, e idéias pitorescas dentro da música pesada. O Massacration é o maior expoente dessa tendência crítica muito valiosa. Um escracho mais que apropriado.

O CD de estréia da banda, "Gates Of Metal Fried Chicken Of Death" é lançado exatamente uma década após o debute auto-intitulado dos Mamonas Assassinas, no qual os guarulhenses assinaram uma das melhores sátiras - inclusive em termos instrumentais - ao metal com "Débil Metal".

Naquele mesmo disco, outras duas faixas se destacavam: a primeira delas é certamente "Bois Don't Cry", que já no título faz alusão à emblemática "Boys Don't Cry" do The Cure. No desenrolar da música, mais menções marcantes: "The Mirror" do Dream Theater (por volta de 1 minuto e 45 segundos), e "Tom Sawyer" do Rush (aos 2 minutos e 10 segundos).

Falamos de 1995, dois anos antes do surgimento oficial do Pain Of Salvation. Além de revelar um conjunto talentoso e, à época, muito promissor (atualmente realidade irrefutável), o lançamento de "Entropia" em 1997 trouxe uma curiosidade a mais para os brasileiros: a impressionante semelhança entre a introdução de "People Passing By", um dos primeiros sucessos de Daniel Gildenlöw e sua trupe, e "1406", abertura do álbum dos Mamonas.


Aproveitamos a vinda do Pain Of Salvation ao Brasil em 2005 para realizar o "Blind Ear" da Revista Roadie Crew, seção na qual os artistas escutam dez faixas de diferentes grupos, fazem comentários sobre elas, e tentam descobrir também de quem é a música. Seguimos estes padrões com Gildenlöw para a Roadie Crew edição nº 82 (capa: Live 'N' Louder Rock Fest: Scorpions / Nightwish). No entanto, levamos um bônus pra ele, justamente "1406", para nos divertirmos um pouco e também vermos como o líder do conjunto sueco reagiria.

Muito simpático e receptivo, o músico deu boas risadas com a situação e se surpreendeu. Confira abaixo.

Thiago Sarkis - Essa faixa onze é uma curiosidade relacionada ao Pain Of Salvation. Trata-se de uma banda brasileira.

Daniel Gildenlöw - Se não for aquela música específica do Angra que já ouvi (N. do E.: não sabemos ao certo qual a música que Daniel fala aqui), não vou reconhecer nem o artista, nem a música.

Thiago Sarkis - Tudo bem. Não se preocupe. (N. do E.: Colocamos a música "1406")

Daniel Gildenlöw - Ok. Parece-me que eles estão por dentro de "Entropia" (risos).

Thiago Sarkis - Não, na verdade eles são mais velhos que o Pain Of Salvation.

Daniel Gildenlöw - Mesmo? O guitarrista soa 'americano' demais, mas realmente isso parece bastante com "People Bassing By". Eles têm um baixo 'funky'.

Thiago Sarkis - É, e sempre rolaram comentários sobre essa semelhança aqui no Brasil... até porque eles eram muito famosos...

Daniel Gildenlöw - Dá pra entender o porquê. A banda acabou?

Thiago Sarkis - Eles morreram...

Daniel Gildenlöw - Morreram? Todos?!?!? Foi um morticínio?

Thiago Sarkis - (risos) Acidente de avião...

Daniel Gildenlöw - Nossa... isso é triste. (N. do E.: mostramos a capa do disco). Que bela capa (risos). Não consigo entender nada que está escrito, mas dá pra ver que era uma banda cômica (risos).

Thiago Sarkis - (risos) Sim, eram mesmo.

Daniel Gildenlöw - Como é o nome? Mamonas Assá--- Assássinas? (N. do E.: Daniel tenta pronunciar o nome algumas vezes).

Thiago Sarkis - Quase isso... Mamonas Assassinas.

Daniel Gildenlöw - (risos) Legal. Interessante essa coincidência. A única diferença é que os slaps de "People Passing By" são feitos na guitarra, não no baixo. Mas também só ouvi algumas partes da música deles, não sei como é o resto direito.


Associação Livre

11 de setembro: Visões sobre os atentados terroristas aos Estados Unidos11 de setembro
Visões sobre os atentados terroristas aos Estados Unidos

Caetano Veloso: MTV bota essa porra pra funcionarCaetano Veloso
MTV bota essa porra pra funcionar

G3 e Robert Fripp: Combinações indigestas para deixar artistas deslocadosG3 e Robert Fripp
Combinações indigestas para deixar artistas deslocados

8 de dezembro: O dia acabou no momento em que os olhos se abriram8 de dezembro
O dia acabou no momento em que os olhos se abriram

Pirataria: Só o nome dos programas de file sharing mudouPirataria
Só o nome dos programas de "file sharing" mudou

Heavy Metal: O início do movimento e a origem do termoHeavy Metal
O início do movimento e a origem do termo

Alice In Chains: Um mote para abordar os limites da influênciaAlice In Chains
Um mote para abordar os limites da influência

Brasileiro?: A repetição tomou o reinado do tal rock nacionalBrasileiro?
A repetição tomou o reinado do tal "rock nacional"

Fields Of Rock: A magia de Ozzy OsbourneFields Of Rock
A magia de Ozzy Osbourne

Todas as matérias sobre "Associação Livre"



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Associação Livre"Todas as matérias sobre "Pain Of Salvation"Todas as matérias sobre "Mamonas Assassinas"


Iron Maiden: o pior momento de Bruce Dickinson no palcoIron Maiden
O pior momento de Bruce Dickinson no palco

Duff McKagan: Justin Bieber é um roqueiro de verdade!Duff McKagan
"Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin