Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagem"Metal Tour Of The Year" chega ao fim e Megadeth agradece bandas participantes

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"


Scorpions: a história por trás da música "Wind of Change"

Por Marcelo Araújo
Fonte: Ogro do Metal
Em 23/06/14

"Wind of Change" foi lançada em 1990 no álbum "Crazy World" e inspirou-se nos "ventos de mudança" que atingiam a Europa com o término da Guerra Fria, o desmembramento da União Soviética, e a queda do Muro de Berlim. Em 1989, a banda se apresentou no "Moscow Music Peace Festival", um evento que visou promover a paz no mundo e estabelecer a cooperação internacional na luta contra às drogas naquela região. Além do Scorpions, também marcaram presença bandas como Bon Jovi, Cinderella, Skid Row, Mötley Crüe e Ozzy Osbourne. O guitarrista Rudolf Schenker ficou bastante impressionado com a quantidade de russos que estavam curtindo as canções dos Scorpions, apesar de ser uma banda alemã. O vocalista Klaus Meine disse ao NME:

"Todo mundo estava lá: o Exército Vermelho, jornalistas, músicos da Alemanha, da América, da Rússia, o mundo inteiro em um único barco. Foi como uma visão, todo mundo estava falando a mesma língua, e foi uma vibração muito positiva. Aquela noite foi a inspiração básica para "Wind Of Change".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda também gravou uma versão em russo da música, sob o título "Ветер перемен" (Veter Peremen), e uma versão em espanhol chamada "Vientos de Cambio". Com relação a letra, Moskva é o nome do rio que atravessa Moscou (a cidade e o rio são nomeados de forma idêntica em russo) e Gorky Park, é um parque de diversões que recebeu esse nome em homenagem a Maxim Gorky, um escritor comunista famoso. "Balalaika" é um instrumento de cordas muito popular na Rússia, semelhante a uma guitarra.

Vale lembrar que em 2013, o ex-baixista Francis Buchholz concedeu uma entrevista para o site Metal Express Radio, e dentre os muitos assuntos abordados, fez uma revelação bastante curiosa a respeito dessa canção:

"Quando gravamos a faixa, a gravadora me telefonou e disse: "Podemos mudar Wind of Change? Podemos tirar o assobio? Não é Rock N’ Roll isso pra gente nos EUA, entende? Vocês podem pôr uma guitarra?". Daí eu fui até Klaus [Meine] e disse: "Klaus, podemos tirar o assobio? Eu não gostei...". Eu não era muito chegado naquilo de qualquer modo. Nós ficamos discutindo a respeito do assunto e ele ficou muito furioso. Então o assobio permaneceu e a música tornou-se um grande hit na Europa, mas não foi muito executada nas rádios dos EUA."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Clássicos quarentões - Scorpions - "Blackout" e Kiss - "Creatures of the Night" (vídeo)

Night Demon: lançada a compilação "Year Of The Demon", com covers de Scorpions e Maiden

As primeiras impressões do novo disco do Scorpions, "Rock Believer" (vídeo)

Gary Moore: em ácido comentário, ele dizia em 1987 por que não curtia hard rock


Sobre Marcelo Araújo

Carioca da gema e fanático por música de qualidade, aprendeu a gostar de Rock aos 10 anos de idade por causa de bandas como Scorpions, Led Zeppelin e Guns N' Roses. A maior decepção foi ver uma de suas bandas preferidas, o Bon Jovi, mudar completamente de estilo e se tornar uma coisa bem chatinha de uns tempos pra cá, algo classificado como uma mistura de Sertanejo Universitário com Pop. Das bandas mais recentes, curte bastante Alter Bridge e Unisonic. Adora tudo relacionado com as curiosidades por trás das canções, álbuns e bandas, sempre escrevendo matérias a respeito desses fatos no blog Ogro do Metal.

Mais matérias de Marcelo Araújo.