Détente: banda do produtor Ross Robinson é lançada no Brasil

Resenha - Recognize No Authority - Détente

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Détente surgiu em Los Angeles em 1984 e lançou o seu disco de estréia em agosto de 1986. "Recognize No Authority" traz uma alquimia entre speed e thrash metal e possui status de cult entre fãs de metal dos anos 1980. Os principais atrativos para isso estão na voz de Dawn Crosby e a presença de Ross Robinson na guitarra. Sim, o mesmo Ross Robinson que faria carreira a partir do final daquela década e se transformaria em um dos maiores produtores do metal contemporâneo assinando clássicos como "Life is Peachy" do KoRn, "Roots" do Sepultura e o debut do Slipknot.

Slash: "Só dá para exceder até certo ponto"Pattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton

"Recognize No Authority" está sendo lançado pela primeira vez no Brasil, e a responsável por isso é a sempre competente Hellion Records. A edição nacional vem com seis faixas bônus e é idêntica à versão comemorativa que saiu em 2016 pela Cognitive Records.

O som, como já dito, une a velocidade do speed metal com a técnica, andamentos elaborados e o peso do thrash. O vocal de Crosby é bem agudo, porém repleto de agressividade, enquanto as guitarras apresentam um trabalho interessante. E é bastante curioso conhecer as origens de Robinson, que fez história como um dos arquitetos do nu metal e aqui mostra uma faceta totalmente diferente da sua relação com a música.

Um item histórico e que ganha uma edição caprichada e com preço acessível. Se você curte metal oitentista, não preciso nem dizer que é imperdível.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Détente"


Slash: Só dá para exceder até certo pontoSlash
"Só dá para exceder até certo ponto"

Pattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric ClaptonPattie Boyd
O infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton

História do RockHistória do Rock
História do Rock

Slash: "Só dá para exceder até certo ponto"Pattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric ClaptonKiss: Produtor comenta hábitos de Gene SimmonsBruce Dickinson: Ozzy Osbourne é um ícone

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336