RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemO ponto fraco de Yngwie Malmsteen segundo Ronnie James Dio, em 1985

imagemA reação de King Diamond ao ouvir Metallica tocando músicas do Mercyful Fate

imagemRoger Waters atende a Rússia e faz discurso para o Conselho de Segurança da ONU

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemO triste motivo pelo qual o Pink Floyd não podia fazer contato com Syd Barrett

imagemVeja Dave Grohl cantando e agitando em show do Mercyful Fate

imagemPor que Herbert Vianna gosta muito do riff de "Eu Quero Ver o Oco" do Raimundos?

imagemRússia pede para que Roger Waters fale com a ONU sobre a situação da Ucrânia

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemO show do Engenheiros do Hawaii sem Humberto, que eles achavam que havia sido sequestrado


Stamp

Broken & Boned: Música extrema com a marca do "estilo brasileiro"

Resenha - Hypocrisy Hymns- Broken & Boned

Por Ricardo Cunha
Postado em 19 de agosto de 2019

Nota: 9

Surgida em meados de 2012, em Marabá/PA, a Broken & Boned apresenta em seu trabalho um conteúdo fomentado no death metal, thrash metal, prog metal e groove. Com riffs pesados e melodia certeira, sua primeira experiência em estúdio foi em 2014 quando gravou a demo "Vengeance". Após o bom resultado, a banda planeja o lançamento do primeiro álbum e, em março de 2015, inicia as sessões de gravação no Rebirth Studio e Legacy Recording Studio, em Belém/PA.

As coisas iam bem até o desligamento de Diógenes Oliveira (vocalista), em plena fase de captação do CD, porém, essa baixa não desmotivou os remanescentes que precisavam tocar no "Grito Rock Marabá – 2015" no mês seguinte. A urgência de encontrar um novo frontman durou pouco, fechando-se a lacuna com a entrada de Rômulo Portela que estreou no palco do festival onde, dentre outras bandas, tocou NervoChaos. Após esse dever cumprido o Broken & Boned retoma as gravações do álbum sob a produção do guitarrista e vocalista Carlos Nava e Marcos Saraiva. As sessões duraram até novembro com a conclusão das vozes.

Novamente curtindo a boa fase, o grupo adentra 2016 com outra apresentação importante. Mais uma vez ao lado do NervoChaos e também Visceral Slaughter, FSM e as estrangeiras Nervecell de Dubai (ARE) e Into Darkness de Heidelberg (ALE), o quinteto é chamado para integrar o elenco do "Calabouço Metal Fest", em sua cidade. O evento ocorreu no dia 21 de maio.

Preparando terreno para a chegada do full length, em 18 de julho de 2016 a banda solta o single "False Divinity" como lyric video e o disponibiliza no Youtube. A edição do vídeo foi feita por Lucas Monteiro e as rajadas de guitarra davam uma dimensão de como seria o primeiro álbum do grupo que, à época, era completado por Marcelo "Marshall" Alencar (guitarra), Lúcio de Paula (baixo) e Carlos Cerqueira (bateria).

Os comentários sobre a música foram os mais positivos. Desse modo, não foi surpresa o convite para a banda tocar com o Torture Squad em 5 de setembro de 2016, em Marabá. Dois dias depois sai o álbum ao vivo "Live at California Pub", também publicado no canal do Broken & Boned, no Youtube. Em maio de 2017, o quinteto revelava aos fãs o nome do seu debut que se chamou "Hypocrisy Hymns". Antes do lançamento mais um show foi cumprido, desta vez na companhia da banda santista Surra.

Janeiro de 2018 chega e, finalmente, o headbanger passa a conhecer a força de "Hypocrisy Hymns" com suas oito faixas, dentre elas uma belíssima intro. O álbum contou com participações de vários amigos e do produtor Marcos, que inseriu guitarra acústica no referido prelúdio "Peaceless/Hopeless". Em "Vengeance", participa Leon Ferreira nos backing vocals, enquanto que na canção "Rage", uma verdadeira confraria formada por Cirez Waldez, Max de Castro, Frutuozo Júnior, Noriell Sousa e Geraldo Capilé empresta suas vozes. Os primeiros shows de lançamento foram feitos, mas por motivo de conciliação de agenda o baterista Carlos Cerqueira teve de sair do grupo, cedendo lugar a um antigo amigo da banda, André Cecim (ex-Anubis).

André estreou no grupo em 8 de setembro de 2018, ocasião do festival "Rock Gathering", em Parauapebas/PA. "Hypocrisy Hymns", que vem com encarte ilustrativo de Luis Renato Coelho e capa desenhada por André Tavarez, destaca na arte estardardes de algumas religiões e traz uma ácida crítica à hipocrisia dogmática que move, molda e limita o pensar da sociedade mundial.

O álbum também foi lançado nas principais plataformas de streaming como Spotify, Deezer, iTunes / Apple Music e Google Play. Além disso, a banda teve ideia de mostrar aos seus inscritos no Youtube, uma série chamada Playtr00ughs que consiste na mostragem dos riffs e solos das músicas do CD, apresentada pelos dois guitarristas da banda, Nava e Marshall.

O Disco já conquistou boas notas na imprensa especializada, como se confere na resenha da revista Roadie Crew ed #233 (jun/2018), onde o redator Leonardo M. Brauna chama a atenção para o CD que segura o legado do metal extremo. Recentemente, a banda lançou o lyric video de "A Fable", que promove "Hypocrysi Hymns" como single. No momento, a Broken & Boned prepara a sua primeira turnê de divulgação e estuda o lançamento do primeiro videoclipe oficial.

Em Hypocrisy Hymns, a banda apresenta um Death Metal moderno e visceral através do qual os músicos demonstram suas habilidades técnicas de uma forma objetiva e competente. Donos de verdadeiro senso estético underground, a música aqui contida transmite um real sentimento de afronta que pode credenciar a banda para o grupo dos representantes do chamado (pelos gringos) "estilo brasileiro", termo que qualifica as bandas nacionais como portadoras de qualidades excepcionais, equiparando-as às melhores do gênero na América e Europa. Impossível não notar as influências de Deicide, Sepultura (antigo) e Pantera na música do grupo, mas também é importante destacar que esta mesma música tem personalidade. E é isto que a distingue de tantas outras.

[an error occurred while processing this directive]

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Ricardo Cunha

Editor no site Esteriltipo - Marketing de Conteúdo.
Mais matérias de Ricardo Cunha.