Torch: uma pérola perdida do metal oitentista

Resenha - Torch - Torch

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Escrever sobre música , apesar de gerar algumas dores de cabeça (afinal, estamos falando sobre uma arte que gera paixões fortes), também reserva grandes benefícios e surpresas. Uma das maiores, e a que mais curto, é ser apresentado a sons que eu não fazia ideia que existiam. É o que aconteceu ao ouvir esse disco do Torch, lançado no Brasil pela Hellion Records.

Slipknot: Corey explica as nojentas desvantagens das máscarasLoudwire: as dez melhores bandas da era Grunge

A banda foi formada na cidade sueca de Eskilstuna em 1979, e estreou apenas em 1983 com este álbum autointitulado. O som é um heavy metal tradicional influenciado pela NWOBHM em voga na época, assim como pela sonoridade clássica de nomes como o Judas Priest. O quarteto contava com Dan Dark (vocal), Chris J. First (guitarra), Ian Greg (baixo) e Steve Streaker (bateria), e o resultado alcançado neste primeiro disco surpreende. Ainda que não seja um som exatamente original, isso é compensando por composições muito bem desenvolvidas, um trabalho de guitarra empolgante e que despeja riffs na medida para quem é fã de metal dos anos 1980 e um vocal que agrada de imediato - e que, veja só, chega a lembrar um Bruce Dickinson mais jovem em algumas passagens.

O relançamento da Hellion compila as 10 faixas originais e mais 5 músicas bônus vindas do EP "Fire Raiser", bem como outras 3 da primeira demo da banda. Um excelente trabalho arqueológico realizado pelo selo paulista, que vem trazendo tanto discos atuais quanto títulos obscuros na mesma medida, agradando os mais variados perfis de metalheads.

Essa estreia do Torch é uma pequena perola perdida do metal oitentista, e vale a pena apresentá-las aos seus ouvidos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Torch"


Slipknot: Corey explica as nojentas desvantagens das máscarasSlipknot
Corey explica as nojentas desvantagens das máscaras

Loudwire: as dez melhores bandas da era GrungeLoudwire
As dez melhores bandas da era Grunge

Metallica: James Hetfield imitando Dave Mustaine na TVMetallica
James Hetfield imitando Dave Mustaine na TV

Guitar World: melhores solos de guitarra de todos os temposGuitar World
Melhores solos de guitarra de todos os tempos

Whiplash.Net: Contribua para manter o site como éWhiplash.Net
Contribua para manter o site como é

Kurt Cobain: ele era ambicioso apesar da imagem de antiastroKurt Cobain
Ele era ambicioso apesar da imagem de antiastro

Eddie Vedder: Coloquei a minha mão na bota dela e ela chutou o ar na horaEddie Vedder
"Coloquei a minha mão na bota dela e ela chutou o ar na hora"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336