Van Halen: Em 1978, o revolucionário disco de estreia

Resenha - Van Halen - Van Halen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: IgorMiranda.com.br
Enviar correções  |  Ver Acessos

As revoluções, por vezes, acontecem após serem previamente anunciadas. Foi o caso do Van Halen, que foi capaz de mudar o rock mesmo após ter mostrado suas credenciais pelo underground durante anos.

Megadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz MustaineMustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Formada pelos irmãos Eddie (guitarrista) e Alex (baterista) Van Halen, a banda deu início às suas atividades em meados de 1972, com David Lee Roth, que também fornecia aparelhagem de som para eles, nos vocais e Mark Stone no baixo. Em 1974, Stone foi substituído por Michael Anthony, que também era cantor. Também foi em 1974 quando assumiram o nome Van Halen.

Foram necessários dois anos no underground até que, na metade de 1976, o vocalista e baixista do Kiss, Gene Simmons, descobriu o Van Halen e os levou para gravar uma demo. A ideia seria empresariá-los, mas o Kiss estava no auge na época e Simmons acabou deixando para lá.

Somente um ano depois, na metade de 1977, a Warner Bros Records descobriu o Van Halen. Sabe-se lá quantas pessoas puderam assistir aos shows incendiários - e, de certo modo, revolucionários - do quarteto capitaneado por Eddie Van Halen.

O álbum de estreia, autointitulado, acabou saindo somente em 10 de fevereiro de 1978, mas, mesmo com tanto barulho prévio no underground, o Van Halen impressionou a todos com algo inédito. Tudo feito pelo quarteto naquele disco de estreia era novo. Soava diferente de qualquer coisa feita até então - especialmente naquele período, quando a disco music dominava o mercado e o punk rock era a "boa" no submundo.

A revolução musical no disco de estreia do Van Halen esteve centrada, especialmente, na guitarra de Eddie Van Halen. Ninguém, até então, havia tocado como ele. O músico apresentou ao mundo algumas técnicas - nem todas inéditas - como finger-tapping, harmônios artificiais e abuso da alavanca da ponte Floyd Rose, além de equipamentos modificados.

Leia a resenha, na íntegra, na página:
http://www.igormiranda.com.br/2018/02/van-halen-disco-estrei...

David Lee Roth (vocal, violão na faixa 10)
Eddie Van Halen (guitarra)
Michael Anthony (baixo)
Alex Van Halen (bateria)

1. Runnin' With The Devil
2. Eruption
3. You Really Got Me" (The Kinks cover)
4. Ain't Talkin' 'Bout Love"
5. I'm The One
6. Jamie's Cryin'
7. Atomic Punk
8. Feel Your Love Tonight
9. Little Dreamer
10. Ice Cream Man (John Brim cover)
11. On Fire


Outras resenhas de Van Halen - Van Halen

Van Halen: 40 anos do início de uma Nova EraResenha - Van Halen - Van Halen




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Van Halen"


Eddie Van Halen: e se ele tocasse no A-Ha, ZZ Top ou AC/DC?Eddie Van Halen
E se ele tocasse no A-Ha, ZZ Top ou AC/DC?

Van Halen: Sammy Hagar coloca Michael Anthony na paredeVan Halen
Sammy Hagar coloca Michael Anthony na parede


Megadeth: Magia negra arruinou minha vida, diz MustaineMegadeth
"Magia negra arruinou minha vida", diz Mustaine

Mustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?Mustaine
Por que ele perdeu seu emprego no Metallica?


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336