Matérias Mais Lidas

Rodolfo Abrantes: O sonho da minha mãe era eu voltar aos RaimundosRodolfo Abrantes
"O sonho da minha mãe era eu voltar aos Raimundos"

Metallica: TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully GuitarsMetallica
TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully Guitars

Snowy Shaw: ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no NightwishSnowy Shaw
Ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no Nightwish

Soul Station: projeto de Paul Stanley com guitarrista brasileiro lança músicaSoul Station
Projeto de Paul Stanley com guitarrista brasileiro lança música

Carlinhos Brown: ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razãoCarlinhos Brown
Ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razão

Guns N' Roses: Bumblefoot revela quais músicas mais gostava de tocar ao vivoGuns N' Roses
Bumblefoot revela quais músicas mais gostava de tocar ao vivo

Nirvana: Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.Nirvana
Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.

AC/DC: Axl Rose sempre sugeria músicas esquecidas para shows (mas em cima da hora)AC/DC
Axl Rose sempre sugeria músicas esquecidas para shows (mas em cima da hora)

Kurt Cobain: ele não curtia Led Zeppelin e Aerosmith devido às letras machistasKurt Cobain
Ele não curtia Led Zeppelin e Aerosmith devido às letras machistas

Yngwie Malmsteen: aos 10 anos ele fazia solos de Blackmore e enganava os amigosYngwie Malmsteen
Aos 10 anos ele fazia solos de Blackmore e enganava os amigos

Max Cavalera: O único presidente bom do Brasil foi mortoMax Cavalera
"O único presidente bom do Brasil foi morto"

Megadeth: Mustaine se tornou vocalista por acaso e por causa de um delineadorMegadeth
Mustaine se tornou vocalista por acaso e por causa de um delineador

Saxon: banda divulga cover para a clássica Speed King, do Deep PurpleSaxon
Banda divulga cover para a clássica "Speed King", do Deep Purple

Jon Schaffer: Todd La Torre se diz chocado, mas não surpreso com atos do guitarristaJon Schaffer
Todd La Torre se diz chocado, mas não surpreso com atos do guitarrista

Eddie Van Halen: ele chorou quando Wolfgang mostrou música que fala sobre perdaEddie Van Halen
Ele chorou quando Wolfgang mostrou música que fala sobre perda


Matérias Recomendadas

Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixistaDuff McKagan
Anestesias não funcionam mais no baixista

Inacreditável: O que acontece de mais bizarro em um show de metalInacreditável
O que acontece de mais bizarro em um show de metal

Black Sabbath: About.com elege os 5 melhores álbuns da bandaBlack Sabbath
About.com elege os 5 melhores álbuns da banda

Morreu Dormindo: as últimas horas de vida de Lemmy KilmisterMorreu Dormindo
As últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

Metal Up Your Ass: Os primórdios do MetallicaMetal Up Your Ass
Os primórdios do Metallica

Tunecore
Baladas de Sangue

Bruce Dickinson: O Picasso do Metal

Resenha - Bruce Dickinson - Balls To Picasso

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Tarcisio Lucas Hernandes Pereira
Enviar Correções  

9

Bruce Dickinson sempre deixou claro em entrevistas e nas mais diversas vezes em que sua opinião foi questionada ser uma mente inquieta e criativa. Além da sua (absurdamente) bem sucedida carreira com o Iron Maiden, o sujeito é empresário, palestrante, escritor...Alguém tão versátil na vida de maneira geral certamente seria versátil também no aspecto musical.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E toda a carreira solo de Bruce está aí para provar isso.

"Balls To Picasso" foi o segundo álbum solo do cantor. Lançado em 1994 (estou velho – lembro do lançamento perfeitamente), foi o sucessor do eclético, variado e até certo ponto controverso "Tattooed Millionaire".

Em "Balls to Picasso" vemos um Bruce ainda de certa forma longe do Metal que seria extremamente elogiado nos seus lançamentos posteriores ("Accident of Birth", " The Chemical Wedding" e "Tyranny of Souls"), mas que já representava um passo a mais nessa direção se comparado com o álbum anterior.

O que temos é na verdade um disco híbrido, um hard rock com fortes tendências metálicas ( ou talvez o contrário: um disco de metal com fortes influências de hard rock...), diversificado e surpreendente, certamente fruto do início da parceria do vocalista com o grande guitarrista Roy Z, que o acompanharia por muitos anos.

3 coisas precisam ser ditas de imediato a respeito desse lançamento: Primeiro, de fato muito pouco aqui remete ao que ele fez ou faria com o Maiden (talvez com exceção de uma ou outra guitarra dobrada aqui e ali, e do sucesso "Tears of the Dragon"...mas já chegaremos a isso, aguarde); Segundo, a parceria de Bruce com o ótimo guitarrista Roy Z merece, ate hoje, mais atenção e estudo, tamanha variedade e qualidade das composições.

E por fim, e mais importante que tudo, trata-se de um disco bom. Não, não apenas bom. Excelente.

De todos os lançamentos da carreira solo do músico, creio que aqui se encontra a expressão mais clara de tudo o que Bruce sempre quis buscar enquanto compositor: variedade, peso, melodia e diversificação. E tudo isso impresso com sua personalidade. Ouvimos cada música, e cada uma delas nos faz pensar: "Isso aqui é Bruce Dickinson, com certeza."

Como destaques, podemos colocar " Laughing in the Hiding Bush", "Hell No", com seu refrão poderoso, "Shoot all the Clows", com uma pegada totalmente hard rock e até um Rap lá pelo meio (isso mesmo), "Change of Heart", maravilhosa balada com algumas influências latinas, e a power balada "Tears of the Dragon".

"Tears of the Dragon" merece um parágrafo à parte, uma vez que se trata certamente do maior sucesso comercial de sua discografia solo, a despeito da duração relativamente longa da faixa.

Essa música de fato é aquela que mais se parece com o que o cantor desenvolveria junto ao Iron Maiden, e que em grande parte ditou o teor de seus lançamentos solo posteriores. Verdade seja dita, a despeito da música ter ficado um tanto quanto batida no decorrer dos anos, trata-se realmente de uma canção emblemática, bem escrita e acima de tudo muito bem executada.

Acredito que agora, 23 anos após o lançamento desse álbum, seja uma excelente época para revisitá-lo, longe das incertezas que na época de seu lançamento se afiguravam a respeito do destino da banda e do cantor. O futuro foi escrito, sabemos que a separação se encerrou, Bruce lançou verdadeiras obras primas em sua carreira solo bem como com o Maiden ("Brave New World" está aí para provar), o mundo não acabou na virada do milênio e a vida seguiu seu fluxo.

Se você está disposto a escutar um disco com boa música, e esta é sua única preocupação, venha para cá!

O lançamento seguinte do musico, o controverso "Skunkwworks" de 1996 ainda seguiria essa linha mais eclética por parte da banda, que seria abandonada em detrimento de uma abordagem mais pesada e estritamente metal nos álbuns posteriores. Muito mais que discutirmos quais das fases é melhor, creio que podemos, sim, desfrutar das duas.

Afinal, o que importa, em última instância, é a qualidade do som...e isso aqui temos de sobra!

Tracks:
1. "Cyclops"
2. "Hell No"
3. "Gods of War"
4. "1000 Points of Light"
5. "Laughing in the Hiding Bush"
6. "Change of Heart"
7. "Shoot All the Clowns"
8. "Fire"
9. "Sacred Cowboys"
10. "Tears of the Dragon"

Banda:
Bruce Dickinson - vocal
Roy Z - guitarra
Eddie Casillas - baixo
David Ingraham - bateria
Doug van Booven - Percussão
Dickie Fliszar - Bateria na música "Tears of the Dragon"

Comente: Qual a sua opinião sobre este álbum?


Stamp
Receba novidades de Rock e Heavy Metal por Whats App


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: as 10 melhores músicas escritas por Bruce Dickinson, segundo a Metal HammerIron Maiden
As 10 melhores músicas escritas por Bruce Dickinson, segundo a Metal Hammer

Raphael Mendes: e se Bruce Dickinson cantasse no Van Halen? (vídeo)Raphael Mendes
E se Bruce Dickinson cantasse no Van Halen? (vídeo)

Iron Maiden: ouça vozes isoladas de Bruce Dickinson e Adrian Smith em Wasted YearsIron Maiden
Ouça vozes isoladas de Bruce Dickinson e Adrian Smith em "Wasted Years"

Adrian Smith: relembrando passagem pela banda solo de Bruce Dickinson nos anos 90Adrian Smith
Relembrando passagem pela banda solo de Bruce Dickinson nos anos 90

TUPFS: Bruce Dickinson, Dio e Sammy Hagar, o passado que você precisa conhecer (vídeo)

Iron Maiden: Bruce Dickinson fala sobre os segredos do sucesso e suas influênciasIron Maiden
Bruce Dickinson fala sobre os segredos do sucesso e suas influências

Iron Maiden: A depressão de Adrian veio com a pressão do sucesso nos anos 80Iron Maiden
A depressão de Adrian veio com a pressão do sucesso nos anos 80

Raphael Mendes e Aquiles Priester: e se Bruce Dickinson cantasse no Dragonforce?Raphael Mendes e Aquiles Priester
E se Bruce Dickinson cantasse no Dragonforce?

Iron Maiden: 10 músicas da primeira passagem de Bruce que não são tão boasIron Maiden
10 músicas da primeira passagem de Bruce que não são tão boas


Iron Maiden: Blaze nunca pensou que ele seria escolhido para substituir Bruce DickinsonIron Maiden
Blaze nunca pensou que ele seria escolhido para substituir Bruce Dickinson

Em 26/10/1981: Bruce Dickinson faz primeiro show com a banda Iron MaidenEm 26/10/1981
Bruce Dickinson faz primeiro show com a banda Iron Maiden


Heavy Metal: 10 músicas inspiradas em heróis de quadrinhosHeavy Metal
10 músicas inspiradas em heróis de quadrinhos

Queen: porque Freddie Mercury teve seus bens queimados após morrerQueen
Porque Freddie Mercury teve seus bens queimados após morrer


Sobre Tarcisio Lucas Hernandes Pereira

Tarcisio Lucas é formado em música-licenciatura pela UNICAMP. Fã de praticamente todos os subgêneros do Rock e do Metal, não dispensa também um bom Jazz ou erudito! Entre suas bandas favoritas estão: YES, Sepultura, Marillion, Mythological Cold Towers, Amorphis e Misfits.

Mais matérias de Tarcisio Lucas Hernandes Pereira no Whiplash.Net.