Matérias Mais Lidas

A opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano BrownA opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano Brown

O sentimento de Pete Best, primeiro baterista dos Beatles, após ter sido demitidoO sentimento de Pete Best, primeiro baterista dos Beatles, após ter sido demitido

Raul Seixas: a inusitada reação de Paulo Coelho ao saber da morte do compositorRaul Seixas: a inusitada reação de Paulo Coelho ao saber da morte do compositor

Malas sem alça: dez vezes que astros do rock e do metal foram arrogantes em citaçõesMalas sem alça: dez vezes que astros do rock e do metal foram arrogantes em citações

Por que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos TrilhaPor que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos Trilha

Bruce Dickinson, sem pensar duas vezes, revela pérola do Maiden que merece mais atençãoBruce Dickinson, sem pensar duas vezes, revela pérola do Maiden que merece mais atenção

Steve Vai: Eu não posso tocar como Yngwie Malmsteen; ninguém pode tocar como eleSteve Vai: "Eu não posso tocar como Yngwie Malmsteen; ninguém pode tocar como ele"

Capital Inicial: cinco músicas que foram escritas por Pit Passarell, do ViperCapital Inicial: cinco músicas que foram escritas por Pit Passarell, do Viper

Após treta com Max Cavalera, Marc Rizzo elogia Andreas Kisser e novo disco do SepulturaApós treta com Max Cavalera, Marc Rizzo elogia Andreas Kisser e novo disco do Sepultura

A opinião de Chester Bennington e Travis Barker sobre o MetallicaA opinião de Chester Bennington e Travis Barker sobre o Metallica

COVID: nunca mais vamos nos livrar disso, diz Ian Anderson do Jethro TullCOVID: nunca mais vamos nos livrar disso, diz Ian Anderson do Jethro Tull

Homem rouba guitarra de R$ 43 mil enfiando-a nas calças; veja vídeoHomem rouba guitarra de R$ 43 mil enfiando-a nas calças; veja vídeo

A importante dica sobre política que Tico Santa Cruz recebeu de Fábio AssunçãoA importante dica sobre política que Tico Santa Cruz recebeu de Fábio Assunção

John Lennon: conheça a música que o uniu a Elton John e o reconciliou com YokoJohn Lennon: conheça a música que o uniu a Elton John e o reconciliou com Yoko

Supla diz que pode se candidatar a algum cargo pelo PT nas eleições de 2022Supla diz que pode se candidatar a algum cargo pelo PT nas eleições de 2022


Stamp

Dark Witch: "The Circle Of Blood", o disco de estreia da banda

Resenha - Circle Of Blood - Dark Witch

Por Michell de Oliveira Almeida
Em 26/07/16

A banda brasileira Dark Witch foi fundada no ano de 1999. A banda tem como características a junção do heavy metal com elementos melódicos e épicos, abordando em suas letras temas como história, mitologia e ocultismo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"The Circle of Blood" é o primeiro álbum de estúdio completo da banda e foi lançado em versão digital pela Heart Of Steel Records e a versão física foi lançada pela Arthorium Records. A banda também conta com duas demos, dois álbuns de coletânea e faz parte de um álbum de tributo a banda Harppia. Para esse CD, a banda é formada por Bil Martins no vocal e baixo, Cesar Antunha e Décio Andolini nas guitarras e comandando as baquetas, André Kreidel.

O álbum traz 13 faixas, em 1 hora. A primeira música do CD, "Circle of Blood" traz riffs de guitarra e batidas de bateria típicos do heavy metal. O vocal de Bil Martins na faixa é bastante característico do heavy metal. O refrão tem alguns tons épicos, mostrando as características da banda. O solo de guitarra é rápido e bem executado.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

"Wild Heart" começa de forma incrível com as batidas da bateria e com um solo de guitarra, já empolgando o ouvinte logo no começo. O vocal de Bil Martins é incrível e poderoso na faixa. A execução da faixa lembra músicas do Saxon. As guitarras de Cesar Antunha e Décio Andolini são muito bem executadas. A bateria de André Kreidel e o baixo de Bil Martins mostram grande importância na faixa. Mas os grandes destaques da faixa são os agudos de Bil Martins, o ótimo refrão, o solo de guitarra de Cesar Antunha e o pequeno solo do baixo de Bil Martins.

A terceira música do álbum, "Master of Fate" é mais pesada e rápida do que as faixas anteriores. Esse peso é notado logo no início da música com os riffs de guitarra e a bateria rápida e brutal de André Kreidel. "Cauldron" começa com riffs característicos do heavy metal. A bateria é rápida e o baixo mostra importância nessa música. O vocal de Bil Martins mais uma vez mostra técnica e precisão. O refrão é bastante marcante e faz junção com características melódicas e épicas típicas do power metal. O solo de guitarra mais uma vez mostra técnica, precisão e rapidez.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

A quinta faixa do álbum, "Firestorm" começa com um solo de guitarra extremamente preciso e bem típico do power metal. O grito de Bil Martins no início da música é um grande destaque. A música mostra bastante peso e precisão na parte instrumental. A faixa faz transições entre as características do heavy metal e do power metal. O início do refrão "I see the dragons flying in the sky" é bem típico das letras épicas de bandas de power metal.

"Stronghold" começa com excelentes riffs de guitarra e logo em seguida a bateria entra em ação. O baixo de Bil Martins é um dos destaques da faixa. O refrão é simples a ponto de fazer com que o ouvinte rapidamente o cante diversas vezes. O refrão mais uma vez lembra os refrãos executados por grandes bandas de power metal como Hammerfall.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A sétima música do álbum, "Blood Sentence" é intensa e mostra várias características do power metal. A performance do vocalista Bill Martins é excelente, assim como também os riffs de guitarra executados por Cesar Antunha e Décio Andolini. O refrão é marcante e faz com que o ouvinte o lembre-se sempre.

"Liberty is Death" começa de forma marchada, mais uma vez mostrando as características do power metal que são muito bem executadas pela banda. Os riffs são ótimos e a bateria de André Kreidel mostra grande técnica na faixa. O vocal de Bil Martins é um grande destaque e com certeza nessa faixa ele tem uma de suas melhores performances do álbum. O refrão mais uma vez mostra características épicas e melódicas do power metal.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

"Lighthouse Reaper" é uma faixa que toda a parte instrumental da banda é um destaque. A introdução da faixa mostra o baixo e a bateria fazendo um ótimo som. A partir daí, os riffs de Cesar Antunha e Décio Andolini entram para completar o ótimo som da faixa. Os vocais de Bil Martins mais uma vez mostram precisão, técnica e mais uma vez em alguns momentos a música mostra grandes tendências do power metal, principalmente no refrão.

"Death Rain" é a décima faixa do álbum e desde o começo faz o ouvinte ter a certeza que está ouvindo uma música de power metal rápida e técnica. Os vocais de Bil Martins são sensacionais. Os músicos também mostram uma performance incrível na faixa. Os versos são poderosos e épicos, tendo um refrão bastante parecido com músicas da banda Iced Earth. Com certeza é uma das melhores faixas do álbum.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

"Siegfried" começa com um coro épico, mostrando a mitologia nórdica na música, já que Siegfried é um importante herói da mitologia nórdica, sendo que ele empunha a lendária espada balmung e se banha com o sangue do dragão Fafnir para ter invulnerabilidade. A faixa mostra ótimos riffs de guitarra; a bateria rápida e brutal de André Kreidel e grandes momentos do vocal e do baixo de Bil Martins. O refrão também é bastante épico, mostrando o lado power metal da banda Dark Witch.

"To Valhalla We Ride" é a penúltima faixa do álbum e também é relacionada a mitologia nórdica. A música começa com a bateria de André Kreidel juntamente com o baixo de Bil Martins e os riffs de Cesar Antunha e Décio Andolini, fazendo uma ótima introdução. A performance vocal de Bil Martins mais uma vez é ótima e o refrão da faixa é extremamente cativante, fazendo com que o ouvinte sempre o lembre.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A última faixa do álbum, "Voz da Consciência", é um cover de uma música da lendária banda de metal brasileira Harppia. A música tem ótimos riffs de guitarra na introdução, um baixo excelente de Bil Martins e a bateria mais uma vez mostrando técnica e precisão. A performance vocal de Bil Martins mais uma vez é um grande destaque da faixa, juntamente com o solo de guitarra de Cesar Antunha, que mostra rapidez e precisão.

O primeiro álbum de estúdio da banda Dark Witch impressiona, pois é um álbum que mostra grande talento da banda. É um álbum de ótima qualidade e faz a junção do heavy metal, power metal e apresenta alguns elementos de metal progressivo. A banda Dark Witch faz essas junções com maestria para que o ouvinte tenha certeza de que está ouvindo um ótimo álbum.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Tracklist

1. Circle of Blood
2. Wild Heart
3. Master of Fate
4. Cauldron
5. Firestorm
6. Stronghold
7. Blood Sentence
8. Liberty Is Death
9. Lighthouse Reaper
10. Death Rain
11. Siegfried
12. To Valhalla We Ride
13. Voz de Consciência

Canais Oficiais Dark Witch :

Facebook:
http://www.facebook.com/Dark-Witch
Youtube:
http://www.youtube.com/user/TheDarkWitchBand
Gravadora:
http://www.arthorium.com/label/en/bands/dark-witch
E-mail [email protected]

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Circle Of Blood - Dark Witch

Dark Witch: Som consistente, maduro e muito bem trabalhado

Dark Witch: Estréia em alta classe!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Death Metal: as 10 melhores bandas de acordo com a AOLDeath Metal
As 10 melhores bandas de acordo com a AOL

Lista: clássicos do rock e do metal que ninguém aguenta mais ouvir - Parte 1Lista
Clássicos do rock e do metal que ninguém aguenta mais ouvir - Parte 1