Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemApós resposta de Malmsteen, Jeff Scott Soto rebate guitarrista e diz que deseja paz

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"


Stamp

Terrordome e Chaos Synopsis: apresentando a sonoridade

Resenha - Intoxicunts - Terrordome e Chaos Synopsis

Por Victor Freire
Fonte: Rock'N'Prosa
Em 21/04/16

Nota: 7

Recebi direto da Island Press o split Intoxicunts (2016) dos poloneses do Terrordome junto com os brasileiros do Chaos Synopsis. Confesso que é o primeiro split que escuto, mas, pelo título já coloquei o CD para rolar esperando muita agressividade.

Assim é como o Terrordome abre o trabalho ao som da instrumental Reflux e de Polidics. A sonoridade mistura o hardcore com o thrash metal (estilo também conhecido como crossover), sendo que a veia HC é mais presente nessa primeira faixa. O lado "thrash", por assim dizer, fica mais presente em Nothing Else Fuckers. Não só o nome lembrou a faixa do Metallica — Nothing Else Matters –, mas também um dos riffs executado na música é muito semelhante à Master of Puppets. Vendo a letra constatei que nada disso foi coincidência, a música é uma mensagem direta aos Four Horsemen, uma crítica ao som da banda, que perdeu o espírito da Bay Area dos três primeiros álbuns. E respondendo ao meu comentário, a letra diz: "Hey Leader, chief — see? We do it faster. We even stole a riff from Puppet’s Master". Muito boa a crítica (ou brincadeira — como queiram chamar).

The ‘Hood, cover do Evildead, continua com a mesma proposta, agora apresentando um som mais "Slayer". As variações rítmicas são um destaque dessa música, mas a predominância do ritmo rápido e pesado dão toda a característica da música. A também pesada Beerbong Party encerra a participação do Terrordome em Intoxicunts (2016), música essa cantada por membros bandas polonesas como o Tester Gier, The No-Mads e Ragehammer (já incluí na lista para conferir).

O Chaos Synopsis já abre seus trabalhos no split com a pesada Serpent of the Nile. Assim como o Terrordome, não conhecia o trabalho deles. O death metal — lembrando um pouco o Krisiun — é de muita qualidade. Os vocais conseguem se destacar em meio às melodias pesadas, destaque para a habilidade dos instrumentistas. A temática que remete ao Egito antigo e à Mesopotâmia também está presente em Fire on Babylon. Ambas as músicas trazem a mesma característica da banda: riffs fortes e pesados em um ritmo acelerado. Apesar de não ser muito fã do gênero, gostei da sonoridade do Chaos Synopsis. Para encerrar, o Chaos também faz um cover, a escolhida foi Damage Inc., do Metallica (homenagem à Nothing Else Fuckers?).

Assim como foi para mim o primeiro contato com essas bandas, creio que a função do Intoxicunts (2016) é apresentar a sonoridade do Terrordome e do Chaos Synopsis, principalmente. Esse papel foi cumprido.

1.Reflux
2.Polidics
3.Nothing Else Fuckers
4.The ‘Hood (Evildead cover)
5.Beerbong Party
6.Serpent of the Nile
7.Fire on Babylon
8.Damage Inc. (Metallica cover)


Outras resenhas de Intoxicunts - Terrordome e Chaos Synopsis

Resenha - Intoxicunts - Terrordome e Chaos Synopsis

Resenha - Intoxicunts - Terrordome e Chaos Synopsis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Victor Freire

Professor universitário e mestre em Engenharia Mecânica pela UFRN. Nascido no deserto de Mossoró/RN. É fã e colecionador de itens relacionados ao rock'n'roll. Editor-chefe do blog Rock'N'Prosa e guitarrista do Godhound. Acessa o Whiplash! desde a infância e colabora com o site sempre que possível.

Mais matérias de Victor Freire.