Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"


Despot: Surtindo o efeito positivo

Resenha - Pictures of the Void - Despot

Por Vitor Franceschini
Em 04/08/15

publicidade

Nota: 8

Até este ano o Despot era uma ‘one-man-band’ que tinha em B.A.V. seu mentor. Continuando com o multi instrumentista como o núcleo da banda, hoje o músico conta com o baterista/tecladista Diogo C. ao seu lado e parece que a parceria surtiu um efeito extremamente positivo ao Despot.

"Satan in the Death Row" (2013), primeiro álbum da banda, mostrava um Black Metal rústico, interessante, mas ainda um pouco verde. Este novo EP mostra uma evolução impressionante em todos os quesitos: composições mais maduras, melhor produção e uma pegada de alto nível.

Além de demonstrar uma técnica necessária em "Pictures of the Void", B.A.V. adotou linhas melódicas na medida certa, sem exageros, que ficam evidenciadas nos solos de guitarra. Aliás, as guitarras têm um papel fundamental no disco, mostrando bases bem estruturadas aliadas a ótimos arranjos.

A produção do trabalho também deu um grande passo em relação ao anterior, soando orgânica, porém atual, sem cair na ‘plastificação’ das gravações de hoje em dia. Destaque sem dúvidas para Bound Forever e Artifact, esta última a melhor música do Despot até então. Muito bom!

http://www.despot.com.br/
https://www.facebook.com/despotbrazil


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini.