Aborted: Músicas tão doentias quanto empolgantes

Resenha - Necrotic Manifesto - Aborted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Alisson Caetano
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O resultado obtido em Global Flatline, lançado em 2012, deu mais visibilidade ao ABORTED e seu death metal brutal e influenciado por grindcore, uma mistura que resultava em músicas tão doentias quanto empolgantes.

Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da bandaQueen: 10 coisas que você não sabe sobre Bohemian Rhapsody

Se com Global Flatline a banda soube muito bem dosar de forma equilibrada seu death metal semi goregrind com bem vidas variações rítmicas e até um senso melódico bem encaixado, a banda preferiu trilhar em The Necrotic Manifesto caminhos mais diretos, relembrando o início de sua carreira.

No sentido técnico e profissional, a banda continua impecável. A bateria de Ken Bedene continua demolidora, investindo em pegadas brutais e bumbos duplos extremamente velozes. A dupla de guitarras, a cardo de Mendel bij de Leij e Danny Tunker também continuam afiadas e incisivas, com riffs fortes, sem muita firula, entregando a brutalidade que o gênero pede. Já Sven de Caluwé entrega sua performance vocal peculiar de sempre, variando entre vocais rasgados intensos e seu vocal gutural característico.

Até o momento presente, foram listados vários aspectos que fariam de um disco de metal extremo um bom disco, ou seja: bom instrumental, aliado a estruturas rítmicas simples e diretas, isso em se tratando de death metal. O grande problema em The Necrotic Manifesto é justamente soar simples e direto. Em vários momentos temos a impressão de estarmos ouvindo sempre a mesma música.

"Six Feet of Foreplay" é uma das típicas introduções macabras e serve de ponte para "The Extirpation Agenda", com muito peso, levadas alucinantes por parte da bateria e muita influência de grindcore. "Necrotic Manifesto", uma das primeiras faixas a ser liberadas para audição, segue os mesmos caminhos, com mais viradas por parte da bateria e riffs potentes.

"An Enumeration of Cadavers" possui mais cadência em sua parte média, e desde já é um dos destaques positivos. "The Davidian Deceit" é semelhante às anteriores em sua parte inicial, mas encaixa variações de velocidades e riffs grooveados que a tornam outro dos destaques. "Coffin Upon Coffin" segue a mesma receita da faixa anterior: pé no fundo no início que é quebrado por um trecho com solo melódico, não se destacando no fim das contas.

A partir de "Chronicles of Detruncation" não há grandes momentos de destaque, apenas músicas extremamente velozes e muito semelhantes umas às outras. A exceção fica por conta de "Die Verzweiflung", uma faixa lenta, com riffs groove e com um clima macabro muito interessante.

A tentativa em retomar músicas mais simples e diretas acabou gerando um disco que é empolgante apenas de início, perdendo e muito o fôlego durante seu decorrer. Talvez essas músicas funcionem melhor ao vivo, na empolgação do momento, mas para um disco completo acabam soando repetitivas e tornando a audição do disco um processo por vezes até maçante.

Tracklist:

1. Six Feet of Foreplay [Intro]
2. The Extirpation Agenda
3. Necrotic Manifesto
4. An Enumeration of Cadavers
5. Your Entitlement Means Nothing
6. The Davidian Deceit
7. Coffin Upon Coffin
8. Chronicles of Detruncation
9. Sade & Libertine Lunacy
10. Die Verzweiflung
11. Excremental Veracity
12. Purity of Perversion
13. Of Dead Skin & Decay
14. Cenobites

Lineup

Mendel bij de Leij - guitarra
Danny Tunker - guitarra
Ken Bedene - bateria
JB van der Wal - baixo
Sven "Svencho"de Caluwé - vocal


Outras resenhas de Necrotic Manifesto - Aborted

null



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Aborted"


Death Metal: cinco bateristas do gênero que são insanosDeath Metal
Cinco bateristas do gênero que são insanos


Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da bandaBlack Sabbath
Os vocalistas misteriosos da banda

Queen: 10 coisas que você não sabe sobre Bohemian RhapsodyQueen
10 coisas que você não sabe sobre Bohemian Rhapsody

Poeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer partePoeira
Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte

Alice in Chains: mensagem subliminar na capa de "The Devil Put Dinosaurs Here"Namore um cara que goste de MetalMotorhead: Segundo Lemmy Kilmister, "Rap não é música"Motorhead: Lemmy fala da vida em L.A., guerras e política

Sobre Alisson Caetano

Reside no município de Santo Antônio da Platina, PR. Apreciador de música de qualidade, independente do estilo (com maior ênfase nos sons extremos). Redator no blog iniciante The Freak Zine, além de enviar alguns materiais para o Whiplash.

Mais matérias de Alisson Caetano no Whiplash.Net.