Matérias Mais Lidas

João Gordo: Comentários sobre metal espadinha, Angra e Andre Matos no Flow PodcastJoão Gordo
Comentários sobre "metal espadinha", Angra e Andre Matos no Flow Podcast

Red Hot Chili Peppers: morre o ator Blackie Dammett, pai do vocalista Anthony KiedisRed Hot Chili Peppers
Morre o ator Blackie Dammett, pai do vocalista Anthony Kiedis

Guns N' Roses: as diferenças entre Steven Adler e Matt Sorum, segundo Gilby ClarkeGuns N' Roses
As diferenças entre Steven Adler e Matt Sorum, segundo Gilby Clarke

Kiss: Gene Simmons diz que Rock and Roll Hall Of Fame é uma farsa por não incluir MaidenKiss
Gene Simmons diz que Rock and Roll Hall Of Fame é uma farsa por não incluir Maiden

Rodox: quando baterista estragou show da banda após João Gordo vê-lo rezandoRodox
Quando baterista estragou show da banda após João Gordo vê-lo rezando

Taylor Hawkins: ele escondia que ouvia Rush e Led nos anos 80 para não parecer idiotaTaylor Hawkins
Ele escondia que ouvia Rush e Led nos anos 80 para não parecer idiota

Lista: 10 bandas que acabaram e nunca mais retomarão as atividadesLista
10 bandas que acabaram e nunca mais retomarão as atividades

Suécia: 15 grandes bandas de rock surgidas no país escandinavoSuécia
15 grandes bandas de rock surgidas no país escandinavo

Cavalera Conspiracy: Max confessa que mentiu a Iggor sobre primeiro álbum da parceriaCavalera Conspiracy
Max confessa que mentiu a Iggor sobre primeiro álbum da parceria

Nirvana: A faixa mais subvalorizada em cada álbum, pela Ultimate Classic RockNirvana
A faixa mais subvalorizada em cada álbum, pela Ultimate Classic Rock

Pearl Jam: banda lança site com 5.404 músicas de 186 shows ao vivoPearl Jam
Banda lança site com 5.404 músicas de 186 shows ao vivo

Nightwish: banda fará show virtual em mundo 3D interativo, veja o trailerNightwish
Banda fará show virtual em mundo 3D interativo, veja o trailer

Papa Roach: o dia que Sharon Osbourne deu esporro e colocou o vocalista em seu lugarPapa Roach
O dia que Sharon Osbourne deu esporro e colocou o vocalista em seu lugar

Raimundos: Digão revela que recebeu proposta astronômica para reunião com RodolfoRaimundos
Digão revela que recebeu proposta "astronômica" para reunião com Rodolfo

Nirvana: por que, até hoje, Dave Grohl não canta músicas da bandaNirvana
Por que, até hoje, Dave Grohl não canta músicas da banda


Pentral
Arte Musical

Rider: Qual uma Fênix, fazendo o Metal dos primórdios renascer

Resenha - Streets of Nowhere - Rider

Por Willba Dissidente
Em 12/09/14

Nota: 8

Você com certeza conhece e curte alguma banda que se chamada "Prefixo" Rider. Entre tantos Night, Thunder, Speed, Easy, Highway, e muitos outros, "Riders", o grupo oriundo de Osasco, região metropolitana de São Paulo, apostou em usar nomenclatura simples e original; tão marcante e de fácil assimilação quanto seu nome: RIDER. "Streets of Nowhere", EP de estréia do RIDER, traz de volta o metal do início da N.W.O.B.H.M., ou seja, marcado, pesado e contagiante.

Ao longo dos quase 21 minutos de música no registro de estréia do RIDER somos transportados no tempo para 1980-1983, aquela época que o Heavy Metal tradicional acabava de nascer, ainda com muita influência de nomes como THIN LIZZY, UFO e outros pioneiros; e grupos como IRON MAIDEN, DEF LEPPARD, MAD MAX e EUROPE ainda eram novidade e tinham sonoridade semelhante. Logo que acabam os poucos segundos de cacofonia que introduzem "Power Of Thunder", a faixa de abertura, podemos perceber algumas características que vão permear todo o trabalho do RIDER: vocais contagiantes e ótimos refrões, bateria pesada e inspirada, baixo costurando o som (cortesia de Victor Oliveira e Klébio Lonewolf, respectivamente) em meio à solos e leads de guitarras com riffs forjados para se bater cabeça.

O trabalho, contudo, não é perfeito. A principal deficiência sendo a gravação, que deixou o som de guitarra pouco ardido, em certos momentos até tímido e calcado em efeitos da pedaleira. Outra crítica é que os vocais ficaram todos "na raça", sem qualquer tratamento posterior, ou efeitos de suavização tão comuns nas partes agudas; o que pode dar impressão de desafinação, o que não se verifica. Ressaltamos que os instrumentistas do grupo fazem muito bem seu trabalho, sendo que tais intempéries em nada cerceiem a diversão que é ao Headbanger curtir o EP do RIDER. César Caçador tem timbre semelhante a Andy Aldrian, da clássica banda alemã STORMWITCH, e assim como esse canta e pronuncia muito bem em inglês, usando um tom alto constante, mas sem abusos. Fernando Steelbones e Luke Couto tem ótimo entrosamento na divisão de riffs, solos e guitarras dobradas na melhor tradição inglesa.


Continuando o trabalho, "Child in the Night" é faixa mais longa do EP e começa com uma promissora e cadenciada introdução. De fato, o RIDER dá preferência à construções grandiosas e bem arranjadas do que à velocidade pura (igualzinho ao começo dos anos 1980). Música título do disco, "Streets Of Nowhere" tem o ponta-pé inicial com o baixo acompanhando as notas dobradas da guitarra, sendo que a bateria vai completando muito bem o desenrolar, que se desenvolve numa parte estilo "Invasion" do MAGNUM, de 1978. Esse compasso retorna ao fim da composição, que tem ótimos background vocals, e vai acelerando ao final, para terminar com uma variação da primeira intro; uma ótima composição com feitura ao estilo "Forever" do Y & T. Fechando muito bem, "Flight Of The Phoenix" é a candidata a ser preferida do público ao vivo. Sabe aquele Heavy Metal que é cadenciado mas não é lento, que o faz bater cabeça e cantar ao ritmo da bateria? É esse, mais uma vez totalmente dentro da proposta da banda; apresentando muitos solos, cantos, leads e pré-refrões. Destaque para o solo de baixo e posterior base deste instrumento quando chega a vez das guitarras mostrarem trabalho nas escalas! Percebe-se, pela cuidadosa finalização, que o RIDER pensou nesse som para encerar o trabalho agradando os Headbangers.


Tal qual bandas que hoje ostentam o status de cult, como o ARIA, SALÁRIO MÍNIMO, ATTACKER, STROOMTROOPER (EUA), ASTAROTH (Brasil) e demais, a estreia do RDIER tem gravação simplista. Ainda que consideramos que essa não faz jus à qualidade do grupo, os fãs mais fanáticos da década de 1980 a julgarão adequada e estranharam a crítica feita acima. Para além de preferências pessoais, o trabalho consistente do RIDER foi gravado, se não de maneira a encher mais o som, de modo que todos instrumentos estão presentes e pesados. Além disso, as composições do jovem grupo, formado em 2011, são de Headbanger para Headbanger, acertando em cheio o gosto de para quem foram feitas. Ouvindo esse disco não é de se estranhar que o RIDER leve ao "Purgatory" do IRON MAIDEN nos shows e tenha abrido show da promissora banda suéca STEELWING, além de estar escalada para se apresentar com - a não menos proeminente da N.W.O.T.H.M. - SKULL FIST...

"Streets of Nowhere", a estreia oficial do RIDER em disco, é adquirido diretamente com o grupo por meio do facebook (links nos sites relacionados). O EP custa R$ 5,00 mais as despesas do frete. O trabalho foi lançado em CD-R impresso, dando aquele clima nostálgico, e vem numa embalagem simples em papelão, com ilustração que lembra as HQ's dos anos oitenta (sem aquele chapado atual nas cores) em tons esverdeados, com uma fênix rosa surgindo ao fundo (assinada pelo guitarrista Luke Couto). A contra-capa é composta com foto do conjunto e demais detalhes técnicos.

RIDER - "Streets Of Nowhere" (2014). Nacional, Independente, 21:48.

01 . Power of Thunder (04:10)
02 . Child In The Night (05:45)
03 . Streets of Nowhere (05:28)
04 . Flight Of The Phoenix (05:03)

Todas as músicas compostas por Steelbones, Lonewolf, Oliveira e Couto, exceto as faixas 01 e 04, que além do quarteto acima tem participação do ex-vocalista Gabriel Highlander.

RIDER:

César Caçador - Vocals
Klébio Lonewolf - Baixo
Luke D. Couto - Guitarra
Fernando Steelbones - Guitarra
Victor Oliveira - Bateria

Sites relacionados (em português / inglês):

https://www.facebook.com/ridermetalband
https://www.facebook.com/rider.metalband.9

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
Edu Falaschi - Vera Cruz
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rider: estreia lyric vídeo de "Power of Thunder"

Rider: banda estreia single "Power of Thunder" nas plataformas digitais


Metal Tradicional: 13 Novas bandas nacionais e o momento da cenaMetal Tradicional
13 Novas bandas nacionais e o momento da cena


Metallica: por que 9 entre 10 fãs odeiam Load e Reload?Metallica
Por que 9 entre 10 fãs odeiam "Load" e "Reload"?

Heavy Metal: O início do movimento e a origem do termoHeavy Metal
O início do movimento e a origem do termo


Sobre Willba Dissidente

Willba Dissidente é fã das bandas de hard rock dos anos 70 e 80 e de metal oitentista dos mais variados países. Quem quiser saber mais deve acessar seu canal no youtube. Obrigado! Stay Hard (True As Steel)!

Mais matérias de Willba Dissidente no Whiplash.Net.